Vida saudável

Má noite de sono aumenta preferência por alimentos calóricos

Getty Images
Os participantes que tinham uma noite privada de sono optavam por alimentos calóricos e gordurosos imagem: Getty Images

Do UOL, em São Paulo

O desejo por alimentos calóricos, como as junk food, está relacionado a uma má noite de sono, de acordo com um novo estudo da Universidade de Berkeley, na Califórnia, nos Estados Unidos. Os pesquisadores verificaram que, após uma noite sem dormir, os participantes estavam mais propensos a comer uma pizza do que grãos integrais e vegetais.

Para chegar ao resultado, os pesquisadores usaram uma ressonância magnética funcional para examinar o cérebro de 23 adultos saudáveis. O primeiro exame foi feito depois de uma noite de sono normal e o outro foi posterior a uma noite sem dormir. Eles descobriram que a privação do sono prejudicava o lobo frontal do cérebro, que regula as tomadas de decisão. Além disso, os pesquisadores identificaram que os participantes optaram por alimentos calóricos e gordurosos quando tinham uma noite privada de sono.

"O que nós descobrimos é que as regiões cerebrais responsáveis pela tomada de decisões ficavam prejudicadas pela falta de sono, enquanto estruturas cerebrais mais primitivas que controlam a motivação e o desejo são amplificadas", afirma Matthew Walker, autor do estudo e professor de psicologia e neurociência da Universidade de Berkeley.

Além disso, acrescentou, "os alimentos de alto teor calórico também se tornaram significativamente mais atrativos quando os participantes eram privados de sono. Esta combinação de alteração da atividade cerebral e de tomada de decisão pode ajudar a explicar por que as pessoas que dormem menos tendem a estar acima do peso ou obesas."

Estudos anteriores já haviam relacionado a falta de sono à preferência por junk food, mas as últimas descobertas fornecem, pela primeira vez, um mecanismo cerebral específico que explica porque escolhas alimentares mudam para pior depois de uma noite sem dormir.

"Estes resultados mostram como o cérebro é prejudicado pela privação do sono, levando à seleção de alimentos pouco saudáveis e, em última análise, às taxas mais elevadas de obesidade", disse Stephanie Greer, outra autora da pesquisa.

Nesse novo estudo, publicado na revista Nature Communications, os pesquisadores também mediram a atividade cerebral dos participantes enquanto observavam uma série de 80 fotos de alimentos, que variavam entre comidas saudáveis e calóricas. Eles avaliaram o desejo dos participantes por cada um dos alimentos e, como incentivo, davam os pratos que eles mais desejavam depois do exame de ressonância magnética.

Para Walker os resultados do estudo indicam que "dormir o suficiente é um fator que pode ajudar a promover o controle de peso - por não afetar que os mecanismos do cérebro responsáveis pelas escolhas alimentares erradas."

Topo