Vida saudável

Ovos e carne moída crua: a inacreditável dieta da mulher mais velha do mundo

O Guinness World Records, o "Livro dos Recordes", confirmou nesta semana que a italiana Emma Morano, de 116 anos, é a pessoa mais velha do mundo.

Nascida em 29 de novembro de 1899, ela é a única pessoa do mundo que já viveu por três séculos, segundo a publicação.
 
Em uma reportagem no jornal New York Times feita em 2015, Morano afirmou que vive tanto pelo fato de ser independente. Mas também falou de seus hábitos alimentares.
 
A "supercentenária" disse que come três ovos por dia --dois crus e um cozido. E faz isso há 90 anos, desde que um médico a recomendou que se tratasse de uma anemia.
 
Morano complementa o consumo de proteína pura com porções de carne moída crua.
 
Além disso, a centenária gosta de massas e, no café da manhã, toma leite com biscoitos.
 
Verduras
Ao contrário do que recomendam os especialistas e profissionais de saúde, Emma Morano come quantidade insuficiente de verduras, de acordo com entrevista do próprio médico da idosa, Carlo Bava, à agência de notícias AFP.
 
Morano gosta de brandy caseiro e doces e até hoje ocasionalmente come chocolate e doce de maçã com bolachas de sobremesa.
 
Os amigos que visitam a idosa muitas vezes a presenteiam com uma colomba, a torta típica italiana feita de manteiga e ovos. Ela também ganha panetones na época do Natal.
 
Solteira
Emma Morano também credita sua longevidade à sua independência --e a sua solteirice de longa data.
 
Ela nasceu na cidade de Civiasco, região de Piemonte, no norte da Itália, no mesmo ano em que Guglielmo Marconi fez a primeira transmissão de um sinal de rádio através do Canal da Mancha, em 1899.
 
Morano é de uma família de oito filhos: teve três irmãos e quatro irmãs e é a única sobrevivente entre todos eles.
 
O grande amor da italiana não regressou vivo da Primeira Guerra Mundial e, em 1926, ela acabou se casando com outro homem --que, mais tarde, passou a se comportar de modo violento.
 
Ela teve um filho que morreu quando ainda era criança.
 
Sem conseguir ser feliz, ela abandonou o marido em 1938, algo pouco comum na época --sobretudo na Itália, país de forte influência da Igreja Católica.
 
Morano então teve que trabalhar em uma fábrica de sacos de juta e, em seguida, conseguiu um emprego como cozinheira.
 
A centenária afirma que, depois de se separar do marido, teve muitos pretendentes, mas nunca mais se casou. "Não queria ser dominada por ninguém", disse ela ao New York Times.
 
'Velha como as montanhas'
Quando foi informada que era considerada a pessoa mais velha do mundo, a reação de Emma Morano foi bem-humorada: "Caramba! Sou velha como as montanhas".
 
Segundo Rosi Santoni, parente que cuida dela, Morano está "muito contente" com o título.
 
Santoni disse ao jornal britânico The Telegraph que Morano tem boa saúde, levando em conta sua idade, e é uma pessoa muito positiva.
 
Mas a italiana tem uma vida social restrita, não apenas porque não escuta e nem enxerga muito bem, mas porque "todos seus amigos estão no cemitério".
 
Faz muitos anos que Morano não sai de casa, porque se cansa muito rapidamente. Ela também dorme um pouco durante o dia, depois do almoço.
 
Emma Morano foi considerada a pessoa mais velha do mundo depois da morte, no dia 13 de maio, em Nova York, de Susannah Muchatt Jones, que também tinha 116 anos.
 
Jones, por sua vez, tampouco seguia a dieta mais recomendada por nutricionistas e atribuía sua longa vida ao consumo de ovos com bacon.
Topo