Moda

Crise pode servir de inspiração à alta-costura, diz Gaultier

Por Astrid Wendlandt

PARIS, 8 de julho 16:05 (Reuters) - O estilista Jean-Paul Gaultier disse na quarta-feira que tempos difíceis incentivam maneiras de pensar criativamente, fora dos padrões, e que a alta-costura vai superar a crise financeira mundial.

  • AFP

    Modelo desfila look da alta-costura de Jean Paul Gaultier para o Inverno 2009/10 em Paris


"Há 30 ou 40 anos ... já se fala nas exéquias da alta-costura", disse ele, ao apresentar sua coleção de inverno 2009-10 inspirada nas estrelas de cinema dos anos 1930 e 1940, que teve na platéia a cantora Kylie Minogue, o ator Mickey Rourke e a estilista francesa Sonia Rykiel.

"Mas a crise é o momento em que devemos criar novas maneiras de fazer as coisas, encontrar soluções e questionar até mesmo as coisas mais básicas", disse Gaultier, figura fundamental do cenário de moda parisiense há mais de duas décadas.

Reagindo à queda da maison de moda francesa Christian Lacroix no mês passado, Gaultier disse: "Mas Lacroix é um criador. Ele voltará a fazer alguma coisa criativa."

Ainda na esperança de encontrar comprador para sua empresa, Lacroix apresentou um desfile pequeno de alta-costura esta semana, com a ajuda de amigos e de costureiras que trabalharam gratuitamente.

A atriz francesa Josiane Balasko, sentada perto da modelo e estilista Ines de la Fressange, comentou que a alta-costura é essencial para a indústria da moda.

"A alta-costura é a lancha veloz que puxa todo o mundo da moda em sua esteira", disse Balasko à Reuters, acrescentando que assiste aos desfiles de Gaultier sempre que pode.

Sósias de Louise Brooks, Lauren Bacall e da atriz francesa do tempo da 2 Guerra Mundial Micheline Presle percorreram a passarela em terninhos pretos com ombros largos, casacos de chuva em estilo aviador e vestidos enfeitados com peles.

Gaultier, que cria moda feminina para o grupo de luxo Hermes, usou as mesmas boinas de couro macio em estilo anos 1930 que exibiu na primavera para sua nova coleção da Hermes. A Hermes é dona de 45 por cento da maison Jean-Paul Gaultier.

Gaultier se manteve fiel a seus próprios artigos clássicos, com as calças de marinheiro usadas com tops listrados e os macacões soltos - desta vez em couro de crocodilo ou lamê dourado, com peles de raposas penduradas nos ombros.

"Sempre haverá uma clientela à procura de peças únicas", disse Suzanne Saperstein, importante compradora de alta-costura francesa, de Los Angeles.

Topo