Alimentação

Site da 'dieta da princesa' chega à Rússia e linha de produtos será lançada no BR

Em Paris

Os promotores da controversa dieta do doutor Dukan, um regime alimentar a base de proteínas e farelo de aveia, querem divulgar seu método no Brasil e na Rússia depois de tê-lo espalhado por Estados Unidos e China.

As receitas do médico nutricionista francês Pierre Dukan provocaram em seu país polêmicas e julgamentos e foram muito criticadas pela comunidade científica.

Na terça-feira, Dukan apresentou em Moscou a versão em russo de seu site de assessoramento ("coaching") na internet, que serve da base aos que recorrem a este regime para emagrecer.

"Nossas expectativas são enormes, estamos trabalhado nisso há mais de um ano", disse à AFP um porta-voz do grupo, Philippe Mascaras.

"Na Rússia, 30% da população é afetada" pelo sobrepeso. A conta do grupo no Vkontakte, o equivalente do Facebook na Rússia, já tem 400.000 seguidores.

Segundo o porta-voz, já existem sites sobre o método Dukan nos Estados Unidos, "haverá na China imediatamente e seguiremos com o Brasil", indicou Mascaras.

No Brasil, o grupo está perto de começar a segunda etapa de implantação e colocará à venda no fim de maio os produtos de seu regime, que proíbe comer açúcar, farinhas ou gorduras.

As vendas serão feitas em um primeiro momento pela internet, mas o grupo está negociando com uma grande rede de distribuição para comercializar seus produtos nos supermercados.

"No Brasil, o sobrepeso afeta 45% da população e é um fenômeno em crescimento. O desenvolvimento econômico favorece a tendência a consumir produtos ricos" em substâncias que provocam o aumento de peso, explica Mascaras.

A implantação do regime Dukan é sempre precedida pelo lançamento de um livro, traduzido em 25 línguas e que já vendeu 11 milhões de exemplares em todo o mundo.

Suas receitas, popularizadas na França em 2007, se estenderam rapidamente a outros países europeus, como Espanha, Grã-Bretanha, Itália, Polônia e Alemanha, antes de cruzar o oceano em direção aos Estados Unidos.

Agora, os países emergentes são os que parecem mais preocupados pelas questões de sobrepeso, depois dos Estados Unidos, onde 60% da população sofre com obesidade.

"Isso se deve à ocidentalização, ao consumo de produtos com muitas calorias, ao excesso de marketing e de comunicação", indicou o porta-voz do regime Dukan.

O faturamento do grupo alcançou 38 milhões de euros em 2012, contra 27,7 milhões em 2011.

Topo