Alimentação

Dieta com menos de 800 calorias mantém a perda de peso por mais tempo do que dietas comuns

Thamires Andrade

Do UOL, em São Paulo

A dieta VLCD (Very Low Calorie Diet) é uma das apostas de quem deseja perder de nove a 26 quilos em até 20 semanas. Para que a dieta seja considerada pouco calórica é necessário que o cardápio varie de 400 a 800 calorias por dia. Segundo o endocrinologista e membro da Abran (Associação Brasileira de Nutrologia), Cláudio Barbosa, que participou do XVI Congresso Brasileiro de Nutrologia, que ocorre até sexta-feira (21), em São Paulo, quem segue esse tipo de dieta, que normalmente é utilizada em SPAs, associada com terapia comportamental mantém a perda de peso por mais tempo em comparação com pessoas que seguiram uma dieta hipocalórica.

"No começo acreditava-se que quanto mais rápido se emagrecesse, mais rápido se ganharia peso novamente, mas esse preconceito caiu por terra com base nos estudos feitos nesse tipo de dieta", determina. A pesquisa publicada pelo American Journal of Nutrition concluiu que a perda de peso de uma pessoa que segue a dieta VLCD é maior do que as pessoas que seguem um cardápio comum em um período de cinco anos.

Outra questão referente à ingestão de poucas calorias é a fome. Mas Barbosa garante que o paciente que segue essa dieta tolera mais a fome. "Isso ocorre porque essa dieta costuma ser bem pobre em carboidratos e aumenta a produção de cetonas, que sempre permitiram os seres humanos a resistir a prolongados períodos de fome", afirma.

A dieta VLCD pode até ser feita em casa, mas com monitoramento de um profissional. "Para que não tenha riscos é preciso ficar atento, pois existe uma queda de minerais no organismo, como zinco e ferro e nesse caso é necessário uma suplementação", explica.

No entanto, dieta pouco calórica não é sinônimo de dieta pouco harmônica. "Normalmente quem quer emagrecer fica neurótico e corta a gordura, por exemplo, e isso causa danos a pessoa que pode até ter um cálculo biliar", explica Barbosa que cita que esse tipo de dieta tem quantidades generosas de proteína no cardápio, que também pode ser prejudicial para quem apresenta problemas renais.

Segundo Barbosa, a dieta VLCD não deve ser seguida por um período de tempo muito longo. "Ela ajuda pessoas obesas a terem um incentivo para perder mais peso, portanto depois de seguir esse tipo de cardápio é necessário começar outro tratamento para perda de peso logo na sequência", afirma.

Topo