UOL Estilo UOL Estilo

01/12/2006 - 19h34

Já pensou na roupa para o Ano Novo? Veja as dicas de brancos, curtos e festeiros

CAROLINA VASONE
Editora de UOL Estilo

Bia Ferrer/UOL

Macaquinho de Reinaldo Lourenço vai da festa, com salto e brilhos, a praia, só com camisetinha

Macaquinho de Reinaldo Lourenço vai da festa, com salto e brilhos, a praia, só com camisetinha

Dia 31 de dezembro é dia (ou melhor, noite) de roupa nova. E, pelo menos no Brasil, de roupa branca. O Ano Novo também parece ser a festa extra-oficial do início do uso da moda de verão. Afinal de contas, o Natal, tão familiar, serve mais para comer e confraternizar do que mostrar o figurino para amigos e convidados interessantes com um copo de champanhe à mão. Sendo assim, além de usar branco e novo, por que não aproveitar para começar 2007 em sintonia com algumas das tendências mais quentes da estação veraneia?

Pensando nisto, o UOL Estilo fez uma seleção de looks para entrar no próximo ano com o pé - seja num salto alto dourado ou prateado, numa rasteirinha também metalizada ou ainda numa doce e ingênua sapatilha - direito. O cenário das fotos foi o bar do Terraço Itália, ícone do estilo chique "old fashion" em São Paulo, justamente para mostrar que dá para ser sexy e chique ao mesmo tempo. A modelo, uma garota o mais próximo de uma moça comum. Claro, considerando que o "comum" do mundo da moda sempre será vários quilos mais magro do que a gente vê (e acha magro e bonito) caminhando pelas ruas. Ainda assim, nossa escolhida não tem 1,80 metro e veste 36. A moça mede 1,70 metro, pesa mais de 50 quilos, usa manequim 38 (comprovado por nossa produção) e tem 19 (não 13) anos.

Curto sem ser vulgar

A tendência de ordem da estação é a que dita a maioria das produções. É hora de mostrar as pernas e usar roupa curta. Teoricamente, curtíssima. Quem conseguir encarar os micros, vá em frente, esta é a idéia. Mas como na vida real às vezes é difícil incorporar a moda - e o corpo das modelos - da passarela, há a opção dos apenas curtos. Aí vem a pergunta: mas como usar roupa curta sem ficar vulgar?

A preocupação de nove entre dez mulheres brasileiras, geralmente com quadris, bumbum e pernas mais avantajados, faz sentido, mas o problema pode ser contornado. Basta usar a regra da compensação, sempre. E para isso as tendências do próximo verão também ajudam. É curto? Então que seja soltinho, trapézio, balonê ou com várias camadas de tecido (os vestidos da estação são exatamente assim). Já tem muita perna à mostra? Use uma blusa fechada, sem decotão. Há ainda o truque de misturar com uma peça menos sexy e mais fashion, de preferência com um desenho mais geométrico ou masculino.

Além das curvas generosas, há um outro ponto determinante da mulher "gente como a gente" a ser considerado: o da altura. Normalmente as moçoilas "made in Brasil" são mais baixas, não chegam nem à estatura das modelos "baixinhas" de 1,70 metro. Geralmente, ficam ali por volta do 1,60 metro. Neste caso, os curtos podem beneficiar as pernas que não são tão longas: quanto mais elas ficarem à mostra, mais compridas parecerão. Saias abaixo do joelho, por exemplo, tendem a achatar a silhueta de quem não é alto porque começam a mostrar a perna numa parte em que ela está mais grossa (na panturrilha). As "baixinhas" ainda contam com uma vantagem em relação às altas no quesito minissaia: correm menos risco de parecer vulgares, já que não fazem, naturalmente, o tipo "mulherão".

Para que tudo dê certo, no entanto, sempre há de se tomar certos cuidados. E um deles é não inventar de usar uma bota de cano alto, uma sandália que amarre no tornozelo ou que cruze tiras em zique-zaque pelas pernas. Todas estas opções dão a impressão de "cortar" a silhueta e encurtar a perna. Prefira sapatos e sandálias os mais "cavados" o possível, assim, sua perna, visualmente, vai começar antes, lá no peito do pé, e parecer maior.

Sexy, despretensioso e festivo

Macaquinhos, shortinhos e vestidinhos são protagonistas no festival das abusadas. Mas trata-se de um abuso mais brincalhão, que pode encarnar um ar ingênuo de menininha ou divertido de quem fica irresistível fingindo que sua intenção não era essa. Incorporar esse espírito também é escudo contra a vulgaridade. Como fazer isso por meio das roupas? O macaquinho com camisetinha, por exemplo, é uma combinação que garante o ar despretensioso mas fornece a parte sensual por conta das pernas à mostra. Pode ficar festivo e glamouroso com o brilho de acessórios como a sandália purpurinada prateada e o colar de metal também prateado com cristais translúcidos retangulares da foto do álbum (veja acima).

Da praia à festa de arromba

Onde quer que seja a sua comemoração de Réveillon, a idéia é que a roupa tenha pelo menos uma pitada de glamour. Afinal, a atmosfera é festiva, o ritual é de passagem de um ano para o outro, de renovação, e há de se comemorar também com as roupas. Por isso, um brilho em algum acessório sempre é bem-vindo. Mas se a idéia é passar o Ano Novo literalmente, com o pé na areia, há opções bem básicas na nossa seleção. Basta trocar as sandálias altas por um chinelinho e eliminar colares e/ou pulseiras que a saia curtinha com renda da Rosa Chá e a blusinha de malha da C&A, com o chinelinho rasteiro em dourado mesmo (há de se ter um brilhinho, ao menos), vai tranquilamente para a praia. O vestido de Alexandre Herchcovitch, branco de algodão, pula as sete ondas e também cai bem numa festinha informal.

Para festas intermediárias, dessas em casa de amigo, aposte em apenas um foco de ousadia. Como exemplo, o look de shortinhos curto de sarja e blusinha tomara-que-caia, acompanhados de uma quase ofuscante e divertida sandália purpurinada dourada da Theodora.

Para quem vai encarar uma festa da arromba, este é o momento de gastar aquele vestido que encara raras e especiais ocasiões. Nestas horas, até vale abandonar a febre do curto (há, aliás, opções, no álbum de fotos, para quem não quer aderir aos minis) e encarar um romântico vestido rodado com rendas ou um longo exuberante como o de Karlla Girotto. Para quebrar o look tão arrumado dos longos românticos, ouse no sapato, e vá de sapatilha bem baixinha envernizada. Para mostrar que você está consciente de que parece uma princesa de conto de fadas, mas sabe que isso não passa de uma gostosa brincadeira.

Maquiagem e cabelão

O batom vermelho é um clássico que está em alta. Mas para que ele fique com um resultado de fato mais clássico, com um perfume retrô e não pese no visual (te deixando, ou com cara de velha, ou com pinta de frequentadora das esquinas da rua Augusta) prefira os opacos e deixe ele aparecer sozinho: o resto da maquiagem deve ser levinha, com uma sombra perolada, rímel, blush e só. O cabelo, para compensar a boca extravagante, pode ser mais discreto, preso num rabo (sem aqueles fiozinhos propositalmente soltos na lateral, que só sujam o visual ao invés de dar charme).
Hospedagem: UOL Host