UOL Estilo UOL Estilo

12/02/2009 - 06h00

Despojamento é tendência na decoração de casamento; veja dicas para a festa

DANIELA SALÚ
Da Redação
Na hora de organizar um casamento, o que não faltam são detalhes para acertar. A decoração é apenas um deles, e seu resultado final vai depender de uma série de fatores, que levam em conta desde o desejo dos noivos, até o local em que será realizado, passando, é claro, pelo orçamento. Para alguns profissionais da área ouvidos pelo UOL Estilo, as cerimônias estão ficando mais despojadas e sem excessos. "Com a crise, a ordem agora é o sofisticado sem ostentação. O pouco e o bom", afirma a decoradora Renata Chapchap, de São Paulo. Veja abaixo algumas dicas para acertar na decoração da celebração, evitando micos e economizando no orçamento. No álbum de fotos você encontra mais sugestões e exemplos para se inspirar.

Fotos: Veja diferentes tipos de decoração para se inspirar

Divulgação

Divulgação

Decoração usada em um casamento na praia, com cores fortes e flores tropicais


Sem cerimônia: Os próprios noivos cuidam cada vez mais dos arranjos para a festa, o que acaba refletindo um gosto mais jovem do que na época em que os pais eram determinantes na concepção do casamento. Assim, cerimônias religiosas acabam sendo deixadas de lado, ou ocorrem no mesmo local da festa, facilitando a vida dos convidados. Uma infinidade de mesas suficientes para que todos permaneçam sentados também deixou de ser um item obrigatório. "O casamento está ficando mais dinâmico. As pessoas não querem mais uma festa engessada com todos sentados", diz a decoradora Vanessa Barros, do Boutique de Cena, de São Paulo. Segundo ela, lounges estão sendo muito pedidos, onde sofás, poltronas e pufes dominam o ambiente, estimulando a circulação das pessoas. Nos casamentos em que as mesas são mantidas, pode-se fazer um mix de formatos, materiais e tamanhos variados: quadradas, redondas, de vidro, de espelho, de madeira, forrada de tecidos, etc. "A maior parte das pessoas se cansou um pouco daquele mar de mesas parecendo um restaurante", diz o decorador Marcelo Bacchin, de São Paulo.

A céu aberto: Um casamento ao ar livre traz a possibilidade de exibir um pano de fundo paradisíaco proporcionado pela natureza, no entanto, é preciso se preparar para imprevistos climáticos. Vale a pena pagar um pouco mais para ter uma proteção em caso de chuva, mas os problemas em relação ao tempo vão além. "Toldos são seguros até certo ponto. Se até casas destelham, imagine um toldo? O problema maior nem é a chuva, mas o vento", diz o decorador Antônio Neves da Rocha, do Rio de Janeiro, que desaconselha uniões a céu aberto nesta época de chuvas e ventos fortes. A temperatura é outro fator a se considerar. Com o toldo, a tendência é aumentar o calor, criando a necessidade de um ar-condicionado. Também é importante integrar o paisagismo do entorno com a festa, sem brigar com a vegetação.

Preenchendo o vazio: Quando a escolha é por casar em um local fechado, a criatividade do decorador ganha importância. Os espaços para eventos no estilo "caixa branca" são cada vez mais comuns, e precisam de alguns elementos certeiros para criar uma sensação de aconchego. A iluminação é responsável por boa parte deste papel, especialmente se trouxer velas. Árvores e folhagens trazidas para dentro do ambiente também colaboram positivamente. Painéis de espelho e janelas falsas colaboram para criar uma impressão de grandiosidade e aprofundar o espaço.

Dia x noite: Não é uma regra, mas, em geral, casamentos diurnos permitem mais despojamento, enquanto os noturnos trazem mais sofisticação. Há ainda a possibilidade de um casamento começar durante o dia e avançar pela noite, exigindo uma decoração que possa ser facilmente adaptada com a mudança da luz natural. Velas, por exemplo, podem passar o dia apagadas e serem acesas por um garçom ao cair da noite. No casamento diurno, são bem-vindos tecidos naturais como algodão e linho listrados, xadrezes e florais, assim como flores mais simples, como margarida e flores do campo. A festa noturna abre espaço para o glamour de peças e tecidos com um certo brilho, como cristais, espelhos, seda, shantung, e flores mais sofisticadas, como orquídeas, rosas colombianas e lírio casablanca.

Divulgação

Divulgação

Arranjo sempre baixo ou bem alto para não atrapalhar a conversa dos convidados na mesa


Economia com beleza: Casamento quase sempre rima com orçamento apertado, mas é possível economizar na decoração sem deixar a festa com uma aparência caída. A escolha das flores é um dos itens que pode mudar bastante as cifras finais. Assim como as frutas, as flores também têm suas épocas de fartura ou falta, e isso faz toda a diferença no preço. Também há sempre os exemplares mais em conta, e os mais sofisticados, como tulipas e orquídeas, muitas vezes importados, e não significa que um arranjo feito com flores simples não possa ser bonito. Outra opção é pensar em folhagens, geralmente mais baratas que flores, que podem ser usadas sozinhas ou combinadas com flores mais em conta, velas e diferentes tipos de vasos, conseguindo um belo efeito. Velas dentro de vidros são uma ótima relação custo-benefício: deixam a impressão de fartura, sem gasto. Outra recomendação é utilizar móveis, toalhas e louças que já existam, sem encomendar algo personalizado - quanto maior a exclusividade, maior o preço.

Cuidado com o mico: Para que tudo corra bem em um dia tão especial, atente para alguns detalhes importantes, sem esquecer que as pessoas irão beber em graus variados, e ter reações idem. Velas e a iluminação em geral merecem o cuidado de um profissional. "Já vi festa dar curto-circuito e pegar fogo. A iluminação precisa estar bem vedada, tudo enrolado com fita, e sem exageros nas velas", diz a decoradora Ivone Dominguez, de São Paulo. O ideal é que as velas estejam sempre protegidas por vidros. Outro ponto são as flores escolhidas para os arranjos de mesa. A altura não pode atrapalhar a conversa dos convidados, impedindo o campo visual, e o perfume não deve ser forte, evitando incômodos durante a refeição. Evite tapetes no salão que possam virar uma fonte de tropeções e providencie sempre uma mesa mais distante do som para que as pessoas possam conversar com tranquilidade.



Consultoria:

Antônio Neves da Rocha, decorador. Tel. 0/XX/21 2551-5266
Ivone Dominguez, decoradora. Tel. 0/XX/11 5524-5001
Marcelo Bacchin, decorador. Tel. 0/XX/11 3722-3339
Renata Chapchap, decoradora. Tel. 0/XX/11 3068-8990
Vanessa Barros, decoradora do Boutique de Cena. Tel. 0/XX/11 2533-6722

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host