Últimas de Estilo de vida

Mulheres recorrem a consultoras para cuidar da casa

São Paulo - A empresária Patrícia Pires, de 39 anos, até hoje tem medo de panela de pressão. Também encontra dificuldade em deixar os armários da cozinha impecavelmente organizados. Ela morou com os pais até se casar, há quatro anos, e confessa: "Nunca me interessei pelos afazeres de casa, mas agora não tenho escapatória."

Patrícia não está sozinha: um grupo de paulistanas encontra nas tarefas do lar um desafio maior até do que na própria profissão. O site Casa da Cris, com dicas que vão de tirar manchas de roupas a organizar uma festa, tem 5 mil acessos por dia. No mercado, há livros, programas de TV, workshops e até um novo tipo de profissional, a personal assistance.

Por trás de cada uma dessas atividades estão mulheres criadas à moda antiga. Quando meninas, aprenderam com as mães a serem donas de casa. Hoje, ensinam a lavar, passar, limpar, organizar um cardápio e dão toques até de economia doméstica. O valor da consultoria depende do serviço prestado.

A violência e a preocupação com a qualidade de vida são outros motivos que fizeram com que muitos paulistanos despertassem novamente o interesse pela casa. "Reunir os amigos em um restaurante já não é o melhor programa", diz Beth Kövezi, dona da escola de culinária Wilma Kövezi (www.wkcozinha.com.br). Comida trivial (seis aulas por R$ 890) e saladas (R$ 185 a aula) são cursos concorridos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Topo