Comportamento

Norte-americana é indiciada por acusar ex-namorado de ser terrorista

Thinkstock
Mulher fez ligação anônima em que acusava ex de ser terrorista (foto ilustrativa) imagem: Thinkstock

Los Angeles - Uma norte-americana foi indiciada na quarta-feira (23) por ter ligado para uma companhia aérea e afirmado que o ex-namorado, um francês que havia terminado o relacionamento na noite anterior, era uma ameaça para o voo em que ele pretendia embarcar, informaram as autoridades de Los Angeles.

"A promotoria de Los Angeles abriu um processo criminal contra Lizet Sariol, de 45 anos, por fornecer informações falsas e enganosas, especificamente por inventar uma ameaça terrorista a United Airlines (UA)", afirma um comunicado do FBI.
 
Em 25 de setembro, Sariol fez uma ligação anônima para o "call center" da UA, na qual alertava que dois franceses (Adnen Mansouri e Salim "Serge" Oumahdi) "representavam uma ameaça para um voo no qual pretendiam embarcar no mesmo dia.
 
Na ligação, a mulher de Temple City (nordeste de Los Angeles) afirmou que havia recebido uma mensagem de texto com ameaças de um deles. A atendente informou à polícia que imaginava que a ameaça consistia em uma bomba no avião.
 
Quando o FBI identificou Mansouri e Oumahdi antes do embarque no voo Los Angeles-Paris, os dois explicaram que estavam de férias nos Estados Unidos desde julho e que durante o período Mansouri iniciou um relacionamento com Sariol.
 
"Mansouri disse que ele e o amigo esperavam ter problemas no aeroporto e que não ficou surpreso com a presença do FBI. Mansouri afirmou que uma mulher que havia conhecido, chamada Lizet Sariol, o estava assediando", afirma o comunicado.
 
O francês explicou que havia encerrado o relacionamento com a americana na noite anterior que ela fez ameaças a ambos.
 
Ao ser interrogado, Mansouri mostrou uma mensagem de texto que havia recebido da americana: "Já liguei para a companhia e vocês serão considerados terroristas".
 
Os investigadores do FBI concluíram que os franceses não representavam qualquer ameaça.
 
Sariol se entregou à polícia na quarta-feira e a justiça fixou uma fiança de 20.000 dólares. Se for considerada culpada, ela pode ser condenada a até cinco anos de prisão. 
Topo