Alimentação

Ovo de Páscoa diet é armadilha para quem quer emagrecer, alerta nutricionista

Thamires Andrade

Do UOL, em São Paulo

Se você pensa que comprar um ovo de chocolate light ou diet é a solução para evitar quilos a mais na Páscoa, está enganado. Nem sempre retirar um ingrediente da receita, que é o caso desses produtos, é o suficiente para que o produto fique menos calórico.

Segundo a nutricionista funcional Gabriela Maia, o ovo diet é uma grande armadilha pra quem quer emagrecer. "O açúcar é totalmente retirado do chocolate, mas o produto é incrementado com muita gordura para não perder o sabor. Então a pessoa acha que está consumindo menos calorias, mas está ingerindo uma quantidade grande de gordura", explica ela, que só recomenda esse tipo de chocolate aos diabéticos.

A nutricionista indica o chocolate amargo, com no mínimo 55% de cacau. "Além de ter menos açúcar, o que já é um ganho pra dieta, ele não é tão cremoso quanto o chocolate comum, o que faz com que a pessoa coma menos", aponta ela.

Outra vantagem dos meio-amargo e amargo é a concentração de flavonoides no cacau, substância antioxidante que melhora circulação sanguínea e diminui a pressão arterial.

Quem não gosta do chocolate amargo pode até optar pelo chocolate ao leite, que tem de 35% a 45% de cacau, ou o light, que tem redução de açúcar e gordura, mas deve evitar os ovos com recheio e o chocolate branco. Para a nutricionista, esse último é a pior opção: “Ele não tem cacau em sua composição, mas sim uma mistura de açúcar, leite e manteiga de cacau, que o torna muito calórico”, explica Maia.

Como o chocolate ao leite por si só já é um alimento com calorias elevadas pela quantidade de açúcar e gorduras em sua composição, o ideal é não adicionar outros ingredientes extras. Ovos recheados com trufas, castanhas, avelãs, amendoim, entre outros elementos, só somam mais calorias ao ovo de Páscoa.

Veja, no álbum a seguir, os dados nutricionais de alguns ovos de Páscoa tradicionais e também de versões diet ou light. Eles estão listados em ordem crescente de calorias. Fique atento, também, à quantidade de gordura saturada dos produtos.

Dicas

Durante a Páscoa é quase impossível passar longe dos ovos de chocolate, portanto para driblar a gula, Maia dá a dica de consumir o chocolate aliado à uma fruta. "As fibras presentes nas frutas diminuem o pico de glicose no sangue e aumentam a sensação de saciedade", aponta.

Colocar o chocolate na geladeira também é uma opção para os chocólatras. "Quando o doce está gelado ele demora mais tempo para derreter na boca e a pessoa acaba comendo menos até pela textura do alimento", relata Maia.

Outra opção é abrir o ovo de Páscoa durante o almoço para dividir o chocolate e as calorias. "Dividir o chocolate com a família ou os amigos faz com que a pessoa coma menos, além de acabar com a ‘tentação’ de ficar com aquele doce dentro de casa", exemplifica ela.

Almoço de Páscoa

Segundo o endocrinologista do Spa Posse do Corpo, Alfredo Cury, o ideal é que o cardápio do almoço do domingo de páscoa seja bem saudável e composto por saladas diversas, legumes e carne branca, como peixe, frango ou aves.

Cury indica os peixes por serem ricos em vitaminas B1 e D, além de ômega 3 e 6 que combatem doenças cardiovasculares.

Maia também recomenda que se evite frituras, pois o corpo já receberá uma carga alta de gordura por conta dos ovos de Páscoa. "É recomendado também beber bastante líquido e consumir frutas e alimentos integrais", afirma.

Topo