Beleza

"Cosméticos em cápsulas" estão em alta; desvende os nutricosméticos

Carol Salles

Do UOL, em São Paulo

01/07/2013 07h10

Beleza de dentro para fora: esse é, basicamente, o conceito dos nutracêuticos, aliméticos e nutricosméticos. “Hoje, na dermatologia, a tendência é o conceito “in & out”, ou seja, não se usa mais apenas tratamentos tópicos e, sim, uma combinação que inclui cremes e compostos de vitaminas, minerais e outras substâncias para se chegar ao melhor resultado possível”, explica a dermatologista Camila Ciarleglio, de São Paulo. Embora pareçam, à primeira vista, serem a mesma coisa, cada um tem sua especificidade:

- Nutricosméticos são cápsulas de nutrientes (vitaminas, minerais, aminoácidos, fitoterápicos ou compostos bioativos de origem vegetal) que trazem doses acima da IDR (ingestão diária recomendada) e possuem função estética.

- Nutracêuticos também são compostos com doses acima da IDR. “Mas, diferentemente dos nutricosméticos, priorizam a prevenção e a manutenção da saúde, e não a beleza”, explica o clínico geral e nutrólogo Thiago Volpi, de São Paulo.

- Aliméticos possuem componentes em quantidades compatíveis com a IDR. “Além disso, se apresentam somente na forma de bebidas ou alimentos. Geralmente, não possuem açúcar, conservantes ou corantes em sua composição”, completa o médico.

Por uma questão de marketing, a indústria brasileira apoderou-se das denominações, embora a maioria dos produtos vendidos aqui sejam, na verdade, mais próximos dos aliméticos (que não ultrapassam a quantidade diária recomendada de cada nutriente). “Isso acontece porque não existe uma legislação para esse tipo de produto”, explica a farmacêutica Karina Ruiz, de São Paulo.

Por que tomar?
A grosso modo, as cápsulas repõem nutrientes que estão em falta no organismo. Nada que uma boa alimentação não resolva - no entanto, com o dia a dia corrido, quem consegue se alimentar de forma exemplar, 100% balanceada? É aí que entra a força desse tipo de cosmético. Eles têm o poder de fortalecer unhas e cabelos quebradiços, melhorar a hidratação cutânea, firmar a pele e até melhorar o aspecto casca de laranja dado pela celulite. Funcionam bem em casos brandos, (cabelos enfraquecidos, celulite em estágio inicial...). Para uma patologia mais séria, como queda severa de fios, é preciso buscar a orientação de um especialista. “Acredito que eles desempenhem função mais preventiva do que regeneradora”, opina o dermatologista Jardis Volpe, de São Paulo.

Posologia
A recomendação diária de consumo varia de produto para produto. Por isso, antes de qualquer coisa, é importante ler as instruções da embalagem e segui-las à risca. Outro ponto importante é o tempo de tratamento: a maioria dos fabricantes diz que os resultados começam a ser visíveis após 3 meses, e os especialistas consultados para essa reportagem recomendam que se tome as cápsulas por 6 meses. Para que haja melhor absorção dos nutrientes, Camila Ciarleglio dá a dica: antes de começar com os nutricosméticos, tome probióticos (também em cápsulas). Eles equilibram a flora intestinal e, assim, ajudam a aumentar a absorção de nutrientes. “Além disso, seu uso pode – e deve – ser associado a cremes, para potencializar os efeitos”, completa o dermatologista Marcelo Bellini, de São Paulo. Na dúvida, procure um dermatologista ou nutrólogo antes de iniciar o tratamento.

Conheça os tipos mais comuns de nutricosméticos:

1. Proteção extra contra o sol. Úteis para quem tem tendência a desenvolver manchas. Muitos contêm carotenóides, que não apenas auxiliam no bronzeado como também aumentam a proteção da pele. Deve-se começar a tomar um mês antes da exposição solar, e continuar tomando por alguns dias depois. Importante: este produto não substitui o uso do protetor solar.

2. Queima de gordura e melhora da celulite. Possuem ativos de efeito drenante e que melhoram a tonicidade dos vasos sanguíneos, favorecendo a circulação. O ativo mais usado para esse fim é a cafeína. O óleo de cártamo também aparece com frequência neste tipo de composição. “Quem tem celulite associada à flacidez, no entanto, pode precisar de outros ativos. Por isso, é importante a avaliação de um especialista antes de escolher o seu produto”, alerta Jardis Volpe.

3. Fortalecimento de unhas e cabelo. A vitamina biotina é um dos ativos mais usados nesse tipo de cosmético. Zinco e ferro também são componentes comuns. Lembre-se que este produto serve para fortalecer os fios, e não acabar com a queda.

4. Combate aos sinais do envelhecimento. Geralmente, é feito um coquetel de ativos antioxidantes (que combatem os radicais livres, células responsáveis pelo envelhecimento), como as vitaminas C e E e o silício orgânico, que também ajuda na formação de colágeno.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
do UOL
do UOL
Blog do Rodrigo Cintra
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Beleza
do UOL
do UOL
UOL Estilo
BBC
do UOL
do UOL
Blog do Rodrigo Cintra
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Beleza
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Blog do Rodrigo Cintra
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
ANSA
do UOL
do UOL
Topo