Últimas de Estilo de vida

Corrida de chocolate é atração de festival na Nova Zelândia

Giovana Vitola

De Sydney para a BBC Brasil

Uma corrida com 30 mil bolinhas de chocolate no que os organizadores chamam de rua "mais íngreme do mundo" será a grande atração do Festival do Chocolate, realizado nesta semana na cidade de Dunedin, na Nova Zelândia.
  • BBC

    As bolinhas - conhecidas como jaffas - são extremamente populares na Nova Zelândia, que consome 46 milhões de unidades por ano, equivalente a dez vezes a sua população


A competição vai ser realizada nesta sexta-feira na rua Baldwin, que a cada 2,8 metros na horizontal eleva-se a um metro. As bolinhas - conhecidas como jaffas - são extremamente populares na Nova Zelândia, que consome 46 milhões de unidades por ano, equivalente a dez vezes a sua população.

Numeradas a mão, as bolinhas podem percorrer o percurso de 350 metros em até 12 segundos. Os prêmios para os cinco primeiros colocados são, respectivamente, um cupom no valor equivalente a R$ 1.200 em mercadorias comestíveis, um outro de cerca de R$ 945 para gasolina, e um vale de aproximadamente R$ 630 em presentes diversos, além de um telefone celular e um cupom de cerca de R$125 em chocolates. O concurso ainda tem 12 prêmios de consolação.

"É um evento imperdível ver as milhares de bolinhas rolando, principalmente sabendo que a verba arrecadada com a venda dos bilhetes é destinada à caridade", explicou a coordenadora do evento que agrega milhares de espectadores todo ano, Lee Anne Anderson.

A pintura com chocolate é outro dos eventos do festival
A nona edição do festival, que no seu primeiro dia registrou cinco mil visitantes, ainda inclui atividades como aulas de chocolate, arte, esculturas e pinturas com chocolate, terapia de chocolate e tratamentos faciais usando chocolate, num total de 50 eventos ao redor da cidade.

Em outro evento do carnaval de inverno deste ano, como também é chamado o festival, um trem de chocolate crocante trouxe surpresas para os passageiros, incluindo uma caça a barras de chocolates crocantes e um assalto de brincadeira, quando "ladrões" invadiram o trem para roubar chocolates, até a chegada de um xerife, numa próxima estação, para prender os "bandidos".

"O festival é uma atração fantástica para famílias, e diverte tanto moradores locais como visitantes de outros lugares", disse Kim Newman, do governo da cidade.

No ano passado o evento arrecadou R$ 90 mil para associações beneficentes e escolas.
Topo