Alimentação

'Precisei me afastar do meu marido por 10 semanas para perder peso'

BBC Renegade Pictures/Montagem
Casal Celena e Pete antes (à esquerda) e depois (à direita) do programa de perda de peso imagem: BBC Renegade Pictures/Montagem

A britânica Celena ganhou 32 quilos durante os três primeiros anos do relacionamento com seu marido, Pete.

Neste depoimento à BBC, ela conta como conseguiu romper um ciclo de alimentação pouco saudável ao se afastar de Pete por dez semanas. E ele conta como percebeu o quanto seus hábitos alimentares prejudicavam o casal.
 
O depoimento de Celena: sem olhar no espelho
"Há um ano, eu me negava a me olhar em espelhos de corpo inteiro. Minha barriga, enorme, me dava nojo.
 
Vivia usando meias ou calças e camisetas largas tipo túnicas compradas em lojas de tamanhos grandes para esconder minha silhueta.
 
Mas se você me conhecesse naquela época, não adivinharia (o que se passava).
 
Eu sempre estava com uma cara boa, mesmo quando não estava feliz comigo mesma. Nem sequer meu marido, Pete, sabia o quanto eu me sentia mal.
 
Mas ele era exatamente uma das razões pelas quais eu pesava 140 quilos.
 
Relação e separação
Pete e eu nos conhecemos há três anos.
 
E eu já estava com sobrepeso, mas durante nossa relação continuei ganhando quilos e quilos.
 
Era ele que normalmente cozinhava e servia porções muito grandes. Era sua forma de mostrar que gostava de mim.
 
Se eu pedia para ele comprar uma barra de chocolate, ele chegava em casa com cinco.
 
Fomos alimentando nossos maus hábitos mutuamente. Também pedíamos comida chinesa para viagem ou pizza duas vezes por semana.
 
Nós dois temos filhos de relacionamentos anteriores e nos fins de semana costumávamos comer fora, incluindo doces como sorvete.
 
Após o nascimento do nosso filho, Cameron, não consegui perder o peso que havia ganhado durante a gravidez.
 
Esta é uma das razões pelas quais eu queria participar do programa "Perca Peso por Amor", da BBC.
 
Como parte do programa, nos separamos durante dez semanas, enquanto cada um trabalhava para resolver seus próprios problemas com a comida e com o sedentarismo.
 
Achei que se tentássemos fazer isso juntos, terminaríamos nos sabotando mutuamente.
 
Fiquei morando na nossa casa em Warrington, na Inglaterra, com as crianças, enquanto Pete se mudou para a casa de sua irmã, em Wirral, perto de Liverpool.
 
Foi muito duro, já que até então não havíamos passado sequer uma noite separados desde o começo da nossa relação. Mas eu sabia que era algo que tínhamos que fazer.
 
Acabara de começar a me preparar para ser parteira e não queria me sentir hipócrita ao falar com as mulheres sobre os perigos da obesidade durante a gravidez quando eu mesma não conseguia controlar meu próprio peso.
 
Enfrentar os medos
Conheci a psicóloga Tanya Byron, que me ajudou a enfrentar o que eu sentia por mim mesma. Não sou uma pessoa emotiva, mas em nossas conversas eu sempre terminava chorando.
 
'Não se pode esperar para ser feliz. Se você pensar: 'vou ser feliz quando perder x quilos', nunca vai conseguir', ela me dizia.
 
Fizemos alguns exercícios para aumentar minha confiança. Em uma ocasião, o produtor do programa me telefonou e disse que eu me encontraria com Tanya no dia seguinte.
 
E acrescentou: 'vista-se como você quiser, mas Tanya disse que seria bom você depilar a perna'. Pensei que iríamos à pedicure.
 
Mas quando chegou o dia seguinte, me disseram que eu iria posar como modelo para uma aula de arte.
 
Me enrolei com um lençol debaixo do braço até a panturrilha para cobrir meu corpo, mas ainda sentia pânico absoluto.
 
Sabia que os artistas estariam estudando cada uma das minhas curvas em vez de focar na minha personalidade, e isso me fazia sentir muito vulnerável. Estava tremendo durante a primeira sessão.
 
Logo tive a oportunidade de olhar o que eles haviam desenhado.
 
Me viram de forma tão diferente de como eu mesma me vejo. Achei que tinham me desenhado muito maior e isso fez eu me dar conta de como eu estava equivocada.
 
Me senti fortalecida e até desfrutei da segunda e da terceira sessões. No final mostrei muito mais do que minhas pernas!
 
Foi um ponto de inflexão muito importante para mim, especialmente porque era algo que eu havia feito por minha conta.
 
Prova de vestido
Também fomos a uma loja de vestidos de noivas.
 
Eu havia me negado a me casar porque tinha vergonha demais de provar o vestido de noiva, mas me preparei para enfrentar esse medo com a ajuda da Tanya. Uma vez provado o vestido, me dei conta de que na verdade ficava bem.
 
Enquanto minha confiança crescia, o mesmo acontecia com minha motivação para seguir o plano nutricional e a rotina de exercícios que os especialistas haviam elaborado.
 
Eu era capaz de me concentrar em comer corretamente, já que não tinha que me preocupar com o que Pete pensava das comidas.
 
Quando perdia peso, em ocasiões prévias, ele sugeria pedir comida para celebrar quando eu havia conseguido emagrecer, o que arruinava o esforço.
 
Minha amiga Trisha também começou a ir à academia comigo, e a gente se exercitava no jardim.
 
Sou aprendiz de parteira e trabalho em turnos noturnos regulares, o que dificulta qualquer dieta, já que faço refeições em horários estranhos. Como carboidratos nas primeiras horas e sempre há caixas de bombons e biscoitos deixadas pelas mães para agradecer.
 
Comecei a trazer cenourinhas e pepino para comer no lugar disso.
 
Reencontro
Depois de dez semanas separados, Pete e eu nos reunimos. Estava tão emocionada quando o vi!
 
Ele havia enfrentado seus próprios problemas e havia perdido 16 kg em gordura e ganhado 10 kg de músculo. Estava muito mais em forma e havia superado seu medo de comer verduras.
 
Agora não há nada que ele não prove.
 
Apesar disso, ele não me contou todos os detalhes do que passou. Queria que fosse uma surpresa quando víssemos o programa juntos.
 
Durante a pesagem final, descobri que perdi 19 quilos.
 
Ainda vou à academia. Tenho um plano familiar agora e vou sempre com minha filha adolescente, Kailey.
 
Também vou ao meu clube de emagrecimento local para acompanhar meu peso.
 
Na hora de comer, Pete e eu servimos um prato com um terço de verduras, um terço de proteína e um terço de carboidratos. Se tenho um desejo, pode ser uma barra pequena de chocolate em vez das grandes que comia antes.
 
Agora peso 112 kg. Neste último mês, não pude me exercitar tanto porque tive provas mas, devido a minha dieta, fui capaz de manter meu peso. Isso é algo que nunca havia conseguido fazer.
 
Fui fazer compras outro dia. Me senti bem em tudo que provei. Agora coloco vestidos e calças com uma blusa mais justa.
 
Também posso me olhar no espelho. Quando vejo minhas estrias, penso: 'este é um corpo que teve dois filhos. Isso é motivo de orgulho'."
 
O depoimento de Pete: demonstração de afeto
"Minha família sempre teve maus hábitos alimentares.
 
Todas as sextas comíamos peixe e batata frita (o famoso fish and chips britânico) na hora do chá, e a gaveta das verduras na geladeira estava cheia de chocolate.
 
Era nossa maneira de mostrar que gostávamos do outro.
 
Não me dava conta que, comprando chocolate para Celena, na verdade estava piorando as coisas. Quando percebi o quanto ela estava infeliz, me senti chateado comigo mesmo por não haver pensado nisso.
 
Cresci odiando verduras e não tocava nelas mesmo quando adulto.
 
Minha maior motivação para melhorar minha saúde eram meus filhos.
 
Meu pai tem sobrepeso desde que tenho memória e agora está muito doente. Não quero que meus filhos tenham que passar por isso comigo. Quero ter uma vida longa e saudável para minha família."
 
Depoimentos cedidos à jornalista Clarire Bates.
O programa "Perca Peso por Amor" (Lose Weight for Love), da BBC One, foi transmitido em 25 de maio no Reino Unido.
Topo