Beleza

Vaselina, petrolato ou óleo mineral: esses ingredientes são um problema?

iStock
Mesmo cosméticos caros podem ter petrolatos na fórmula; leia sempre o rótulo Imagem: iStock

Paula Roschel

Colaboração para o UOL, em São Paulo

11/09/2017 04h00

Presentes em muitos cosméticos, derivados do petróleo estão na berlinda da saúde e da sustentabilidade em discussões acaloradas entre especialistas e consumidores. Mas qual é a verdade nisso tudo? Existem provas suficientes para enquadrar o petrolato como um problema dentro do nécessaire? Veja as dúvidas mais comuns:
 

Como posso identificar o petrolato nos rótulos?

O ingrediente é usado pela indústria cosmética há bastante tempo, por ser uma matéria barata e produzida em grandes quantidades. Essa mistura semi-sólida de hidrocarbonetos obtida por meio do petróleo e usada, entre outras coisas, em pomadas medicinais e para lubrificação pode ser identificada também como parafina, vaselina, óleo mineral e até mesmo silicone, afirma o dermatologista Alberto Cordeiro, da H?raios Estética.

O componente pode estar presente nas fórmulas de produtos para corpo, cabelo e rosto com as nomenclaturas de MINERAL OIL -PARAFFIN, PARAFFINUM LIQUIDUM  -PETROLATUM, C10-11 ISOPARAFFIN, C13-14 ISOPARAFFIN, C13-16 ISOPARAFFIN, C15-35 ISOPARAFFIN/ISOALKYLCYCLOALKANES, C18-50 ISOPARAFFIN, C18-70 ISOPARAFFIN, C20-40 ISOPARAFFIN, CHLORINATED PARAFFIN, PETROLATUM RED, PETROLATUM BETA, METHYL-CYCLODODECANEETHANOL, DIISOCETYL DODECANEDIOATE, DIOCTYLDODECYL DODECANEDIOATE, DODECANE, DODECANEDIOIC ACID, DODECANEDIOIC ACID/CETEARYL ALCOHOL/GLYCOL COPOLYMER, C7-8 ISOPARAFFIN, C8-9 ISOPARAFFIN, C9-13 ISOPARAFFIN, C9-14 ISOPARAFFIN, C9-16 ISOPARAFFIN, C10-13 ISOPARAFFIN, C9-11 ISOPARAFFIN, C11-13 ISOPARAFFIN, C11-14 ISOPARAFFIN, C9-12 ISOPARAFFIN, C10-12 ISOPARAFFIN, C11-12, ISOPARAFFIN, C12-14 ISOPARAFFIN, C12-20 ISOPARAFFIN.

Por que se tornou vilão?

“No petrolato bruto existem substâncias chamadas hidrocarbonetos aromáticos. Um estudo norueguês, publicado este ano, concluiu que esses componentes aromáticos estão diretamente relacionados com o aparecimento de câncer em trabalhadores expostos ao petrolato não refinado. Quando usado em cosméticos, o petrolato já está refinado e, por isso, ele é considerado seguro pelos órgãos regulatórios, como Anvisa, FDA e Europe Commission. Portanto, é importante não tratar o óleo mineral como se ele fosse apenas uma substância. Existe o não refinado, que é um risco, e o purificado, considerado seguro”, esclarece Lucas Portilho, consultor e pesquisador em Cosmetologia, farmacêutico e diretor científico da Consulfarma.

Como ele age na pele e nos cabelos?

Para o dermatologista e cirurgião dermatológico Gabriel Aribi, a forma como o componente age é um ponto negativo: “Do ponto de vista cosmético, nos cabelos e na pele ele forma uma película impermeável, que pode atrapalhar a nutrição. E pode entupir os poros e causar dermatites” enfatiza.

Efeito rebote: sim ou não?

Efeito rebote é quando existe a volta de sintomas e características após o uso de algum produto para curar ou amenizar tal condição. Em muitos tutoriais pela internet esse termo é aplicado ao petrolato, mas o especialista Lucas Portilho esclarece o que ocorre: “O efeito rebote não existe. Na verdade, quando o consumidor aplica um produto com óleo mineral, a pele se mantém hidratada, fica com aspecto mais bonito, mas só até retirar o cosmético. Após o banho, o produto é removido e a desidratação continua, ocorrendo a necessidade de reaplicação.”

Profissionais da beleza correm mais risco?

Para quem trabalha em salões de beleza e clínicas de estética a atenção deve ser redobrada: “Alguns artigos comprovam a nocividade do petrolato com uso contínuo, pois se acumulam no organismo. Além do risco maior de desenvolver artrite reumatóide por profissionais que estão em constante contato e manipulação”, alerta Isabel Piatti, especialista em estética e cosmetologia e embaixadora do CIA (Centro e Instituto Internacional de Aprimoramento e Pesquisas Científicas).

Há algum impacto na natureza?

Além de pensar no impacto direto ao corpo, muitos consumidores tiraram o petrolato da sua vida por um motivo muito mais global, pois ele é prejudicial aos organismos aquáticos e a água contaminada por derivados de petróleo é imprópria para uso ou consumo humano. “Apenas 1 litro de óleo mineral usado pode contaminar 1 milhão de litros de água, comprometendo sua oxigenação. Essa substância leva dezenas de anos para desaparecer no ambiente, matando a vegetação e microrganismos, causando infertilidade, entre outros impactos”, enfatiza Isabel. Imagina o quanto isso é massivo se considerarmos o consumo da população mundial, jogando ralo abaixo no banho seus cremes para cabelo e pele todo dia?

Afinal, é melhor usar ou não?

Para Lucas Portilho, tendo em vista que opções vegetais podem ser mais sustentáveis, o melhor é não usar produtos com derivados de petróleo. Essa ideia também é defendida por Isabel Piatti, que recomenda produtos biocompatíveis, livres de substâncias irritantes e sensibilizantes. O dermatologista Gabriel Aribi também segue essa tendência de pensamento: “Eu aconselharia a parar de usar fórmulas contendo petrolato para prevenir a intoxicação com substâncias cancerígenas e também evitar prejudicar o meio ambiente.”

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
BBC
Blog Luciana Bugni
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Moda
do UOL
Moda
do UOL
do UOL
Blog Luciana Bugni
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Blog do Rodrigo Cintra
Blog Luciana Bugni
Beleza e maternidade
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Erratas
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Beleza
do UOL
do UOL
Blog Luciana Bugni
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Mulher - Beleza
do UOL
UOL Mulher - Beleza
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Erika Bronze
Blog Luciana Bugni
Blog do Rodrigo Cintra
Da cor do Brasil
do UOL
Topo