Vida saudável

Paulo Davim registra debate sobre retirada de inibidores de apetite do mercado

Agência Senado

Em pronunciamento no Plenário, o senador Paulo Davim (PV-RN) elogiou a qualidade do debate promovido, em audiência pública sobre a retirada dos chamados inibidores de apetite do mercado brasileiro, realizada em conjunto pelas comissões de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) e de Assuntos Sociais (CAS) na manhã desta terça-feira (7).

O senador afirmou que existem no Brasil atualmente 100 milhões de pessoas com sobrepeso ou obesidade. Se os inibidores forem retirados do mercado, disse Paulo Davim, especialistas preveem que o quadro clínico de muitas pessoas obesas pode ser agravado e que o país pode ganhar cerca de 5 milhões de novos obesos. "Qualquer retirada dessas substâncias, seguramente, trará um grande prejuízo no combate à obesidade e na sua comorbidade, que é realmente conhecida por todos que trabalham na área de saúde", disse Davim.

Em aparte, o senador Waldemir Moka (PMDB-MS) também elogiou a audiência pública conjunta e sugeriu ao governo federal e à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que levem em conta os debates sobre o assunto que o Congresso vem promovendo. "É importante. Na hora em que você tira determinados medicamentos do mercado, você cria problemas enormes. E, o pior de tudo, o duro é que, às vezes, tira o medicamento e não tem nenhum outro para suprir aquela necessidade", ponderou Moka.

Paulo Davim informou ainda que apresentou projeto de lei para instituir que os prêmios de loterias federais não reclamados pelos ganhadores dentro do prazo legal sejam destinados ao Fundo Nacional de Saúde com objetivo de financiar o Programa Saúde da Família.

Topo