Vídeos

Emoções fazem britânica com síndrome rara passar mal cem vezes ao dia

A britânica Sharon Wilson sofre de uma doença pouco conhecida que faz com que ela vomite repetidamente sempre que fica empolgada com alguma coisa.

Foi o que aconteceu quando seu marido a surpreendeu com uma viagem para Paris. Ela vomitou mais de 140 vezes em 24 horas. Durante episódios como esse, Wilson vomita praticamente a cada dez minutos, até que seu corpo não aguenta mais e ela dorme.

"Quando fomos para Las Vegas renovar nossos votos de casamento nas nossas Bodas de Prata, eu fiquei tão mal que quase não conseguia sair do hotel. Nós deveríamos estar nos divertindo como nunca e eu estava com a cabeça enfiada dentro de uma privada", conta a britânica.

Moradora de Doncaster, no norte da Inglaterra, a assistente social sofreu com os sintomas por mais de dez anos até ser diagnosticada com a síndrome dos vômitos cíclicos (SVC).

"Como não há um teste específico para identificar a síndrome, os médicos tentam de tudo antes de dar o diagnóstico", diz a vice-presidente da Associação Britânica da Síndrome dos Vômitos Cíclicos, Gill McRonald.

"Ressonância Magnética para excluir tumor no cérebro, exames para diagnosticar doenças intestinais... Apenas quando tudo dá negativo, eles acreditam que o paciente tem síndrome dos vômitos cíclicos", acrescenta.

Os médicos ainda não sabem muito sobre a ocorrência de SVC em adultos, mas há vários estudos científicos sobre crianças em idade escolar que têm a doença.

Pesquisas realizadas na Austrália e na Escócia indicam que cerca de 2% delas sofrem da síndrome, com sintomas que variam de brandos a extremamente graves.

Empolgação

Para muitos pacientes com SVC, os ataques de vômito são provocados por alguma infecção ou vírus, enquanto para outros os episódios acontecem em momentos de estresse e ansiedade. Para alguns pacientes, não há um motivo específico para que a síndrome se manifeste.

Mas no caso de Sharon Wilson, sempre que ela ficava levemente animada com alguma coisa, começava a sentir enjoos.

"Se eu tenho algo bom planejado para o dia seguinte, eu normalmente começo a me sentir tonta às 21h. Às 21h30, estou muito mal e normalmente fico acordada a noite inteira", conta Wilson. "Se conseguir evitar uma ida ao hospital, eu me considero sortuda."

Durante crises agudas, os pacientes que sofrem de SVC precisam ser tratados com uma infusão intravenosa de cloreto de sódio e cloreto de potássio.

"A síndrome pode ser tão violenta que os pacientes não conseguem se preocupar com a própria aparência e, ao chegar ao hospital, acabam sendo confundidos com mendigos ou usuários de drogas, por causa da incoerência causada pelos sintomas", diz McRonald.

"Em setembro de 2009, um rapaz britânico de 23 anos morreu por não ter ido ao hospital receber o soro", acrescenta. "A autópsia registrou a causa da morte como arritmia cardíaca causada por deficiência de potássio provocada por vômito cíclico."

Tratamento

Não há um tratamento reconhecido para a Síndrome dos Vômitos Cíclicos, mas alguns remédios são usados para tentar prevenir os sintomas.

Há cerca de seis meses, Sharon Wilson começou a tomar o antidepressivo amitriptilina, também usado no tratamento de enxaquecas. Quando começa a sentir os primeiros sintomas, ela toma também o sedativo e anticonvulsivo diazepan.

Desde então, ela não teve nenhum ataque de vômito.

"Só o tempo vai dizer se a nova medicação vai funcionar a longo prazo, mas por enquanto estou adorando ter alguma animação na minha vida sem passar dias no banheiro", conta a britânica.

Topo