Moda

Giorgio Armani encerra a Semana de Moda de Milão investindo no vermelho

AP
A Armani fechou a Semana de Moda de Milão nesta segunda-feira (28) imagem: AP

Figura de proa da moda, o italiano Giorgio Armani flertou com vários tons de vermelho em sua principal linha de moda feminina para o Verão 2016, usando a cor como fio condutor de seus desenhos normalmente simples e elegantes no encerramento dos seis dias de desfiles da Semana de Moda de Milão.

O estilista de 81 anos, que já trabalhou como decorador de vitrines e hoje tem um império de moda global, empregou o vermelho em toda sua coleção nesta segunda-feira (28), colorindo jaquetas com nervuras e com contas, shorts, vestidos e trajes longos de noite.

Os tons variaram da chama ao gerânio, mas também havia matizes mais suaves misturados com cinza, creme e preto.

Diante de uma plateia que contou com a atriz italiana Sophia Loren, as modelos desfilaram com jaquetas macias combinadas com calças de organza bem soltas, macacões curtos e vestidos de chiffon, tudo acompanhado de acessórios como sandálias de salto cunha e alguns chapéus largos e ondulados.

Armani, conhecido na Itália como "Rei Giorgio", é famoso por se envolver pessoalmente na criação de uma das grifes mais reconhecidas do mundo, vista tanto nas ruas quanto nos tapetes vermelhos.

 Ele misturou texturas, estampas e brincou com véus para criar camadas. Saias e vestidos transparentes foram envergados por cima de shorts e calças, com ponchos de bordas cintilantes para dar o toque final.

A Semana de Moda de Milão termina em alto astral: a Câmara de Comércio da Itália previu um aumento de 5% nas vendas deste ano, ou 64,5 bilhões de euros (cerca de R$ 284,9 bilhões).

"Os números parecem dizer que as coisas estão indo bem", afirmou o presidente da Câmara, Carlo Capasa, à "Reuters". "Parece que tudo está caminhando na direção certa".

Topo