Vida saudável

"Dia do lixo" na dieta: saiba o que é, quando fazer e o que comer

iStock
Fazer dieta não é fácil; por isso, existe o "dia do lixo", compensação pelo esforço alimentar feito durante vários dias seguidos imagem: iStock

Ana Elisa Faria

Do UOL, em São Paulo

Seguir uma dieta à risca é difícil e, por isso, muita gente adota o "dia do lixo", espécie de data compensatória para extravasar e comer tudo --ou quase tudo.

Também chamada de "day off", dia de gordice ou de "jacar", essa escapada pode durar 24 horas, mas, geralmente, é feita durante uma refeição semanal em que a pessoa elege para saborear aquele prato do qual há tempos não sente nem o cheiro.

A pedido do UOL, as nutricionistas Clarissa Fujiwara, mestre em ciências pela USP e coordenadora de nutrição da liga de obesidade infantil do HC-FMUSP, e Patricia Cruz, mestre em saúde pública pela USP, explicam melhor esse famigerado dia.

Lixo de comer?

  • Por que "dia do lixo"?

    Segundo as especialistas consultadas, essa folga, bastante famosa no universo fitness, nasceu com os fisiculturistas, que têm uma alimentação extremamente restrita, e foi difundida por seguidores de regimes da moda. De acordo com Patricia Cruz, o "dia do lixo" só vai existir quando a dieta for muito proibitiva. "Em uma alimentação equilibrada, essa prática não existe", diz. Muitos nutricionistas, no entanto, não gostam de chamar esse dia assim. "Não existem alimentos-lixos. Existem escolhas, frequência e quantidades inadequadas", ressalta Patricia. Clarissa Fujiwara, por sua vez, prefere chamar esse intervalo de dia livre ou "day off".

  • Posso sair da dieta o dia inteiro?

    Não é bem assim. Embora o descanso do regime seja popularmente conhecido como "dia do lixo", essa folga da dieta, geralmente, não dura 24 horas. O mais comum é escolher um momento para extravasar. "Normalmente, a pessoa seleciona uma refeição e a faz com quantidades maiores do que as habituais ou até mesmo com a qualidade diferente do que está acostumada", esclarece Clarissa. "Quando o plano nutricional não permite muitos alimentos, os profissionais pedem para que o paciente, depois de cinco, seis dias de dieta, eleja uma única refeição para comer o que deseja", diz Patricia. Ela conta, ainda, que já recebeu pacientes que faziam o dia inteiro mesmo. "Ele já acordava comendo ovo com mortadela, almoçava em fast-food e jantava pizza".

  • A partir de quando posso ter uma folga da dieta?

    Para a nutricionista Clarissa Fujiwara, o ideal é propor não um dia inteiro livre, mas refeições pontuais especiais quando o paciente já atingiu a meta recomendada ou está próximo dela. "Para quem está no início de uma reeducação alimentar e ainda tem um longo processo a seguir, o 'day off' pode até sabotar, uma vez que a pessoa acaba criando muitas expectativas em torno dessa folga e, às vezes, come em excesso, o que, depois, gera uma frustração que não contribui para o tratamento".

  • O que comer nesse "day off"?

    Não existe um cardápio fechado para esse momento. Depende do gosto de cada um: tem quem se jogue no doce ou os que prefiram os pratos salgados. Segundo Clarissa Fujiwara, usualmente são consumidos ingredientes que fogem do padrão alimentar da pessoa. Patricia Cruz diz que os campeões do "dia do lixo" são alimentos com valor calórico mais alto ou com perfil mais rico em gordura ou açúcar do que as pessoas estão habituadas a comer. Nessa lista entram, por exemplo, pizza, hambúrguer, bebidas alcoólicas, batata frita, petit gateau, chocolate e sorvete.

  • Existem alimentos que precisam ser evitados até nesse descanso?

    "Não é porque é 'day off' que precisa pirar completamente e comer muito açúcar, todo tipo de fritura, biscoito recheado e afins. Existem comidas que não devem fazer parte da alimentação de ninguém, até mesmo no 'dia do lixo', como os alimentos ultraprocessados e os que têm gordura trans", alerta a nutricionista Clarissa Fujiwara.

  • O "dia do lixo" engorda?

    De acordo com a nutricionista Patricia Cruz, "tem gente que não emagrece fazendo o 'dia do lixo'". "É comum a pessoa se soltar e pensar: 'já que hoje pode, vou comer tudo porque amanhã não terei nada disso'", diz. "Geralmente, o retorno para a dieta controlada no dia seguinte fica mais difícil por conta das alterações de paladar. No 'day off', são consumidos alimentos ricos em gordura, açúcar e sal, ou seja, aqueles que estufam mais e isso causa a perda da percepção de saciedade. Então, quando as pessoas cometem o 'dia do lixo', voltam quase para a estaca zero do regime".

Topo