Boa forma

Atualizada em 27.02.2014 17h46

Anvisa proíbe venda de quatro suplementos alimentares para atleta

Do UOL, em São Paulo

Resoluções da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) publicadas no Diário Oficial da União suspendem, a partir de hoje (17) a distribuição e a venda, em todo o território nacional, de quatro suplementos alimentares para atletas.

O primeiro deles, Alimento para Atletas da marca ISOFAST-MHP, fabricado por Maximum Human Performance Inc. e importado por Macroex Comercial Importadora e Exportadora Ltda, foi suspenso por apresentar BCAA (aminoácidos de cadeia ramificada) e por não se enquadrar em nenhuma das classificações previstas pela agência.

Veja suplementos indicado para ganhar massa, definir ou emagrecer

Já o Suplemento de Cafeína para atletas, marca ALERT 8-HOUR-MHP, fabricado por Maximum Human Performance Inc. e importado por Macroex Comercial Importadora e Exportadora Ltda, foi suspenso por conter taurina em sua composição. De acordo com a regulamentação da Anvisa, os suplementos de cafeína não podem conter qualquer outro tipo de nutriente.

O produto Carnivor, fabricado por MuscleMeds e distribuído por Nutrition Import Comércio Atacadista de Suplemento Ltda, foi suspenso por apresentar teores de vitamina B12 e B6 acima da ingestão diária recomendada e por apresentar as substâncias glutamina alfa-cetoglutarato (GKC), ornitina alfa-cetoglutarato (OKG), alfa-cetoisocaproato (KIC), que não foram avaliadas quanto à segurança de consumo como alimentos.

Por fim, o produto Probolic-SR-MHP, fabricado por Maximum Human Performance Inc. e importado por Commar Comércio Internacional Ltda, foi suspenso por não haver comprovação de segurança de uso.

Bebidas energéticas

Internautas do UOL levantaram questionamentos sobre a taurina, substância presente em algumas bebidas energéticas. De acordo com a resolução da Anvisa, são classificados como energéticos os produtos que contêm como ingredientes principais: inositol, glucoronolactona, taurina ou cafeína em sua composição.

No entanto, a agência estipula um limite de cada substância nos produtos. No caso da taurina, o máximo permitido é de 400 mg para cada 100 ml de produto, sendo que a regra é aplicada para marcas nacionais e importadas.

(Com Agência Brasil)

Topo