Moda

Semana de Moda da China tem desfile da marca de moda de luxo mais antiga do país

EFE
Modelo desfila look da marca chinesa Ne Tiger, considerada a mais antiga grife da luxo da China (27/10/2011) imagem: EFE

PEQUIM - A Semana da Moda da China traz uma mistura de tradições de mil anos e criações ocidentais no momento em que o mercado de maior crescimento para produtos de luxo atrai a atenção de mais estilistas.

No desfile da grife NE TIGER, na última terça (25), as modelos exibiram uma ampla variedade de vestidos longos em cores brilhantes, alguns com bordados tradicionais chineses e réplicas de figurinos da dinastia Tang, entre 618 e 907 a.C. A grife é considerada a marca de moda de luxo mais antiga da China.

"A indústria de alta-costura na China está se desenvolvendo vigorosamente, sem qualquer sinal de desaceleração. Está além das minhas expectativas", disse Zhang Zhifeng, que fundou a marca 19 anos atrás.

"Eu achava que minha alta moda existia apenas para um pequeno grupo de pessoas, mas agora ela está se expandindo rapidamente. Os consumidores estão gostando cada vez mais da cultura tradicional chinesa".

Zhang disse que o seu objetivo era que a coleção Primavera/Verão de 2012 "Tang, Jing" ressaltasse a cultura Tang para um público de 500 pessoas no desfile de quarta-feira, que abriu os 10 dias da Semana da Moda. A NE NIGER inaugura o evento há uma década.

"Eu fiquei tão inspirado quando ouvi alguns historiadores contarem histórias da dinastia Tang. Ela era tão próspera que, em muitos sentidos, ainda influencia a sociedade chinesa de hoje", afirmou.

Alguns vestidos exibiam desenhos das pinturas tradicionais chinesas, enquanto outros tinham saias brilhantes bufantes.

O ateliê de Zhang fica no centro da capital chinesa, Pequim, onde sua equipe de 11 pessoas se dedica à elaboração de criações personalizadas.

Um vestido customizado, feito a mão, sai por cerca de 4.710 dólares, com o preço aumentando conforme o número de pessoas envolvidas no trabalho. Um vestido pode levar até três meses para ficar pronto.

Apesar dos preços, Zhang disse que a NE TIGER viu um boom em pedidos nos últimos anos. A marca abriu oito butiques no mundo todo.

A China se tornou o segundo maior mercado consumidor de bens de luxo do mundo. Alguns dos potenciais consumidores presentes no evento se disseram impressionados.

"Os vestidos exibidos hoje à noite são surpreendentemente estonteantes", disse Li Fengteng, empresário de 28 anos. "Eles mesclam o desenho tradicional chinês cheong-sam com elementos da moda ocidental".

Topo