Moda

Estilistas jovens ignoram a crise e põem fogo em Milão

Por Marie-Louise Gumuchian

MILÃO - Jovens estilistas italianos abriram a semana de moda feminina de Milão na quarta-feira, apostando na novidade e em idéias inesperadas para conquistar a adesão de uma indústria frágil num clima econômico difícil.

Reuters
Jovens artistas enfrentam crise com criatividade

Expondo suas coleções na semana de moda outono/inverno 2009/2010, quatro estilistas novos escolhidos pela Câmara Nacional de Moda italiana disseram que os tempos estão difíceis para quem está começando, mas que isso não significa que não haja espaço para novos talentos.

"Começar agora é difícil. Devido às circunstâncias econômicas, há menos demanda", disse Alessia De Pasquale, 23 anos.

"Mas a moda está à procura de novas idéias, novos talentos, novas coisas. É muito importante se destacar."

De Pasquale, que vive em Londres e já trabalhou para grifes importantes como Burberry e Aquascutum, apresentou uma coleção masculina inspirada nos anos 1950, mas com toques modernos.

Ela acrescentou uma gola dupla a camisas brancas, ampliou a parte de cima de calças cortadas nos tornozelos e enfeitou ombros de paletós com detalhes minúsculos que lembravam bolsas de couro.

A turbulência econômica não poupou as marcas de luxo. Os gastos com roupas e acessórios estão sendo limitados, mesmo entre os super-ricos.

Antonio Romano, que expôs casacos leves e vestidinhos de seda, disse que apostar em estilistas jovens em tempos de dificuldades pode ser benéfico para as empresas de moda.

"Acho que investir em estilistas jovens é a melhor receita para derrotar esta época. Na situação atual, talvez haja necessidade de algo novo", disse ele.

Sem muito apoio financeiro, sobreviver a uma recessão forte pode ser especialmente difícil para estilistas emergentes. Muitos recém-formados enfrentam um futuro sombrio, com as empresas reduzindo suas contratações. Portanto, a oportunidade de exibir suas criações num dos maiores eventos de moda do ano é uma grande ajuda.

"Fazer um desfile aqui é uma ótima maneira de expor meu trabalho. Recebi muitos elogios", disse Alessia Xoccato, 26, que pôs estruturas em formato de bambolê na faixa do meio de seus vestidos curtos e coloridos.

"Não acho que o momento seja negativo", opinou Marta Forghieri, 28, que vestiu suas modelos em vestidos curtos e volumosos e shorts justos, tendo como acessórios fones de ouvidos. Algumas delas traziam balões de festa amarrados aos pulsos.

Quase 80 maisons vão promover desfiles de suas coleções na semana de moda de Milão, que termina em 4 de março.
Topo