Comportamento

Sete passos para encontrar o seu príncipe

Marie-Louise Gumuchian

LONDRES (Reuters) - Quer seguir os passos de Kate Middleton e se casar com um príncipe? Bem, esqueça o truque de beijar sapos e tente jogar tênis ou colocar sapatos de festa.

A rede social online Badoo (www.badoo.com) publicou as "Sete Regras de Ouro" para encontrar um príncipe, após a realização de um estudo de 107 romances reais desde a Segunda Guerra Mundial.

O site disse que a melhor estratégia é trabalhar na mídia ou no showbusiness, frequentar a universidade -- idealmente Cambridge -- onde se deve praticar um esporte -- tênis é o ideal. Então, pegue seus sapatos de festa e vá a destinos na Europa, especialmente em Mônaco ou Escandinávia.

"Até agora, a única estratégia conhecida para encontrar um príncipe foi beijar muitos sapos", disse Lloyd Price, diretor de marketing da Badoo. "Nós produzimos a primeira estratégia prática com base na análise de dados concretos."

Como Middleton conheceu o príncipe William enquanto estudava na Universidade de St. Andrews, o Badoo disse que a universidade é o "novo mercado do casamento real."

"Tenha como objetivo uma universidade de topo, uma vez que os príncipes são mais propensos a frequentar uma delas. Melhor ainda, busque Cambridge, a única universidade do estudo do Badoo que produziu dois romances reais."

Príncipes europeus são muito mais propensos ao romance com plebeias e estrangeiras em comparação com outros príncipes, segundo o Badoo.

"Apenas 6 por cento dos príncipes europeus no estudo do Badoo namoraram mulheres de sangue nobre, em comparação com 26 por cento dos príncipes do resto do mundo."

As festas também são fundamentais para encontrar um cônjuge real.

"As festas são os novos sapos. Quanto mais você for a festas, melhores suas chances de encontrar um príncipe", disse. "É claro que nem todas as festas são iguais. As melhores são aquelas dadas por amigos em comum."

Você também pode encontrar seu príncipe através do esporte: "Jogar ou assistir a um esporte é uma boa maneira de conhecer príncipes, especialmente os europeus."

"Mas alguns esportes -- como o polo, natação, ou, acima de tudo, o tênis -- oferecem melhores perspectivas do que outros, como, por exemplo, o vôlei de praia ou os dardos."

Você não precisa se preocupar se não for nobre -- cerca de 71 por cento das mulheres que namoraram príncipes europeus eram plebeias, segundo o Badoo.

"Além do mais, existem mais príncipes por aí do que você imagina. Aristocratas europeus e ex-membros da realeza ainda têm direito de se chamar de 'príncipe'", disse.

Topo