Últimas de Estilo de vida

Pele jovem e adolescente exige cuidados específicos

ISABELA LEAL

Colaboração para o UOL

Ao terminar a infância, um mundo novo se abre. E junto com tantas novidades – físicas, emocionais e psicológicas – o adolescente ainda tem que conviver com as transformações na pele, que aparecem em forma de cravos e espinhas, de maneira estrondosa, muitas vezes mexendo com sua autoestima. “A culpa é dos hormônios que nesse período estão borbulhando e agem diretamente nas glândulas sebáceas, estimulando a produção de sebo, que entope os poros formando os cravos que, quando inflamam, se transformam em espinhas e em alguns casos formam cistos”, justifica o dermatologista Murilo Drummond, professor do Instituto de Pós Graduação Médica Carlos Chagas, no Rio de Janeiro.

 

  • Getty Images

    Limpeza da pele com produtos específios é uma das principais recomendações de dermatologistas para adolescentes

De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia, a acne é a maior reclamação de meninos e meninas a partir de 14 anos de idade. “Nessa fase, cerca de 90% das queixas estão relacionadas à acne”, quantifica a dermatologista Maria Bussade, de São Paulo. Não é para menos. “Além da produção exagerada de sebo, outros fatores contribuem para o problema como predisposição genética, menstruação irregular, proliferação bacteriana na pele, higiene inadequada e uso abusivo de cosméticos e maquiagens”, explica a dermatologista Luciane Miot, da Faculdade de Medicina de Botucatu (SP), da Universidade Estadual Paulista (Unesp). “E junto com a acne, ainda que com uma incidência menor, podem surgir outros problemas de pele como as sardas por causa da exposição solar sem proteção adequada; caspa; dermatite atópica; psoríase (descamação superficial da pele) e verrugas”, lembra Luciane. E não é só. “As meninas ainda têm um agravante, que é o excesso de cosméticos, algumas vezes inadequados, e o abuso de maquiagem, que causam a dermatite de contato”, complementa Maria Bussade.

 

Uma boa higiene: esse é o segredo

Entre os cuidados diários é imprescindível uma higiene bem feita e o uso de cosméticos adequados. “O adolescente precisa estar consciente de que será uma batalha constante, pois necessitará de alguns anos de dedicação e cuidado até que passe a fase crítica”, alerta Murilo Drummond. Enquanto o período difícil não passa é bom deixar a preguiça de lado e lavar o rosto pelo menos três vezes ao dia, com um sabonete líquido ou em barra suave e livre de óleo (oil free), com água morna ou fria, jamais quente, para não estimular a produção de sebo. “Os sabonetes precisam ser anticépticos e bactericidas. Muitas marcas especificam isso no rótulo, mas quando não vem denominado, basta ver se na lista de ingredientes contém triclosan ou irgasan, substâncias com essas propriedades”, complementa Murilo, que recomenda uma higiene com sabonete líquido, por ser menos ‘químico’ do que as versões em barra.

 

O segundo passo é aplicar um tônico calmante. “Os mais indicados devem conter chá verde, camomila ou salix peel, para amenizar o brilho visível e regular o Ph da pele”, recomenda Maria Bussade. Para saber se o produto contém tais ativos basta ler a lista de ingredientes no rótulo. Depois de tonificar, é hora de aplicar o hidratante. “Que deve ser em gel. É melhor evitar as versões em creme ou loção, a não ser que sejam específicas para peles oleosas”, ensina a médica. “É importante evitar produtos que ressequem demais a pele, como os que contêm álcool, porque posteriormente podem provocar mais oleosidade”, aconselha Luciane Miot, de Botucatu.

 

Esfoliar a pele duas vezes por semana também deve fazer parte do ritual de limpeza do jovem e adolescente. “Mas é bom que seja com abrasivos fracos como sabonetes com grãos de bambu, micro grânulos ou apricot, para não irritar muito a pele”, ensina a dermatologista Maria Bussade.

 

E, atenção meninas: “para retirar a maquiagem, escolham sempre um demaquilante à base água, ou seja, aqueles aguados transparentes, nunca os oleosos, esses são apenas para a região dos olhos, área onde a pele é muito fina e sensível”, alerta Maria Bussade. E para concluir: já que filtro solar é obrigatório para todos, nessa fase da vida a versão oil free ou em gel são as mais indicadas.

  • Getty Images

    Manipular ou apertar cravos e espinhas é proibido por especialistas; eles podem formar cicatrizes e manchas

Do lado oposto


Ao contrário da maioria, alguns adolescentes apresentam pele seca como resultado de processos alérgicos. “Embora isso ocorra em menor porcentagem, indivíduos com tendência a rinite, asma e dermatite atópica costumam apresentar pele seca e também aqueles com predisposição genética”, diz Luciane Miot, da Unesp. “Nesses casos é fundamental evitar o uso de sabões que fazem muita espuma e reduzir a temperatura da água do chuveiro e o tempo dos banhos”, recomenda a dermatologista Neide Kalil Gaspar, diretora da Dermatologia do Hospital Universitário da Universidade Federal Fluminense (UFF), de Niterói (RJ).

Na prateleira


Algumas marcas de cosméticos já têm linhas exclusivas para a faixa etária adolescente, outras, porém, ainda não dispõem de um portfólio tão específico. Os dermatologistas afirmam, no entanto, que não há problema em utilizar produtos convencionais, isto é, para adultos, mas com uma ressalva: é bom que tenha indicação médica. “Tudo depende da idade. Até os 12 anos é preciso cuidado com o uso de diversos produtos, pois correm o risco de irritar a pele tão jovem. A partir dos 13 anos, os cosméticos para adultos podem ser utilizados, mas antes é bom que se tenha avaliação adequada de um dermatologista, pois algumas substâncias podem modificar a estrutura da pele tornando-a mais sensível”, justifica Luciane Miot. Nos casos mais difíceis de tratar – como lesões inflamadas e oleosidade incontrolável – os médicos indicam tratamentos com peelings, ácidos, antibióticos e medicamentos orais – mas todos eles precisam de recomendação de um dermatologista, pois alguns têm efeitos colaterais graves, que comprometem a saúde.

 

Dicas preciosas para uma pele saudável

Cinco atitudes que são verdadeiros pecados quando
o assunto é pele e adolescência
1 – Nunca apertar ou manipular cravos e espinhas, isso pode aumentar a infecção no local e favorecer a formação de cicatrizes ou manchas
2 – Jamais tomar sol sem proteção, as lesões inflamadas podem se transformar em manchas difíceis de tratar e eliminar
3 – Não usar maquiagem em excesso ou dormir sem lavar o rosto, esse hábito deixa os poros “tampados” e contribui para a formação ou piora dos cravos e espinhas
4 – Jamais fazer limpeza de pele com alguém que não seja um profissional habilitado (a melhor opção são as esteticistas de clínicas dermatológicas, pois são orientadas por médicos), já que a manipulação incorreta da pele aumenta as infecções e a formação de manchas e cicatrizes
5 – Ainda não há nada comprovado, mas o melhor é reduzir o consumo de alimentos com alto índice glicêmico como doces, chocolates, pães, biscoitos, bolachas recheadas, macarrão e arroz branco. Eles disparam a insulina, que por sua vez estimula o hormônio cortisol que tem ligação direta com as glândulas sebáceas

 

 

Topo