Últimas de Estilo de vida

Estilistas visitam décadas passadas na Semana de Moda de Londres

Por Li-mei Hoang e Katharina Oberberg De Londres (Inglaterra)

Em busca de inspiração, estilistas voltaram a décadas diferentes na Semana de Moda de Londres deste ano, oferecendo uma mistura inebriante de chamas de padronagens diversas, casacos de pele de carneiro extra grandes e minivestidos estampados em suas coleções mais recentes.

Burberry, Vivienne Westwood e Topshop Unique exibiram modelos influenciados pelo artesanato popular e interiorano britânico, com vestidos de veludo estampados e trench coats com franjas, dando continuidade ao tema da boemia dos anos 1970 na temporada Inverno 2015.

Os estilistas também encontraram motivação nos anos 1960 e 80, e no começo da semana J.W. Anderson e Jonathan Saunders desfilaram minivestidos estampados, vestidos de couro grandes e jaquetas puff-ball.

"Dá a sensação de que estamos vendo muitas ideias no decorrer de muitas décadas", opinou Ken Downing, diretor de moda da loja de departamento de luxo norte-americana Neiman Marcus, à Reuters. "Os anos 1970 são os mais destacados... mas essa ideia dos anos 1980 com certeza está pegando também, e os jovens descolados irão abandonar os anos 1970 e ir para os anos 1980 logo, logo", acrescentou.

Embelezamentos detalhados, padrões contrastantes e tecidos feitos à mão também marcaram presença com força em muitos desfiles em Londres, refletindo um distanciamento do minimalismo do ano passado. "Houve muito brilho e embelezamento... a moda vai de um espectro ao outro, e as pessoas estão cansadas da ?moda padrão?. Não vi quase nada de minimalista", disse Pandora Sykes, da seção de moda do jornal Sunday Times.

"São todas coisas que dá para usar, vimos vestidos realmente lindos com botas na altura do joelho, então é bem fácil imaginar como funciona na vida real", acrescentou.

O crescimento do mercado global de artigos de luxo deve se manter firme na casa dos 5 por cento em 2015, com Estados Unidos e Japão liderando o comércio, de acordo com a empresa de consultoria Bain & Co.

A estilista Anya Hindmarch disse que isso se aplica ao seu negócio. "Temos muitas lojas no Japão, e acho que o mercado lá é realmente empolgante. Os Estados Unidos estão muito animados no momento também, então acho que o mundo todo está se sentindo mais confiante, de certa maneira", declarou Anya Hindmarch à Reuters após a apresentação.

Anya Hindmarch, cujos acessórios de couro são vendidos em nove países, disse acreditar que seu sucesso se deve ao humor britânico de sua marca, que na atual temporada traz brasões com sinais de trânsito nas bolsas, camisas e casacos.

"Esse lado britânico da marca é bastante novo de certa forma, talvez ligeiramente diferente, então este é um momento empolgante para nós", afirmou.

 

Topo