Alimentação

Queridinha das celebridades, dieta do Dr. Dukan foi criada com ajuda dos pacientes

Thamires Andrade

Do UOL, em São Paulo

Há mais de 30 anos, o médico francês Pierre Dukan atendeu um paciente obeso que não conseguia emagrecer. Mesmo sem ser especialista no assunto, Dukan elaborou um plano de dieta que o fez perder 10 quilos em 20 dias. O método, estudado e aperfeiçoado com base nas reações dos pacientes, ganhou visibilidade depois de ter sido adotado por algumas celebridades, como Kate Middleton. Seu livro, "Eu não consigo emagrecer" (Ed. Bestseller), tornou-se líder em vendas no Brasil na categoria 'não ficção'.

Dieta Dukan

  • A dieta de Dukan propõe um plano alimentar baseado nos alimentos que os antepassados da espécie humana utilizavam. O cardápio se baseia em proteínas e vegetais. São permitidos 100 alimentos, 72 de origem animal e 28 de origem vegetal. A dieta permite que você coma o quanto quiser desses itens selecionados e, mesmo assim, perca peso.

    CONHEÇA O MÉTODO

Nesta quinta-feira (28), Dukan lança no Brasil seu novo livro "O Método Dukan - ilustrado" (Ed. Bestseller). Além de descrever a dieta, a obra traz novas receitas para facilitar a adesão ao método. Além disso, uma linha de produtos assinados pelo médico - que inclui barras de cereais e farelo de aveia - chega ao país em março.

Em entrevista ao UOL, Pierre Dukan conta como os pacientes foram importantes no desenvolvimento da dieta, dá detalhes dos novos produtos e rebate críticas de especialistas.

UOL - Durante uma entrevista o senhor comentou sobre um prato comum entre os brasileiros, o arroz com feijão, e indicou um consumo moderado dessa combinação, que é considerada muito saudável pelos nutricionistas. Por quê?

Pierre Dukan - Existe hoje no mundo da nutrição um mal entendido. Existem os regimes para equilibrar a alimentação, e nesse está liberado comer o arroz com feijão moderadamente. Essa combinação é calórica e rica em carboidratos, portanto quem consome esses alimentos todos os dias e é sedentário vai engordar. Isso pode ser visto ao se comparar a dieta dos brasileiros há 30 anos e a de hoje. As pessoas aumentaram o consumo de arroz e feijão e diminuíram a quantidade de exercícios, o que resultou no aumento de peso. A quantidade de pessoas que pratica atividade física no mundo caiu 80% e isso é muito importante no âmbito do emagrecimento. As pessoas se tornaram mais sedentárias, só andam de elevador, carro...

UOL - Existe uma estimativa de quantos brasileiros são adeptos da dieta? Quantos compraram o livro ou seguem a dieta pelo site?

Dukan - A estimativa é em torno de meio milhão. Foram vendidas 100 mil cópias do livro "Eu não consigo emagrecer" e a estimativa oficial é que cada livro comprado é lido por três pessoas, o que faz com que 300 mil pessoas tenham seguido a dieta por ele. O restante acompanha a dieta pelo site e, até você publicar esta matéria, esse número já vai ter aumentado.

UOL - Em sua opinião, por que a dieta caiu no gosto dos brasileiros?

Dukan - Na minha opinião, e com base na minha experiência em outros países, o brasileiro se deu conta de que está com sobrepeso e tem engordado mais. Isso faz com que ele passe a procurar novas dietas para seguir e reverter isso. Acho que gostam da dieta Dukan, pois aqui no país não existem tantas dietas com métodos, que são mais estruturadas e com fases para acompanhar o desenvolvimento.

UOL - A dieta Dukan está presente em 59 países. Foi necessário adaptar os alimentos para cada um deles?

Dukan - Na dieta eu autorizo comer 100 alimentos, sendo 72 ricos em proteínas e 28 legumes. Alguns são encontrados mais facilmente em um país, enquanto outros não. Portanto, a dieta pode ser facilmente adaptada de acordo com o país em que se está. O Brasil, por exemplo, é muito rico em salmão, peixes e legumes, enquanto a Inglaterra há menos opções. A categoria continua a mesma, só os alimentos que costumam variar de um lugar pro outro. Mas pelo menos 60 ou 70 alimentos listados são encontrados no mundo inteiro facilmente, como tomate e soja.

UOL - Você já seguiu sua própria dieta? Se sim, qual foi a ?fase? que considerou mais difícil?

Dukan - A princípio não segui, pois meu peso nunca se alterou muito. Mas , com a prática clínica e depois de escrever os livros, eu e minha família começamos a adotar a fase de consolidação no dia a dia. Um filósofo francês falava "Você ajoelha, pede a Deus e no final acaba acreditando na sua prece". Para mim, na questão da alimentação é a mesma coisa. De tanto preconizar certos alimentos, eu os adotei para minha vida e acredito neles.

UOL - O que o levou a criar sua própria linha de alimentos? Quais são os produtos?

Dukan - A linha de alimentos foi desenvolvida na Europa e já é vendida na França e nos Estados Unidos para ajudar quem está seguindo a dieta Dukan. Com baixo teor de carboidrato e gordura, serão vendidos barra de cereal e biscoitos com base de farelo de aveia, cereais crocantes e o próprio farelo para fazer panquecas, crepes, muffins e massas de pizza. Mas os produtos são adaptados de acordo com o mercado. Por exemplo, na França, os biscoitos são maiores, enquanto aqui no Brasil eles são menores. As barras de cereal também não existem na França e, no Brasil, lançaremos duas opções de sabores doces (mel e chocolate), já que o brasileiro tem preferência por alimentos adoçados.

UOL - Qual a diferença entre os produtos da sua linha e os que existem no mercado?

Dukan - Um dos principais diferenciais é o farelo de aveia, pois ele melhora o fluxo intestinal e também provoca sensação de saciedade, diminuindo a fome. Outro ponto é a porcentagem de carboidratos presente nos produtos. A cada 100 gramas de biscoito, por exemplo, há uma porcentagem que varia de 40% a 80% de carboidratos. O da linha tem o mínimo, que é 40%. Então você tem um produto com todas as propriedades do farelo de aveia, com pouco carboidrato e também com pouco sódio, para não deixar as mulheres inchadas.

UOL - No livro ?Método Dukan - ilustrado? (Ed. Bestseller), você afirma que juntou a sua experiência com a de seus pacientes para compor a dieta. Você lembra de alguma dica ou criação, em especial, que veio de algum paciente?

Dukan - Claro, lembro sim! Eu estava pesquisando sobre a fase 4 de estabilização e uma paciente sugeriu: "E se um dia na semana a gente voltasse pra fase de ataque?". Achei a composição e a proposta interessantes, pesquisei e assim surgiu a quinta proteica. A dieta não saiu só da minha cabeça, ela foi feita com base nas interações e trocas que eu tive com meus pacientes. Eles contribuíram muito pra construção final do método, como num brainstorming.

"Eliminei 18 quilos com a dieta Dukan", afirma Karina Silva

  • "Eu já havia tentado todas as dietas possíveis. Já fiz tratamento com nutricionista, a dieta da USP, a dieta da lua e até cheguei a tomar remédio por um tempo, mas nada me fez emagrecer.
    Depois que eu já tinha desistido de fazer qualquer coisa, vi uma foto e não me reconheci. Estava pesando 90 quilos e resolvi que precisava dar um jeito naquilo.
    Pesquisei sobre várias dietas e li sobre a Dukan, que era feita sem remédios e sem restrição de porções. Depois de ler algumas histórias, resolvi comprar o livro e pensei: 'Essa é a minha última tentativa'.
    Achei no Instagram e no Facebook grupos de apoio e fiz o cálculo no site da Dieta Dukan para verificar qual era o meu peso ideal e quanto tempo eu ficaria em cada fase. Comecei a dieta em novembro de 2012.
    Logo na primeira fase, a de ataque, eu emagreci 4,5 quilos sem passar fome, sem dor de cabeça e animada ao ver a diferença já nas roupas. E não foi só peso, mas medidas também. Antes eu usava uma calça 48 apertada e hoje uso 42.
    Atualmente eu estou na fase cruzeiro, em que é necessário alternar proteínas com legumes, e vou permanecer até chegar ao meu peso ideal. Eu eliminei 18 quilos e estou pesando atualmente 72, mas vou continuar com a dieta até chegar aos 68.
    Não acho que a dieta foi difícil de fazer, pois há muitas opções de receitas para comer. E pra completar, minha saúde também melhorou com a dieta. Meu colesterol abaixou e a glicose, que estava em um ponto alto, melhorou muito desde que eu comecei o programa."

UOL - Muitos famosos já assumiram publicamente que adotaram sua dieta. Você acha isso que isso contribuiu para o sucesso do método?

Dukan - Sim, principalmente depois de a Kate Middleton ter feito a dieta para emagrecer antes do casamento. Como o evento foi visto por milhares de pessoas, a quantidade de interessados no método aumentou. Ela seguiu pelo livro e conheceu a dieta pela mãe e por uma prima germânica da rainha, que ajudou no casamento e fez consulta comigo.

UOL - Uma das críticas da dieta é sobre a falta de estudos científicos que comprovem sua eficiência. Você já fez alguma pesquisa para atestar sua eficácia?

Dukan - Eu fiz um estudo com 2.500 pessoas que fizeram a dieta para verificar se elas emagreceram e conseguiram estabilizar o peso. O levantamento durou dois anos e também foram feitos exames de sangue, diabetes e colesterol para checar se a saúde também melhorou depois da dieta. Seguindo o livro, 50% das pessoas atingiram o peso ideal e, dentre essas, 25% conseguiram estabilizar o peso por quatro anos. Já quem seguiu o emagrecimento online, que tem orientações diárias sobre exercícios, cardápio e motivação, o número sobe para 80% de indivíduos, e 40% deles mantiveram o peso estável por três anos.

UOL - A Associação Dietética Britânica contraindicou a dieta Dukan por considerá-la restritiva. Você concorda com o argumento?

Dukan - De um certo ponto de vista, ela é restrita. O maior problema do sobrepeso é o consumo excessivo de açúcar e gordura, portanto para emagrecer é preciso limitar esse consumo. Na dieta Dukan, o que é preconizado é um baixo índice de gordura e açúcar, o que não significa que é "zero por cento", já que estão liberados os laticínios e os peixes. O salmão, por exemplo, é rico em gordura, mas uma gordura que é boa para o organismo.

UOL - Na 'fase de ataque' você indica 20 minutos de caminhada. Outros exercícios mais intensos também podem ser recomendados durante esse período?

Dukan - Durante a 'fase de ataque', a pessoa emagrece muito e rapidamente, portanto prefiro que a pessoa apenas faça a caminhada. Eu acho melhor uma atividade de baixa intensidade nesse período para evitar que a pessoa fique muito cansada. Os esportes estão liberados na fase cruzeiro, que é quando os legumes começam a fazer parte da alimentação.

UOL - A partir da 'fase cruzeiro' você indicaria o início de outras atividades, como musculação?

Dukan - Com certeza! Quando a pessoa pratica esse tipo de exercício, a queima de glicose aumenta e, mesmo quando deixam de de ser estimulados, os músculos continuam consumindo e gastando calorias. Depois de 60 horas, o processo para e ai é preciso recomeçar. Portanto eu considero ideal fazer musculação duas vezes na semana.

UOL - O que você levou em consideração ao elaborar a dieta? O sabor dos alimentos foi um dos aspectos levados em conta?

Dukan - Sim, levei em conta o paladar e o sabor dos alimentos dentro de cada categoria. Portanto, a pessoa pode optar pelo peixe, pela carne vermelha ou pelos laticínios, de acordo com suas preferências. Outras coisa que também levei em consideração foram as receitas. Criei muitas para mudar o sabor dos alimentos consumidos, já que uma carne grelhada tem um gosto diferente de uma assada. No novo livro, eu acrescentei novas receitas para facilitar a dieta.

UOL - A dieta tem contraindicações?

Dukan - Qualquer pessoa precisa se consultar com um médico antes de começar a dieta. Além disso, é importante, antes de começar, fazer um exame de sangue para verificar, depois, se os níveis de colesterol melhoraram. Costumo dizer que não existe uma contraindicação, mas eu não recomendo que mulheres grávidas, crianças e diabéticos sigam o livro.

UOL - Na sua opinião a internet e redes sociais também podem ser aliados de quem quer emagrecer?

Dukan - Eu acredito que eles podem ajudar muito. A internet e as mídias estão na origem da expansão da dieta Dukan. Em 2000, eu escrevi meu primeiro livro e, até 2006, as pessoas só me conheciam pelo boca a boca. Depois que a Amazon escreveu em seu site que eu tinha vendido mais livros que o Harry Potter, mais de 20 jornalistas me ligaram para saber quem eu era. Na internet tudo se globaliza.

Topo