Alimentação

Dieta dos vigilantes do peso

Isabela Leal e Ana Paula Rafanini

Para o UOL Ciência e Saúde

O que propõe
Trata-se de um programa coletivo, com reuniões semanais. A proposta é que os integrantes adotem um estilo de vida que combine hábitos saudáveis de alimentação e a prática de exercícios físicos.

“A ideia central é promover uma redução de peso de forma gradativa e sustentável. Os associados podem comer de tudo, sem precisar abrir mão de nada. Basta cada um seguir uma tabela de pontos, de acordo com suas escolhas nutricionais, que não devem ultrapassar o número de pontos determinado”, resume Fernanda Fernandes, gerente nacional do Vigilantes do Peso.

“A proposta das reuniões de troca de experiências é útil para quem tem dificuldade em se dedicar a uma dieta. Dessa forma se torna estimulante. Mas os participantes devem ter cautela e consumir os pontos de maneira consciente, já que a tendência é cada um ‘somar’ seus pontos com seus alimentos preferidos, mesmo que eles não sejam os mais saudáveis”, alerta a nutricionista Adriana Kobayashi, da Equilibrium Healthy Food, de São Paulo.

“É preciso diversificar os alimentos, mesmo que alguém escolha frutas para gastar os seus pontos, é bom comer alimentos diferentes que sejam fontes de proteínas, fibras e carboidratos também. Mesmo sendo as frutas, itens saudáveis, é importante variar”, indica Kobayashi. Nos encontros semanais, as orientadoras dão diretrizes e apoio para uma mudança de hábito concreta e ainda pesam cada associado particularmente para acompanhar a evolução.

Como é feita
Todos os alimentos recebem uma pontuação, com base em uma fórmula patenteada pela instituição, e que considera a contagem de calorias e o consumo de fibras e gorduras.

“Controle de calorias em geral atua na perda de peso de maneira rápida. Em contrapartida, esse mecanismo favorece a recuperação dos quilos perdidos com mais facilidade”, explica a nutricionista. O associado escolhe o que comer e desconta os pontos de sua cota diária (que é determinada conforme o peso de cada um).

Em cada reunião, os associados recebem um livreto com as orientações para aquela semana. “O ideal é que varie os cardápios e adote quatro refeições diárias: café da manhã, almoço, jantar e um lanche, que pode ser feito no momento de maior necessidade, pela manhã, à tarde ou à noite – de acordo com o horário que bater uma fome inesperada”, diz Fernanda Fernandes. Além da cota diária de pontos, o programa oferece mais 35 PontosFlex semanais, que podem ser usados do jeito que o associado quiser.

Promessa
O resultado é uma perda de 900 gramas por semana, em média.

Contraindicação
Não há, pois quem adota o programa é orientado para se alimentar de forma balanceada e saudável, sem priorizar ou evitar nenhum grupo alimentar. “O ideal seria priorizar os grupos mais saudáveis como proteínas magras como as carnes brancas e as vermelhas sem gordura, vegetais, fibras, cereais, carboidratos complexos”, conclui Kobayashi. Não devem fazer o programa mulheres grávidas e crianças com menos de 10 anos.

Eu Fiz

“Cumpri as normas do programa durante seis meses e nesse período consegui emagrecer 15 kg, sem medicamento e o melhor, sem tortura! O que mais gostei foi justamente o fato de não ser dieta – não há restrições de qualquer alimento ou rigidez nas porções. Aprendi a controlar as quantidades e a fazer escolhas inteligentes. Fiquei surpresa com a rapidez do meu emagrecimento ao constatar que passei a comer muito mais do que antes, só que com um padrão saudável, pois além dos itens integrais que adotei, há uma quantidade de porções diárias necessárias de frutas, legumes, leite, gordura e água, tudo para emagrecer saudavelmente. O mais difícil foi freqüentar as reuniões semanais, mas como sabia que o apoio do grupo era muito importante, superei as dificuldades e fui. Depois que alcancei a minha meta, acabei me afastando das reuniões por um tempo, o que resultou em 5 quilos a mais. Mas já retornei aos encontros e estou apenas 1 kg acima do peso ideal. Me sinto muito bem, física e emocionalmente.”
Flávia da Silva Guimarães, 38 anos, médica do Rio de Janeiro

Você já fez a dieta dos vigilantes do peso? Diga como foi

Topo