Vida saudável

Ministério da Saúde lança plano para reduzir mortes por doenças crônicas; reduzir obesidade é meta

Camila Campanerut

Do UOL Notícias
Em Brasília

O Ministério da Saúde lança, nesta quinta-feira (18), um plano de ações de 10 anos de combate à DCNT (Doenças Crônicas não transmissíveis) como câncer, diabetes e doenças cardiovasculares como infarto e AVC (acidente vascular cerebral).
 
São as DCNT as doenças que mais matam no Brasil e no mundo. Dados do Ministério apontam que 72% dos óbitos de 2009 foram causados por elas, num total de 742 mil pessoas e, em nível mundial, a estimativa é de sejam responsáveis por 63% das mortes, sendo que 1/3 das vítimas tem menos de 60 anos.  
 
“Quanto mais as pessoas vivem, mais chances a doença tem de aparecer.  Na década de 1980, achava-se que as pessoas de baixa renda não fossem acometidas por estas doenças que eram tidas como de países ricos. Era uma concepção equivocada”, pondera o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde,  Jarbas Barbosa da Silva.

Fatores de Risco

O aumento de peso dos brasileiros é um dos fatores que faz com que a tendência de desenvolver essas doenças cresça.  Cerca de 16% das crianças de 5 a 9 anos são obesas. A meta é reduzir este índice pela metade. Da mesma forma, no grupo de jovens com 10 a 19 anos, que está com cerca de 6% de obesos, o objetivo é derrubar o índice em três pontos percentuais.
 
Com relação ao tabaco e ao álcool, as campanhas publicitárias do governo continuarão a reforçar o desligamento do vício. E, no caso do cigarro, a pasta pretende trabalhar para elevar a carga tributária do produto, dos atuais 60% para 81%.

Plano Nacional

A meta do Plano Nacional é diminuir em 2% ao ano a mortalidade dos menores de 70 anos.  Entre as ações da proposta estão a distribuição gratuita de remédios para diabetes e hipertensão arterial, aumento de impostos sobre o cigarro, incentivo à prática de atividade físicas dentro do Programa Academia da Saúde, exames preventivos e acordos com a indústria alimentícia para redução do sal e gordura trans nos alimentos.
 
Este conjunto de propostas brasileiras será apresentado na reunião da ONU (Organização das Nações Unidas), em setembro em Nova York.

Topo