Boa forma

Nutricionistas reprovam cerveja canadense indicada para "pós-treino"

Divulgação
A bebida canadense tem apenas 77 calorias, baixo teor alcoólico e, segundo a empresa, é indicada para ser consumida depois do treino imagem: Divulgação

Thamires Andrade

Do UOL, em São Paulo

Uma fabricante de bebidas canadense apostou na ideia de que é capaz de fazer a turma da malhação trocar o whey protein por uma "cerveja saudável" após o treino. De acordo com a empresa, a Lean Machine Ale é uma bebida mais leve, com apenas 77 calorias e um teor alcoólico de 0,5% - uma cerveja comum no Brasil tem teor de 4,7%. A bebida também tem antioxidantes, sete gramas de proteínas, vitaminas e não contém glúten.

Questionadas se a bebida realmente poderia ser indicada para o pós-treino, as nutricionistas ouvidas pelo UOL Dieta e Boa Forma veem o produto com certa desconfiança e não o aprovam com essa finalidade. "Tudo o que se sabe da bebida é fornecido pela própria empresa, então é preciso cuidado e avaliação antes de utilizá-la como fonte de proteína pós-treino. Acredito que esse hábito não vai pegar, pois é mais do que comprovado que álcool não combina com a prática de exercícios fiscos, mesmo a cerveja tendo um teor alcoólico menor", explica a nutricionista do espaço Reeducação Alimentar, Talitta Maciel.

Uma das razões do álcool não combinar com a atividade física é o fato de a bebida aumentar a excreção de nutrientes importantes para recuperação do exercício, como os nutrientes envolvidos na contração muscular e metabolismo de carboidratos e proteínas. "A bebida também pode causar inflamações intestinais, causando o desequilíbrio na flora intestinal, pois a cerveja possui leveduras que podem competir com as bactérias probióticas (“bactérias do bem”)", justifica Maciel.

Só para happy hour

Ainda que a bebida não seja indicada pelos profissionais como um bom pós-treino, Fúlvia G. Hazarabedian, nutricionista da Bio Ritmo, afirma que ela realmente tem um baixo valor calórico. "É uma cerveja com poucas calorias, mas existem outras bebidas com até menos que seriam mais indicadas numa situação pós-treino", pondera.

A quantidade de proteína da bebida também é superior a de uma cerveja comum. "Um copo de 300 ml de cerveja tem aproximadamente de 1 a 1,5 gramas de proteína, enquanto esse lançamento tem sete. Mas para uma recuperação pós-treino, esse valor nutricional é insuficiente", afirma Hazarabedian.

Já com relação aos antioxidantes presentes na Lean Machine Ale, Maciel afirma que todas as cervejas contêm essas propriedades, pois são ricas em flavonoides provenientes do malte e do lúpulo. "Porém, os estudos ainda são concluíram se esses antioxidantes fazem algum efeito no corpo na presença do álcool", pondera Maciel.

A bebida, no entanto, pode ser uma boa opção para os celíacos que são fãs de cerveja. "É uma vantagem não ter glúten, pois é uma alternativa para quem tem intolerância ou para quem quer tirar o nutriente da dieta", explica Maciel.

Ainda que não seja indicada para consumo depois das atividades físicas, a bebida canadense tem suas vantagens em comparação com uma cerveja normal. "Ela é uma escolha mais interessante para um happy hour ou outra confraternização, pois tem o teor alcoólico reduzido. Mas o consumo sempre deve ser feito com moderação", alerta Hazarabedian.

A pré-venda da bebida ocorre pelo site da empresa e uma caixa com 24 latinhas de Lean Machine Ale custa US$ 150, o que equivale a R$ 360 reais.

Topo