Boa forma

Surfe com remo é um aliado para manter a forma no verão

Thinkstock
Uma hora de Stand Up surfe queima 500 calorias e trabalha os membros superiores e inferiores imagem: Thinkstock

Thamires Andrade

Do UOL, em São Paulo

Quem está aproveitando as férias ou os fins de semana na praia já deve ter se deparado com uma modalidade diferente do surfe, o Stand Up. O exercício consiste em se manter equilibrado em uma prancha e remar fazendo uma travessia ou pegando uma onda, como o surfe tradicional. "Quem pratica o stand up de travessia jura que ele é mais fácil do que o tradicional e, além disso, ele ajuda a queimar cerca de 500 calorias por hora", explica Marco Aurélio Invaldi Neves, fisioterapeuta do Zahra Spa & Estética.

A travessia no stand up surfe, também conhecida como paddle, é feita com uma prancha maior e mais larga para ajudar no equilíbrio. "Muita gente olha e acha que é fácil se manter em pé na prancha, mas não é preciso só equilíbrio, mas também concentração", aponta Ângelo Coutinho, professor da Academia da Praia e praticante do esporte.

Nas primeiras aulas os alunos começam a remar 500 metros no mar quando a água está mais parada ou em lagoas para se adaptar com a prancha e o remo. "Depois eles evoluem e passam por outros desafios, como remar contra a corrente que é algo que já requer mais estratégia e planejamento e até mesmo passar para o wave, que é o surfe tradicional com o remo do stand up", destaca Coutinho.

A travessia trabalha os membros inferiores, a musculatura abdominal, o glúteo e a região lombar, pois para manter o equilíbrio a musculatura fica contraída. "Ele é um exercício completo, pois assim como atua nos membros inferiores também é denso nos superiores por conta da remada que trabalha ombros, braços, musculatura dorsal e um pouco do peitoral", conta o professor.

Com mais experiência, a duração das travessias passa a ser maior e é possível ir a pequenas ilhas oceânicas. Mas Coutinho adverte que é preciso alguns cuidados antes de sair em uma viagem como essa. "A pessoa nunca deve fazer a travessia sozinha é preciso estar com alguém que tenha mais experiência que ela, um professor de preferência", afirma.

O professor também aponta para a necessidade de um planejamento de quais equipamentos serão levados e como ir e voltar do local. "Precisa ter água potável suficiente, por exemplo, e se for nadar contra a corrente é preciso saber as condições do mar", explica ele.

Adaptação e investimento

O esporte  também é considerado facilmente adaptável até para pessoas com problema de coluna. "Mudamos alguns movimentos, por exemplo, a pessoa pode ficar sentada ou ajoelhada remando, que é o que costumamos fazer quando o vento está muito forte", aponta ele. 
O Stand Up surfe só não é recomendado para quem não sabe nadar e tem labirintite. "Tenho até um colega que tentou aprender, mas não conseguia porque o balanço da prancha era constante", adverte.

A prancha para praticar o esporte precisa ser uma long board, que pode ser adquirida em qualquer loja de surfe. Já o remo é de estilo canoa havaina também é facilmente encontrada. Coutinho dá a dica de que a pessoa invista em um remo adaptável para conseguir praticar o stand up tanto em pé quanto sentada.

O professor, no entanto, acredita que quem quer manter a boa forma não pode investir apenas no stand up. “É preciso ter condicionamento físico para conseguir surfar, portanto a pessoa precisa correr, nadar, fazer uma musculação ou qualquer outro exercício que acrescente mais condicionamento físico”, destaca.

Topo