Beleza

Brasileira mostra as diferenças na hora de ir à manicure no Japão

Vivian Ortiz

Do UOL, em São Paulo

Cortar, lixar, tirar as cutículas, passar o esmalte e limpar. O processo de fazer unhas é o mesmo em qualquer lugar do mundo, certo? Um vídeo curioso postado por Elizângela Mendes em sua página no Facebook "Elisa no Japão" (com quase 120 mil seguidores) mostra que não é bem assim. Publicadas há nove meses e com mais de 4 milhões de visualizações, além dos 23 mil comentários, as imagens mostram como foi a primeira ida dela a uma manicure japonesa.

Por 4700 ienes (algo em torno de R$ 133), a profissional apenas raspa a cutícula, depois passa uma espécie de base bem grossa, que dá volume a unha e, por fim, pinta e até faz um desenho. No meio do processo, a própria Elisa reclama que as cutículas estão do mesmo jeito de quando chegou ao salão.

Em entrevista ao UOL, ela explica que, apesar de ter ficado bastante surpresa com a repercussão do vídeo, o que mais chamou sua atenção foram os comentários. Neles, várias mulheres dizem que iriam até o Japão para ganhar muito dinheiro trabalhando como manicure. "Brinco que elas passariam fome, pois aqui o negócio é diferente", explica.

Nada de alicate

Reprodução/Facebook
Elisa mostra sua unha após passar por uma manicure no Japão Imagem: Reprodução/Facebook

De acordo com a Youtuber, a pessoa que quiser trabalhar como manicure em algum salão no país precisa estudar bastante até conseguir uma licença de trabalho. "Tudo porque, caso arranquem 'um bife' mais profundo, ou a pessoa precise ir até o hospital tratar algum sangramento, o cliente pode até pedir indenização para o estabelecimento", conta.

Justamente por isso, é raro encontrar alguma manicure que tire as cutículas trabalhando em salões. E, caso venha a cruzar com alguma que faça o serviço, a cliente vai precisar assinar um termo de responsabilidade antes. "Tudo porque as mãos das japonesas são como as de uma criança, com cutículas finas e quase invisíveis. Precisa desse cuidado", explica.

Se fazer a cutícula não é o forte das manicures do país, elas acabam tornando-se especialistas na decoração das unhas, seja desenhando, colocando pedrarias ou até a versão em gel. O custo não é fechado, mas cobrado pelo valor de cada serviço. "Antes de fazer qualquer coisa, elas sempre perguntam: 'para colocar esse esmalte vai custar tanto, tudo bem?' Isso é ótimo", diz.

Tem que voltar

Arquivo pessoal
Elizângela Mendes é dona do canal "Elisa no Japão" Imagem: Arquivo pessoal

E para tirar aquela camada grossa de esmalte? Passar acetona resolve? Segundo Elisa, até serve, mas estraga um pouco a unha. O recomendado é voltar ao salão para retirar o esmalte. Para isso, a cliente paga uma nova taxa, de cerca de 2 mil ienes (R$ 56). "É bem curioso e diferente, mas é cultura e ninguém reclama muito do preço", diz.

Assim como no Brasil, para ser atendida no salão é preciso marcar um horário antes. Mas é melhor ir com a agenda livre, pois o serviço de fazer a unha dura cerca de duas a três horas. A má notícia é que, se você não curtiu muito o método japonês, vai ter um problema. Isso porque, segundo Elisa, a venda de alicate de unha nas lojas japonesas é mais rara. "O que eles costumam oferecer é uma espécie de espátula que ajuda a tirar a cutícula, mas não tem o mesmo efeito", explica.

De acordo com Camile Nishida, que trabalha de intérprete no Japão, a manicure também pode atender em casa, tirando ou não a cutícula da cliente, sem grandes problemas. "Mas, a partir do momento em que quiser oferecer seus serviços em um salão de beleza, precisará dar satisfação para a vigilância sanitária e ainda ter um alvará, que só consegue na escola de manicure. Dependendo, o curso pode durar de um a dois anos", explica.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
RedeTV! Entretenimento
Redação
redetv
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Beleza
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Beleza
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Beleza
do UOL
do UOL
do UOL
Topo