Virada Sustentável

Ocupar, conviver, cuidar: como melhorar a vida na cidade

iStock
Segundo o arquiteto e urbanista Anderson Kazuo Nakano, o espaço público precisa ser encarado com seriedade imagem: iStock

Ana Elisa Faria

Colaboração para o UOL, em São Paulo

Fazer de uma metrópole como São Paulo --enorme, barulhenta, complexa e desigual-- um ambiente mais harmonioso pode parecer uma missão impossível, mas há quem tente. Os esforços para tornar a vida na cidade mais agradável aparecem das mais variadas formas, seja por meio do plantio de hortas e jardins comunitários, com festas na rua, piqueniques em praças ou eventos relacionados ao uso da bicicleta.

Neste desafio cotidiano, cada um tem sua responsabilidade: poder público, empresas, organizações não governamentais e cidadãos.

Estes últimos, de acordo com o arquiteto e urbanista Anderson Kazuo Nakano, professor da Fundação Getúlio Vargas, são fundamentais para que uma mudança efetiva ocorra. "Eles são os que podem salvar as cidades", afirma.

Para tanto, diz ele, é preciso fazer frente à chamada "arquitetura do medo", modelo que vem se impondo na capital paulista desde a década de 1980, com a construção de condomínios que vendem como vantagem uma maior sensação de segurança e a comodidade de ter, a pouca distância, oferta de serviços como academia e shopping. "As pessoas estão se confinando em espaços intramuros, onde tudo está ao alcance". Estes tipos de empreendimentos, no entanto, afastam o cidadão da convivência e da troca com o outro.

O que, para Nakano, é essencial. "A qualidade de vida das pessoas na cidade se dá a partir das relações que podem ser construídas, seja na vizinhança ou com o comerciante do mercado do bairro, por exemplo".

"É por isso que o espaço público precisa ser encarado com muita seriedade", afirma. "Não importa o que seja esse local, se uma calçada mais ampla, se um pequeno jardim onde vizinhos se encontram e batem papo ou um largo com banquinhos para que colegas de trabalho possam conversar e tomar um sol após o almoço". 

Abaixo, conheça iniciativas que tentam como podem transformar São Paulo em uma cidade mais aprazível.

A Batata Precisa de Você

Davi Ribeiro/Folhapress
imagem: Davi Ribeiro/Folhapress

O movimento, formado por frequentadores e moradores da região do largo da Batata, em Pinheiros, iniciou suas ações em janeiro de 2014 com o intuito de transformar o local em um espaço de estar e não somente de trânsito, além de tentar mudar a paisagem árida da Batata para que a interação das pessoas no (e com o) local seja mais agradável. Entre as atividades realizadas pelo grupo estão oficinas e mutirões de jardinagem, o plantio de mudas de árvores (foto) e algumas festas. Saiba mais em www.largodabatata.com.br/a-batata-precisa-de-voce.
 

Aromeiazero

Rachel Schein/Divulgação
imagem: Rachel Schein/Divulgação

Por meio da cultura da bicicleta, o instituto promove eventos que tenham em sua essência temas relacionados à mobilidade, arte urbana, ocupação do espaço público, esporte, lazer, qualidade de vida e inovação social, como os projetos Pedala Zezinho, Bike Arte (foto) e Bike na Batata. Saiba mais em www.aromeiazero.org.br
 

Cidades Sem Fome

Marlene Bergamo/Folhapress
imagem: Marlene Bergamo/Folhapress
 
Criada em 2004, esta organização não governamental transforma terrenos públicos e particulares sem uso da zona leste da capital em hortas comunitárias. O projeto tem o objetivo de melhorar a condição dos habitantes locais por meio de ações sustentáveis de agricultura urbana, baseadas em processos de produção orgânica. Saiba mais em www.cidadessemfome.org/pt-br
 

Green SP

Divulgação
imagem: Divulgação

Com o desejo comum de sair da inércia e deixar a cidade mais bonita e convidativa ao convívio, o coletivo, formado há dois anos por dez amigos, cria ações para cuidar de jardins e áreas verdes de São Paulo --a praça Cornélia e a avenida São Luís (foto) já receberam mudas plantadas pelo grupo, que conta com o apoio de moradores, organizações sociais e empresas. Para eles, a jardinagem é uma ferramenta de intervenção social. Saiba mais em www.facebook.com/greensplab
Topo