Alimentação

Dieta do Dr. Atkins

Isabela Leal e Ana Paula Rafanini

Para o UOL Ciência e Saúde

O que propõe
Essa dieta foi criada pelo cardiologista americano Robert Atkins e ficou conhecida em todo o mundo como a dieta da proteína. Sua principal meta é restringir severamente a ingestão do carboidrato em todas as refeições e priorizar o consumo de proteínas, ou seja, alimentos de origem animal como carnes, ovos, peixes, bacon, embutidos, queijos amarelos.

Na primeira semana, considerada o 1º nível, as fontes de carboidratos ficam bem limitadas, sendo liberadas apenas até 20g – como 1 maçã pequena, 2 bananas prata médias, um pão francês sem miolo, 2 garfadas de macarrão ao alho e óleo ou 3 colheres (sopa) de batata inglesa cozida em cubinhos – o que de cara desencadeia um processo bioquímico em que o fígado converte gordura corporal em ácidos graxos e corpos cetônicos, substâncias que podem ser usadas pelo corpo como fonte de energia quando falta carboidratos (responsáveis por fornecer energia ao organismo). De acordo com Dr. Atkins, esse mecanismo, chamado cetose, é essencial para o emagrecimento.

Nas semanas seguintes, que representam do 2º ao 5º nível, já se permite alguns alimentos, podendo atingir até 40g de carboidratos por dia (para não errar, multiplique por 2 as opções de até 20g, citadas anteriormente). O principal argumento do médico americano é que quando o organismo está em cetose, a fome simplesmente não existe, o que leva a uma perda de peso rápida.

E mais: o organismo sofre adaptações metabólicas, onde passa a usar os corpos cetônicos como fonte de energia, poupando um pouco de glicose para o cérebro, o seu principal dependente. E com alguns dias em cetose o organismo se libera da dependência dos carboidratos e passa a utilizar as gorduras como fonte de energia, o que aumenta a saciedade.

Como é feita
É recomendado retirar das refeições todos os alimentos ricos em carboidratos. No café da manhã fica liberado abusar (sim, a dieta não tem limitações de porções) de queijos, presuntos e ovos. Uma xícara de café com leite também é permitida ou ainda uma xícara de chá.

As frutas ficam restritas às quantidades mencionadas no item “O que propõe”, com porções calculadas.

No almoço e no jantar saem de cena, arroz, massas, tubérculos, além das leguminosas como ervilha, milho, lentilha e grão-de-bico. Fica liberado carnes, ovos, embutidos, bacon, aves, peixe e verduras.

“Essa dieta foge demais dos hábitos alimentares da maioria das pessoas, talvez por isso fique difícil segui-la por muito tempo e isso pode resultar em um ganho de peso rápido, ao voltar a comer carboidratos com muita ansiedade”, argumenta a nutricionista Amélia Duarte, de Salvador.

“Outra desvantagem desse cardápio, que realmente emagrece, é não promover uma reeducação alimentar. Isso não é bom, podendo levar ao efeito sanfona”, complementa.

Promessa
Esta dieta leva a uma grande redução de peso em um curto prazo de tempo, podendo chegar a menos 8 Kg em um mês. “Porém, é bom lembrar que grande parte dessa perda compreende massa muscular, alcançando uma perda bem mais baixa de gordura. O que não é saudável para o corpo”, alerta a endocrinologista Adriana Moretti, de São Paulo.

Contraindicação
“Pode causar problemas de concentração, já que o cérebro não funciona sem glicose, e ainda libera gorduras saturadas, que em longo prazo aumentam o colesterol”, alerta Amélia. “Além disso, a falta de carboidratos pode provocar tontura, sono, alteração de humor, tremores e propensão a desmaios”, pontua Adriana Moretti. E não é só.

A baixa ingestão de fibras leva à prisão de ventre e outras doenças intestinais. Esse cardápio não é indicado para gestantes e pessoas com problemas renais, já que na primeira fase a dieta significa um esforço a mais para os rins, que eliminam corpos cetônicos pela urina. Também não deve seguir esse cardápio quem tem ácido úrico elevado.

Eu fiz
“Quando resolvi fazer a dieta das proteínas, meu principal objetivo era não precisar controlar a quantidade de porções que eu consumia, já que adoro comer; e também a promessa de perder peso rapidamente. No entanto, depois de alguns dias fiquei enjoada de carne e outras fontes de proteína, além de achar a restrição dos carboidratos quase insuportável. Outra coisa que não gostei foi que esse cardápio não prioriza o equilíbrio e a reeducação alimentar e no meu caso foi ainda pior, porque ao invés de abusar das verduras, fiquei só nas proteínas, o que não foi saudável. Mas mesmo assim achei que a dieta correspondeu às minhas expectativas (perda de peso e poder comer bastante). Em quinze dias perdi 4 kg e consegui manter meu peso por um ano”.
Tatiana Carvalho Teles, 44 anos, empresária do Rio de Janeiro

Você já fez a dieta do Dr. Atkins? Diga como foi

Topo