Últimas de Estilo de vida

Octogenária praticante de ioga diz estar mais flexível do que nunca

Giovana Vitola

De Sydney para a BBC Brasil

A instrutora de ioga australiana Bette Calman, de 83 anos, diz ser mais flexível hoje do que há 50 anos, graças à técnica.
  • Richard MacRae/BBC

    A instrutora australiana Bette Calman começou a praticar e estudar ioga há 40 anos



A octogenária consegue fazer todas as posturas consideradas difíceis, como sustentar o corpo na posição horizontal com as mãos e na vertical com a cabeça.

A instrutora, que foi uma das primeiras a introduzir a antiga prática indiana na Austrália nos anos 50, tem estudado e ensinado ioga há 40 anos no país e disse à BBC Brasil que os movimentos ficam cada vez mais fáceis.

"Nunca se está velho demais para a ioga", disse ela, "o corpo pode se alongar cada vez mais".

Calman, natural de Sydney mas que vive há oito anos em Willianstown, no Estado de Victoria, sul do país, confessou nunca ter precisado de remédio ou antibiótico e atribui o mérito à prática.

Mesmo com todos os anos de dedicação, a instrutora lamenta que o marido nunca tenha praticado como ela. No entanto, a filha Susan seguiu os passos da mãe e abriu uma escola de ioga há quase uma década.
  • Richard MacRae/BBC

    Calman se lamenta por seu marido nunca ter praticado a técnica indiana como ela, e afirma que ioga não tem idade.



"Eu continuo a dar aulas lá, ao menos 11 vezes por semana", disse ela, que se orgulha do netinho de três anos também ter começado a prática.

"Cada vez que faço ioga é como se eu estivesse num conto de fadas. Esse é um exercício devagar, que ajuda fisicamente, emocionalmente, espiritualmente. É bom para ser praticado nos dias de hoje, onde todo mundo está sempre correndo e estressado. Mas não é todo mundo que consegue relaxar", disse ela.

A autora de três livros sobre Ioga, incluindo um chamado Ioga para artrite, impressiona o genro, Richard MacRae: "Quem diria que ela ficaria tão famosa devido a ioga", disse ele.
Topo