Beleza

Vale a pena ser fiel a um cosmético? Descubra se chegou a hora de mudar

Thinkstock
Saiba se está na hora de olhar para outras prateleiras na hora de comprar seus cosméticos Imagem: Thinkstock

Shâmia Salem

Do UOL, em São Paulo

21/03/2014 07h15

Recentemente, a atriz Kristen Stewart, de 23 anos, declarou que não costuma repetir cosméticos. Poder financeiro, insatisfação, "beautyholic" ou exibicionismo à parte, o que vale mesmo é saber se este troca-troca de produtos é bom ou ruim para pele.

“Isso não faz tanta diferença quando se é jovem e tem uma pele saudável. Afinal, as células se renovam a todo vapor, a produção de sebo costuma se normalizar e as fibras de sustentação cutânea estão ótimas. Basicamente, você só precisa de um hidratante e um protetor solar”, afirma o dermatologista Fernando Macedo, da Clínica Image, em São Paulo. Já aquelas que têm acne, oleosidade excessiva ou pele sensível devem pegar leve na experimentação e analisar bem cada uma das escolhas para que esses problemas não piorem.

Cautela também deve ser a palavra de ordem para quem está na faixa dos 30 anos, momento em que surgem as linhas de expressão na área dos olhos, testa e entre o nariz e a boca. As manchas também ficam mais evidentes e a produção das fibras de colágeno e elastina começa a diminuir. Nesta fase da vida, só a hidratação não basta. E para tirar a prova de que o creme da vez realmente funciona é necessário aplicá-lo por, no mínimo, dois ou três meses consecutivos.

“Este é o período que as substâncias da fórmula levam para estimular a produção de colágeno ou ajudar a uniformizar a coloração do rosto, por exemplo”, avisa o dermatologista Fernando Macedo. Concorda com ele o dermatologista Jorge Mariz, do Rio de Janeiro: “Ao trocar de cosmético toda hora, você não está fazendo tratamento, está apenas passando o produto no rosto. No curto prazo, só é possível avaliar os efeitos colaterais, como alergia e espinhas.”

Mudar também é preciso
Por mais que você ame um cosmético, chega uma hora em que é essencial tirá-lo da nécessaire. “Isso deve ser feito quando surgem alterações, como acne ou manchas, ou se a mulher engravida ou entra na menopausa, já que os hormônios alteram a oleosidade, a hidratação, a textura, os poros e até a coloração cutânea", explica a dermatologista Silvia de Melo, da Clínica Ivo Pitanguy, no Rio de Janeiro. 

Outro momento interessante para substituir o creme é quando surge um concorrente com os mesmos princípios ativos e que oferece algo a mais, como melhor preço, ausência de fragrância, ajuda na retração dos poros ou acréscimo de tonalizante, por exemplo.

Aviso às viajantes
Para quem vai com frequência ao exterior e sempre traz cosméticos na bagagem, a dermatologista Silvia de Melo recomenda: “Antes de embarcar, marque uma consulta com o seu médico e peça para ele fazer uma lista do que vale a pena comprar. Mas, se não der tempo, leve tudo o que você adquiriu para ele avaliar o que é legal usar agora, guardar para mais adiante ou doar. Assim, o barato não sai caro [para a sua pele]”. 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

BBC
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Beleza
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
ANSA
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Mulher - Beleza
Topo