Beleza

Ano do esmalte na beleza, 2010 lançou cores, texturas e novos modismos para as unhas

KÁTIA NEVES

Colaboração para o UOL

09/12/2010 07h00

Na área da beleza, 2010 pode ser considerado o ano da ascensão e consagração do esmalte. Considerado fundamental para compor o visual feminino, ele ganhou status de acessório de moda. A supremacia dos “clarinhos" em contraposição aos vermelhos foi derrubada pela explosão de cores como o azul, o verde, o alaranjado e o cinza, que circulam nas unhas em infinitos acabamentos - fluorescente, fosco, glitter, perolado, cremoso, cintilante, metálico, matte, holográfico, flocado, "duochrome" e emborrachado.

  • Divulgação

    Neutros, verdes, corais, flocados, tons pastel, neons, glitters e holográficos: algumas das tendências de esmaltes que fizeram a cabeça - e as unhas - das brasileiras em 2010

Disseminadores do culto à unha, os blogs de esmalte pipocaram na internet, divulgaram e comentaram tendências e foram fundamentais para a valorização deste cosmético. Para Camila Zatz, do blog Loucas por Esmalte, os tons fluorescentes (ou neon) foram os que mais agradaram as brasileiras. A tendência começou no início de 2010 e ainda está na moda. “As cores fluorescentes começaram a bombar nas unhas e acabaram entrando para o vestuário. Ainda estamos com muitas roupas e sapatos nesses tons, e tudo começou com as unhas”, diz Camila. Para ela, o estilo fosco não agradou tanto a consumidora brasileira esperava. “Apesar das marcas de esmaltes terem lançado diversas coleções com esmaltes foscos, a mania atraiu mais as loucas por esmaltes do que a consumidora ‘comum’. Observando nas ruas, percebi que era bem mais fácil encontrar uma mulher usando um esmalte neon do que um fosco”,  finaliza. 

Já para Letíca Cardoso e Bia Lombardi, do blog Mão Feita,  as cores pastel, ou “candy nails” como elas costumam chamar, foram as mais usadas neste ano e continuarão nas unhas das consumidoras em 2011. “Acredito que, além dos tons pastel, o branco será a grande tendência para o próximo verão”, diz Letícia. Quando o assunto é textura, as blogueiras do Mão Feita também concordam que a cobertura fluorescente foi a grande aposta do começo do ano, mas que agora é a vez dos holográficos. “Matte, é um tipo de cobertura difícil de agradar a todas. Já o flúor foi super usado no começo do ano, alto verão, as consumidoras surpreenderam a gente e se jogaram na ousadia. Glitter, sempre teve seu público. Agora, o holográfico é o grande objeto de desejo para 2011”, diz Bia, que também recebe o aval de Letícia.  “Acho que matte e fluor já caíram bastante, a procura diminuiu muito e quem entrou (e está) com tudo agora é o holográfico. A grande diferença dos glitters nomomento é que são 3D e possuem partículas de poliéster metalizado que dão um efeito tridimensional. Para 2011 acredito que o craquelado e o flocado também farão muito sucesso”, complementa.

Para a aficionada por esmaltes Mônica Araujo, do blog 9 ml,  as mais jovens se jogaram nos coloridos. As mulheres mais maduras trocaram o vermelho tradicional pelo pink vibrante; o nude e branquinho pelos tons acinzentados inspirados pelo Particulière  da Chanel. “Ninguém ficou de fora nessa revolução de esmaltes. O verão começou bem colorido e vibrante e todas as cores que chamavam a atenção fizeram sucesso”, diz.  Aliás, desde que a turma de Karl Lagerfeld mirou foco nas unhas, a maioria dos grandes lançamentos de esmalte saiu da maison Chanel.  A partir do momento que a marca lançou o azul-marinho Blue Satin (2008) e o verde-água Jade (2009), o esmalte virou objeto de desejo  para  as consumidoras brasileiras de todas as classes sociais.  Mas a blogueira ressalta:  “Se existe realmente algo que não pegou no Brasil foram os mattes. Todo o alvoroço do lançamento se deu mesmo pela novidade, pelo frisson de saber que a indústria brasileira estava sucumbindo aos pedidos das mulheres ávidas por coisas novas. Era com isso que ficávamos felizes e não com a unha matificada em si. Foi bom saber que tínhamos a opção de deixar fosco o esmalte. Mas a brasileira que adora brilho e luz, tratou de usar o seu top coat e continuar com suas unhas reluzentes. Em contrapartida, todas as outras novidades que favoreciam o espírito alegre pegaram, desde os neons supercoloridos aos brilhos dos holográficos. Até o glitter, que há alguns anos era considerado brega, voltou com tudo”, comenta Mônica.

Mercado promissor

A manicure Gisele Camargo, da boutique de esmaltes Pic Nic Dric Adriana Barra, em São Paulo, revela que a consumidora brasileira adotou o esmalte colorido e procura marcas hypes como a Chanel, com tons que estão nas mãos das celebridades. “Particulière, Jade, Blue Satin, Black Velvet, Gôndola e Strong são as cores mais desejadas por minhas clientes que estão sempre antenadas com a moda”, comenta Gisele, que cita o glitter e o holográfico como as texturas mais pedidas e o flocado como aposta para 2011. “Antes ninguém queria passar esmalte com glitter, agora as meninas querem o Happy Birthday, de Deborah Lippmann. Já entre os holográficos, o que mais sai é o da OPI com efeito 3D. Agora, o flocado laranja da Nfu-Oh, com certeza, fará sucesso no verão”, explica.

Para as esmaltólatras de plantão que não têm acesso às marcas internacionais, a indústria cosmética brasileira criou coleções inspiradas nas passarelas das grandes grifes. Segundo a diretora executiva de Marketing da Hypermarcas, Mel Girão, a Risqué acompanha o comportamento das mulheres do mundo todo e há algum tempo, verifica que o esmalte vem sendo usado como um acessório de moda. Considerando esta evolução, a marca iniciou um trabalho mais ousado em cores e efeitos que vem agradando as consumidoras mais antenadas. “Para a criação dos esmaltes, levamos em conta pesquisas com estilistas e fornecedores sobre o que será tendência no universo da moda. Além disso, estamos sempre alinhados com resultados de insights diferenciados originados do acompanhamento das consumidoras e manicures”, diz. Como exemplo, há a parceria que a marca desenvolve desde 2005 com o estilista Reinaldo Lourenço - a de verão 2010, Pop 4 You, teve inspiração nos anos 60.

O esforço das empresas em correr atrás de novidades parece agradar as consumidoras. Dados da Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec) mostram que só em setembro deste ano, o consumo brasileiro de esmaltes chegou a quase 60 milhões de vidrinhos. E a projeção da Abihpec para 2010, se mantida a proporção, podo alcançar um total de 720 milhões de unidades vendidas, o que torna o Brasil o segundo mercado mundial do produto, atrás apenas dos Estados Unidos - um crescimento expressivo, já que em 2009 a indústria registrou a produção de 360 milhões de unidades, proporcional a um faturamento de R$ 395,7 milhões. “Além da mudança de comportamento, outro fator que contribui para o crescimento da procura por esmaltes no Brasil, desde 2004, é a incorporação das classes C e D ao consumo”, diz  João Carlos Basilio, presidente da Associação.

Na onda das celebridades

  • Patrícia Araújo/UOL

    Unhas com adesivos Minx Nails na mão da manicure Gisele Camargo, de São Paulo

As mãos de Katy Perry, Beyoncé, Rihanna, Lady Gaga e outras celebridades que flertam com o mundo da moda estão sempre na mira das mulheres que adoram novidades. É por isso que 2010 foi marcado também por tendências na forma de aplicação dos esmaltes.

Os adesivos para unha viraram febre no quesito decoração. A marca californiana Minx Nails, que faz a cabeça – ou melhor, as mãos - da cantora Katy Perry, aterrissou no Brasil com padronagens diferenciadas e até desenhos sob encomenda. “Há adesivos com versões holográficas, oncinha, caveirinha...A aplicação é bem simples e dura cerca de uma semana”, conta a manicure Gisele Camargo. O preço, no entanto, ainda é pouco convidatido para as brasileiras: é preciso dispender cerca de R$ 200 apenas para decorar as unhas das mãos, enquanto um vidrinho de esmalte das marcas populares custa entre R$2 e R$ 3.

Outra novidade que fez sucesso foi a "half moon" (meia-lua), popularizada pelas celebrities Dita Von Teese e Kim Catrall. Aqui no Brasil, a atriz Mayana Moura adotou o estilo inspirado nas décadas de 20 e 30. “Com certeza a vintage nail (unha vintage), ou francesinha invertida como alguns chamam, é sexy e elegante ao mesmo tempo!”, diz Bia Lombardi, do blog Mão Feita. O charme deste estilo é deixar uma meia lua próxima à cutícula sem pintar ou pintada com esmalte claro.


Leia mais:

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Mulher - Beleza
do UOL
UOL Estilo
UOL Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Beleza
do UOL
do UOL
UOL Mulher - Beleza
do UOL
Topo