Beleza

Cosméticos multifuncionais economizam seu tempo. Mas vale a pena investir?

Mel Meira

Colaboração para o UOL

21/11/2017 04h00

De olho na correria do dia a dia, os fabricantes de cosméticos têm apostado em produtos multifuncionais, que ganham destaque nas prateleiras de farmácias e perfumarias. Hoje eles vão muito além dos antigos xampus 2 em 1: há opções para cuidar do rosto, do corpo, do cabelo e até maquiagem. Veja as dúvidas mais comuns sobre eles:

O que são cosméticos multifuncionais?

Aline Vieira, dermatologista da Clínica VR, do Rio de Janeiro, que cuida de atrizes como Nanda Costa e Tainá Muller, explica que o cosmético multifuncional é aquele cuja fórmula consegue ter diferentes alvos de ação. "É aquele produto que, por exemplo, controla a oleosidade durante o dia e protege contra radiação solar, ou que tem ação de clareamento e estímulo de colágeno ao mesmo tempo".

Veja também

Posso usar mais de um ao mesmo tempo na mesma área?

Segundo a dermatologista, sim, desde que sob supervisão médica. "Podemos somar seus efeitos, com o cuidado de ter orientação do dermatologista. Caso contrário, pode-se acabar usando produtos que competem entre si, anulando os efeitos", explica.

Qual a maior vantagem?

A praticidade, claro, já que esses cosméticos agem em diferentes frentes ao mesmo tempo. "Associar tudo na mesma formulação ajuda na adesão do paciente ao tratamento e facilita a aplicação", pontua a dermatologista Aline Vieira.

E a desvantagem?

A médica ressalta que não é possível associar todos os ativos nas fórmulas ao mesmo tempo -- ou seja, há uma limitação do que usar num mesmo produto. “Não são todos os ativos que podem ser associados, pois eles devem se estabilizar em um mesmo pH da formulação. Quando você deseja utilizar ativos que se estabilizam em pH diferentes, eles devem ser usados separadamente", diz.

Que tipo de maquiagem multifuncional vale a pena comprar?

Essa é uma decisão pessoal -- vai depender do que você costuma usar. Nas perfumarias, há primers multifuncionais, produtos que podem ser usados como blush ou nos lábios, bem como outros que desempenham função de base, corretivo e pó ao mesmo tempo. “Existem soluções como o BB Cream, que permite hidratar, uniformizar e proteger a pele, o que facilita muito a maquiagem. É importante levar em consideração a qualidade do produto e entender se os benefícios estão de acordo com a pele”, destaca Rosman Braz, beauty artist do Salão 1838 Jardim América, de São Paulo. Não adianta comprar um produto sem ação matificante se você tem pele oleosa, por exemplo.

Vale investir em produtos para o corpo com vários benefícios?

Cuidados com a pele do corpo são tão essenciais quanto os que temos com a do rosto. Por isso, há cada vez mais opções de hidratantes com elementos firmadores, anti-idade e proteção solar. “A pele é um único órgão e assim como a do rosto, a de outras regiões do corpo também sofre as mesmas modificações com a idade: perda de firmeza e elasticidade, perda de densidade e propensão a manchas. Assim, devemos tratar da pele do corpo com o mesmo cuidado e atenção que cuidamos do rosto, não somente hidratando-a, mas também protegendo-a da ação do sol e cuidando de sua firmeza e elasticidade”, defende Flávia Zanella, da divisão de Skincare e Sun Care da Basf para a América do Sul.

Quais as melhores opções para os cabelos?

Finalizadores, como sprays e leave-ins multifuncionais, são ótimas saídas para cuidar dos cabelos gastando menos tempo. Para Priscila Bento, hairstylist do Salão 1838 Estados Unidos, de São Paulo, um exemplo interessante é o spray líquido de volume e proteção térmica. "Além de proteger o fio contra o calor da chapinha, do babyliss e do secador, cria uma barreira contra a umidade e prolonga a duração do penteado”, recomenda. Vale também investir em produtos com FPS -- se você se expõe muito ao sol -- e nos inovadores cremes de limpeza, que chegaram recentemente ao mercado e têm conquistado adeptas do baixo poo.

Em produtos com proteção solar, como saber se o FPS é o suficiente?

Alguns cosméticos contam com proteção solar, mas nem sempre o FPS (fator de proteção solar) é o bastante. “O FPS mínimo deve ser 30 e deve estar especificado no rótulo do produto que ele contém proteção UVA e UVB”, pontua a demarologista Aline.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

do UOL
Blog da Sah Oliveira
do UOL
Blog Luciana Bugni
Blog do Rodrigo Cintra
Redação
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Blog Luciana Bugni
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Blog da Sah Oliveira
do UOL
do UOL
Blog do Rodrigo Cintra
Blog Luciana Bugni
Tudo Beleza
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Blog Luciana Bugni
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Blog da Sah Oliveira
do UOL
do UOL
Blog Luciana Bugni
Blog do Rodrigo Cintra
do UOL
Pode isso?
ANSA
Beleza
do UOL
Blog Luciana Bugni
do UOL
do UOL
do UOL
Topo