Moda

Currículo da moda: como Lucas Lucco levou o streetwear para o sertanejo

Gustavo Abreu

Colaboração ao UOL, em São Paulo

Sertanejo e urbano são duas palavras que por definição não andam juntas. A ascensão do sertanejo universitário, no entanto, pôs fim a essa história.

A mudança começou na música, com a sanfona caipira se misturando às batidas eletrônicas. E agora acontece na moda: o chapéu e a camisa xadrez ficam em casa e, nas baladas country, aos poucos dão lugar a tendências de streetwear. O culpado disso? O mineiro Lucas Lucco, que de caubói não tem nada.

Responsável por transformar o guarda-roupas de Lucas logo no início da carreira do cantor, o stylist Li Camargo reconhece o desafio de trazer influências street para o ambiente sertanejo. "Todo mundo espera que as pessoas estejam de bota, cinto de fivela e chapéu", diz ao UOL. "Mas o Lucas foi bem aceito. Hoje você vê pessoas usando e as marcas começando a produzir o tipo de roupa que ele veste."

Influências de Kanye West
Li começou a vestir Lucas em sua primeira aparição na TV, no começo de 2014. Ele diz que o trabalho com o artista é de colaboração. "A gente ajuda a lapidar o perfil, mas a base é o que ele gosta." Antes do mineiro, Li trabalhou com Luan Santana e durante anos foi comprador de marcas importadas masculinas da Daslu. Hoje ele é o favorito entre os sertanejos, como o novato Gustavo Mioto.

Para imprimir a nova imagem de Lucco, Li foi buscar inspirações na moda de rua de Londres, Los Angeles e Nova York e em artistas como Kanye West e Justin Bieber. O estilista Rick Owens, conhecido por suas modelagens conceituais, também serviu de referência. "Ele foi o cara que mudou a silhueta masculina", justifica.

O segredo dos looks, aliás, está justamente na modelagem. "A gente mistura peças mais justas com outras mais largas e alongadas", conta. Por isso, a base do visual tem camiseta longline, calça skinny e coturno.

"É uma silhueta forte, de proporções, e tem que ter atitude para usar. São peças simples, como camiseta, calça e tricô, mas a proporção dá uma carga diferente", explica o stylist. "O casaco de moletom, por exemplo, é oversized. O colete é oversized."

No caso de Lucas, Li trabalha uma gama de cores restrita, que funciona no palco, na TV e também no dia a dia do cantor. "Só preto, branco e cinza", diz. "Mas o cinza tem variações, e misturando as três cores você consegue combinações bacanas e não fica nada monótono." Além das cores fortes, Li evita também estampas. "Realmente não faz parte do figurino dele, tem bem pouco."

Ostentação zero
O acervo de Lucas vem de viagens que Li faz para o exterior. "Roupa brasileira é muito cara. Fora eu consigo peças exclusivas, gasto menos, e trago coisas que não existem aqui", conta. Seus destinos favoritos são o Camden Market, em Londres, e lojas independentes do Brooklyn, em Nova York.

Com esse ar hipster, as grandes grifes acabam não tendo espaço no armário do cantor. "As pessoas estão preocupadas em ostentar, mas o Lucas é o oposto disso", afirma. "Luxo hoje em dia é ter exclusividade, e não ter uma coisa cara. Você vê por aí um monte de Louis Vuitton, Gucci e cinto Hermes, mas sem saber se é verdadeiro."

Li garante que o estilo de Lucas Lucco, hoje astro de "Malhação", funciona tanto na balada como nas ruas. "Dá para usar no dia a dia com certeza. É um visual muito básico." Mas alerta que, além da atitude certa, é preciso ter cuidado com o caimento. "Não precisa ser sarado como o Lucas, mas não é todo mundo que fica bem de camiseta alongada e calça justa."

Topo