Últimas de Estilo de vida

Com Raquel Zimmermann, inverno começa forte e em branco no SPFW

De São Paulo

A Animale há muito tempo abandonou, pelo menos na passarela, seu apelo sexy óbvio e suas estampas de onça. Do mundo animal, sobrou a força e a inspiração na selaria para criar uma coleção que abriu bem a edição para o inverno 2011 do São Paulo Fashion Week, Raquel Zimmermann, uma das grandes modelos brasileiras de renome mundial, cortou a fita da passarela ao entrar de vestido branco de tricô, com recortes feitos a partir da trama mais aberta ou mais fechada do trabalho artesanal, o que provocou texturas e transparências em níveis diferentes.


Outros looks em tons claros mostraram como o inverno fica chique em branco. Ou em "off white", o tom de branco sujo e exato da cartela de cores da grife. As selas apareceram misturadas à alfaiataria e deram estrutura nos quadris, em espécies de ancas sobrepostas, geralmente acopladas às saias afuniladas, calças e shorts. Em outros momentos, como no look usado por Bruna Tenório, o desenho duro da sela se transformou num colete que se transformou numa blusa pelada nas costas.

A sisudez da alfaiataria e da geometria foi quebrada com a fluidez da organza, delicada e leitosa, usada em saiotinhos, em blusas e em outros detalhes. O couro apareceu fininho e em momentos muito criativos, como no vestido longo em verde petróleo com estampa "pied-de-poule" (clássica, que parece um xadrezinho meio torto). A parte das túnicas foi a única que pareceu um pouco deslocada numa coleção que tem obrigação de ser encontrada nas lojas (a Animale geralmente não comercializa quase nada do que desfila). (Carolina Vasone)

 

Ficha Técnica


Inspiração:  Selaria
Tecidos: Organza de seda, couro, tricôs
Formas: Estruturadas e geométricas X fluidez e textura
Cores: Branco off-white, preto, verde petróleo, laranja, amarelo
Estilo: Priscilla Darolt
Stylist: Luis Fiod
Beleza: Max Weber
Trilha Sonora: Hugo Frasa
Cenário: Fernando Freitas

Topo