Boa forma

Segredo de Juju Salimeni é cortar frituras, doces e temperos do cardápio

Thamires Andrade

Do UOL, em São Paulo

Disciplina é a palavra-chave na vida de Juju Salimeni, 27, repórter do "Legendários", exibido na Record. A ex-panicat começou a treinar aos 16 anos de idade porque queria ganhar massa muscular e desde então não parou mais. "Meu primeiro professor era fisiculturista, então ele me ensinou a ter muita disciplina e força de vontade. Nunca reclamei ou tive preguiça de ir para a academia", revela.

Juju também é regrada na alimentação, ela sequer lembra a última vez que comeu batata-frita ou lanches fast food. "Eu adorava frituras, mas faz anos que não como, nem lembro mais... Acho que isso foi a coisa mais difícil de cortar do cardápio", conta.

"Antes comia o que queria, principalmente no fim de semana, mas agora sigo um cardápio de atleta mesmo", revela a ex-panicat, que primeiro cortou as frituras e depois eliminou os doces e temperos. "Agora só uso um tempero importado, chamado Mr. Dash, que tem diversos sabores diferentes e ainda é sem sódio e sem conservantes", indica.

Para matar a vontade de doces, a repórter do "Legendários" aposta nas receitas sem açúcar. "Faço bolo de whey protein, doces sem açúcar e sem glúten, além de gelatinas zero", afirma. Mas ao contrário da maioria das mulheres, Juju nunca teve compulsão por doce. "Como eu não tenho nenhum dia do lixo (dia em que a pessoa pode sair da dieta), como um pedaço pequeno de chocolate uma vez por mês", confessa.

Namoro com Garoto Fitness

O namoro da ex-panicat com o Garoto Fitness Brasil 2011, Felipe Franco, também contribuiu, e muito, para que ela não escapasse da dieta. "É algo positivo você ter uma relação com alguém que tem a mesma filosofia de vida. Nem na minha casa e nem na dele entram alimentos que a gente não pode comer. A gente só sai para jantar em restaurante japonês", conta. Mas nem o shoyo e as frituras servidas nos estabelecimentos entram no prato do casal. "É só sashimi temperado com limão. Quando a gente não está numa dieta mais restrita, ai a gente até come um temaki ou outro prato com arroz", explica.

O dia a dia da repórter do "Legendários" começa cedo, às 7h da manhã, com uma dose de whey protein isolado. "Depois como três fatias de pão integral com manteiga de amendoim e tomo chá verde", conta. Como se alimenta de três em três horas, Juju faz um lanche depois do café da manhã. "Nesse horário, opto por cinco claras de ovo e tomo outra dose de whey protein isolado", afirma.

No almoço, cada alimento do prato é pesado. Ela come 150 gramas de batata-doce e 250 gramas de frango ou peixe. "No lanche da tarde, faço uma panqueca de clara de ovo com whey protein e aveia. Faço uma receita grande, que dá cerca de 300 gramas", conta.

Antes de treinar, a ex-panicat come 200 gramas de batata-doce e toma um energético sem açúcar. "Como não posso tomar pré-treino, pois passo mal, acabo tomando a bebida para dar energia antes de treinar", revela. Depois do treino, Juju toma duas doses de whey protein isolado. "No jantar, como um frango ou peixe com uma omelete de quatro claras com tempero sem sódio e sem sal", conta.

A ex-panicat conta com a ajuda da mãe e de uma empresa de marmitas para organizar sua dieta e comer os alimentos preparados da forma correta. "A empresa manda todas as refeições embaladas à vácuo. Tem frango, patinho, tudo sem sal, e outros pratos mais elaborados, como nhoque de batata-doce", afirma.

Concurso e Carnaval

Juju treina de segunda a sábado e atualmente faz um treino com foco na definição, pois vai participar de um concurso de fisiculturismo. "Ainda não sei a categoria em que vou me encaixar, nem a data, mas já estou perdendo gordura e aumentando a definição. Não posso ficar grande, tenho que secar", afirma a ex-panicat, que parou de fazer exercícios para os membros superiores, pois pega massa muscular muito rápido na região.

Atualmente, ela faz exercícios para pernas, coxas, glúteos e abdome. "Também tenho focado nos aeróbicos, especialmente nessa época de Carnaval que eu fico sambando por duas horas sem parar nos ensaios. A dança ajuda muito a secar", revela a repórter do "Legendários", que é musa da escola de samba Mancha Verde, em São Paulo.

Juju já desfila há quatro anos na avenida e logo se apaixonou pela comunidade da Mancha e pela bateria da escola. "É tudo aquilo que as pessoas falam mesmo! A bateria ali perto é outra coisa, é uma emoção muito grande", define.

A repórter do "Legendários" também comemora a boa fase na Record. Em agosto do ano passado, a atração igualou seu recorde de audiência de 2013 e ainda teve o melhor índice de participação do ano. "O programa evoluiu muito e adoro os quadros de desafio que participo, sempre aprendo e conheço coisas novas", justifica.

Mesmo quando viaja para gravar os quadros do programa, Juju sempre leva várias marmitas. "Mas quando a viagem é para fora do Brasil é mais difícil, pois não dá pra levar nada. Então fico à base de frango, ovo e arroz integral", revela.

Topo