Alimentação

Veja como Viviane Carlstrom levou o 2º lugar na categoria Bikini do Arnold

Do UOL

Em São Paulo

Classificada em segundo lugar para a categoria Bikini-Fitness do Arnold Classic, que terminou neste domingo (28), no Rio, Viviane Carlstrom, 32 anos, é um exemplo de que, com disciplina e força de vontade, é possível conquistar tudo. 

A modelo, eleita a Bela da Torcida do Guarani, no ano passado, sempre adorou treinar. Formada em administração, decidiu começar a faculdade de educação física, tamanha a paixão pela coisa.  

Mas a preparação para o concurso exigiu um trabalho diferente: ela precisava perder medidas. "Eu treino há 12 anos e o meu foco sempre foi hipertrofia, mas tive que secar para o concurso", conta Vivi, que foi orientada pelo personal trainer André Germinhase, da Bodytech.

Como não havia nenhuma gordura sobrando ali, ela acabou perdendo 5 kg de massa magra graças ao esquema rígido de dieta e malhação que começou em fevereiro. E, apesar dos sacrifícios, ela nunca perdeu o pique. Quem a acompanha no Facebook (são quase 7.000 seguidores) sabe disso. 

A rotina envolveu três visitas por dia à academia - as duas primeiras para o treino aeróbio (sendo a primeira em jejum) e a última para a musculação. Quando sobrava energia, ela ainda encerrava o dia com mais um pouco de corrida, bike, transport e escada. 

Com tanta disciplina, não foi difícil conquistar os resultados. Com 1,72 metro, ela ficou com 54 quilos, 63 centímetros de cintura, 92 de quadril, 90 de busto e 52 de coxa. E exibe com orgulho em seu perfil no Facebook as fotos da classificação. 

Frango no café da manhã

Para quem nunca se interessou por fisiculturismo, a dieta da modelo pode parecer surreal. Logo cedo, depois do primeiro treino, ela comia um prato de 50 gramas de arroz integral com 100 gramas de frango grelhado. O cardápio contava com mais cinco refeições desse tipo, sendo que o arroz às vezes era trocado pela batata doce e o frango, pela tilápia, sempre com salada verde para acompanhar. Uma vez ao dia ela tinha direito a uma porção de carne vermelha com pouca gordura (patinho). 

No período da manhã, também podia comer uma porção de castanhas. Depois do almoço ela até podia saborear uma gelatina diet, mas fruta, nem pensar. Só quando batia o desespero para comer doce ela podia abrir uma exceção e degustar um pedaço de pera ou abacaxi, mas só se fosse de manhã. 

Vivi também investiu nos suplementos: "whey protein" com glutamina de manhã e à noite, além do BCAA, também à noite, e um complexo vitamínico, já que ninguém é de ferro.

 

 

 

 

 

 

Topo