Beleza

De drenagem linfática à cirurgia, saiba o que funciona e quais são as melhores opções para acabar com a celulite

KÁTIA NEVES

Colaboração para o UOL

16/11/2010 07h00

Além de ser uma inimiga implacável, o pior fato referente à celulite é que ela não tem cura. Isto significa que ainda não há tratamento, cosmético, massagem ou “promessa” que elimine definitivamente o problema. No entanto, regredir o grau da celulite é possível  e há muitas maneiras de conseguir esta façanha. A melhor delas é atacar em várias frentes: tratamentos estéticos, drenagem linfática e cremes para melhorar o aspecto da pele. Tudo aliado a uma alimentação saudável e uma rotina de exercícios aeróbicos para estimular a circulação sanguínea.

  • Thinkstock/Getty Images

    Considera pelos dermatologistas como uma inflamação crônica multifatorial, a celulite deve ser tratada com a associação de várias terapias

Para o dermatologista norte-americano Howard Murad (médico de celebridades como Uma Thurman, Madonna e Oprah Winfrey), professor de Dermatologia Clínica  na Gellen School of Medicine da UCLA e autor do livro “A Solução para a Celulite”(editora Prestigio), os melhores tratamentos são aqueles que atacam várias frentes: aumentar o fluxo sanguíneo, estimular a produção de colágeno e elastina, reduzir a inflamação e prevenir os danos dos radicais livres. “Todos os métodos utilizados pela medicina para tratar a celulite funcionam em conjunto. Quanto mais deles você empregar, mais sucesso terá em reduzir e prevenir a doença”, escreve  o especialista, em seu livro.

No quesito tratamentos estéticos, as clínicas oferecem um arsenal sedutor. Porém, antes de abrir a carteira é preciso avaliar até que ponto o investimento vale a pena.  Para a dermatologista pós-graduada em cosmiatria pela Universidade JFK (Buenos Aires),  membro da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina com atualização em laser pela Harvard Medical School e membro da Sociedade Brasileira de Medicina Estética e da  Academia Americana de Dermatologia, Kátia Volpe, da Clínica Volpe, em São Paulo, o melhor resultado pode ser obtido com a junção de três tecnologias diferentes, ao invés de realizar várias sessões com um único aparelho. “Como a celulite é multifatorial, deve ser tratada com tecnologias diferentes. Quanto mais avançada a tecnologia utilizada, melhor o resultado. Podemos dizer que a celulite melhora, mas dificilmente há cura”, explica a médica.

Quando se fala em tecnologia, há três categorias que devem ser avaliadas: básica, média e avançada. Na prática, significa que alguns tratamentos, na avaliação dos especialistas, funcionam apenas para prevenir o aparecimento da celulite, como a drenagem linfática, por exemplo. “Esta massagem ajuda a reduzir o acúmulo de líquido no organismo, que aparece no período pré-menstrual, e que causa inchaço do corpo. Muitas vezes ela é indicada na fase inicial da celulite, mas atua apenas como coadjuvante. Quanto maior for o grau da celulite, mais complexo é o tratamento pra amenizá-la”, explica a dermatologista, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, da Academia Americana de Dermatologia, da Sociedade Brasileira de  Cirurgia Dermatologica e da Sociedade Brasileira de Laser,  Patricia Rittes, de São Paulo. Nesta mesma categoria estão os cremes anticelulite, que hidratam e melhoram o aspecto da pele.

  • Alexandre Schneider/UOL

    Drenagem linfática atua como coadjuvante no tratamento da celulite

As tecnologias intermediárias são aquelas que conseguem reduzir, em média, um grau da celulite, como a carboxiterapia, a endermologia e ultrassom de baixa potência.  “São tratamentos que até diminuem um pouco a celulite de grau 2, mas seus resultados duram, em média, três meses”, revela Patricia.

Já os tratamentos com tecnologia avançada englobam aparelhos que trabalham em várias frentes: estimulam o colágeno, reduzem a inflamação e quebram as células de gordura. “São equipamentos que garantem capacidade de estímulo maior. Um exemplo é a tríade radiofreqüência, infravermelho e ultrassom de alta potência. Essas três tecnologias funcionam para os grau 3 e até 4 da celulite, desde que sejam bem indicadas e aplicadas por profissionais experientes”, comenta Kátia Volpe. 

No caso da celulite mais severa, de graus 4  e 5 (com flacidez) o ideal é a subcisão, um procedimento cirúrgico que promove a ruptura da fibrose, responsável por puxar a pele para baixo e provocar buracos na pele. “Dependendo do caso, ainda é preciso indicar drogas lipolíticas injetáveis no tecido gorduroso, para amenizar o quadro”, comenta Patricia Rittes. 

Ora, pílulas!

A empresa Nutrilatina (SAC 0800-412423) lançou recentemente o suplemento Cellulisolution (R$ 99,00 a caixa com 64 cápsulas), que promete reduzir o aspecto casca de laranja, proporcionando à pele uma aparência mais lisa. Segundo o fabricante, a fórmula contém ativos antioxidantes e anti-inflamatórios. Para a dermatologista Daniela Nunes, diretora médica da Slim Clinique e professora adjunta do curso de Laser e Dermatologia Cosmiátrica do Hospital Geral de Bonsucesso, no Rio de Janeiro, as cápsulas contra celulite contêm substâncias drenantes, que melhoram a retenção e o quadro inflamatório e que ajudam a melhorar o aspecto da celulite, no entanto, são coadjuvantes. “Se usadas isoladamente, o resultado será muito aquém do desejado”, diz.

Tecnologia de ponta

Aqui estão os aparelhos mais modernos no tratamento da celulite e que também atuam na gordura localizada e na flacidez. A escolha depende da avaliação do médico, e o resultado varia conforme as características individuais. Os preços foram pesquisados junto aos fabricantes dos equipamentos:

Tripollar: radiofrequência de terceira geração que estimula o colágeno e combate a flacidez. Preço da sessão: a partir de R$ 500,00

Reaction: radiofrequência associada a terapia à vácuo para reduzir a flacidez e quebrar as células de gordura. Preço da sessão: a partir de R$ 400,00

Accent Ultra: associa radiofrequência com ultrassom seletivo, que age também nas células de gordura. Preço da sessão: a partir de  R$ 400,00

SmoothShapes: tecnologia denominada fotomologia (laser de diodo, energia luminosa, massagem mecânica e sucção a vácuo) para atuar na gordura, na flacidez e na ondulação da pele. Preço da sessão: a partir de R$ 250,00

Velashape Plus: combina radiofrequência bioplar, infravermelho, sucção a vácuo e massagem mecânica para atuar na redefinição do contorno corporal. Preço da sessão: a partir de R$ 350,00

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Beleza
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Mulher - Beleza
do UOL
UOL Estilo
UOL Estilo
do UOL
do UOL
Topo