Casa e decoração

Luz pisca e tomada esquenta? Como evitar acidentes com a rede elétrica

Getty Images
Imagem: Getty Images

Marcelo Testoni

Colaboração para o UOL

12/12/2017 04h00Atualizada em 13/12/2017 18h08

Não fazer gambiarras, deixar fios desencapados e soltos, evitar muitos aparelhos potentes conectados em extensões e benjamins ou instalar tomadas longe de áreas molhadas... São vários detalhes para evitar choques elétricos, sobrecargas, curtos-circuitos e deixar o lar mais funcional e seguro. Veja abaixo:

Veja também

1. Contrate o profissional certo

Você pode estar apto para realizar pequenos reparos e instalações simples, mas somente um engenheiro elétrico ou eletrotécnico com registro no CREA (Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura) pode assinar um projeto de reforma completa da rede elétrica. O documento ainda tem de ser aprovado pela prefeitura do município onde fica o imóvel. Na dúvida, peça indicações de conhecidos ou referências prévias do profissional contratado.

2. Não sobrecarregue a rede

A função dos disjuntores ou fusíveis é proteger os fios elétricos de sobrecargas e curtos-circuitos. Podem até ser antigos, se estiverem em bom estado, mas nunca superdimensionados, ou seja, receberem uma somatória de correntes elétricas de cargas ligadas a eles. Isso ocorre principalmente na falta de mais disjuntores para uma distribuição adequada dos circuitos do imóvel.

3. Instale um dispositivo DR

O quadro de luz deve estar preparado para suportar uma supercarga de energia, maior até das que os disjuntores aguentam. Nesse caso, a instalação de um DR (dispositivo diferencial residual) é essencial. O dispositivo, que custa cerca de R$ 100, serve para desligar automaticamente todo o circuito elétrico quando uma corrente de fuga (fluxo enorme de eletricidade) é detectada, evitando, além da queima de todos os disjuntores e eletrodomésticos, choques elétricos fatais e incêndios.

4. Prefira peças anti-chamas

Em edifícios, um curto-circuito em um único apartamento pode representar uma ameaça a todos. Para não provocar incêndios, a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) exige das construtoras ou dos moradores que queiram reformar a rede de seu imóvel que utilizem condutores elétricos, como cabos e fios, com a sigla BWF, atestando que os componentes não pegam fogo em caso de sobrecorrente

5. Tenha tomadas resistentes

Tomada quente é um perigo. Se esquentou, provavelmente o aparelho conectado a ela consome energia além do suportado, convertendo a eletricidade perdida em energia térmica. A capacidade de uma tomada simples é de 10 amperes (unidade de medida da corrente elétrica). Equipamentos com potência superior a 1.000 W, como arcondicionado, torneira elétrica e secador, merecem tomadas com tensão 220V, dimensionadas por um profissional.

6. Evite muitos aparelhos juntos

Usar benjamins, réguas e extensões não é seguro, pois quando você aumenta o número de pontos de energia ou amplia consideravelmente o tamanho dos cabos, o sistema elétrico é obrigado a trabalhar mais e as tomadas acabam ultrapassando sua capacidade máxima de funcionamento. Como consequência, pode ocorrer o derretimento dos circuitos do aparelho e da tomada, além de um incêndio. Use esses itens apenas para conectar aparelhos de cargas pequenas, como notebook ou abajur.


7. Fio terra

O aterramento da fiação, ou fio terra, tem a função de drenar a energia que escapa dos aparelhos e fica acumulada nas superfícies metálicas, evitando choques elétricos. Deve ser feito em todas as tomadas e pontos de energia do imóvel e, no caso dos apartamentos novos, não se deve contar apenas com o que é oferecido pela concessionária no poste da rua e na caixa de força. O custo com fiação aumenta um pouco, mas o valor é pequeno diante da segurança.

8. Atente-se a luzes piscando

Elas dão sinais de uma possível queda de tensão elétrica, que ao voltar muito forte pode acarretar na queima de lâmpadas e aparelhos eletrônicos. Felizmente existem protetores chamados DPS (Dispositivo de Proteção de Surtos), que detectam sobretensões transitórias na rede e automaticamente cortam a distribuição de energia antes que ela volte com tudo. No caso das lâmpadas, em geral, somente continuam funcionando com uma queda de até 10% de tensão.

9. Mantenha distância da água

Áreas molhadas também precisam de tomadas, porém, para impedir que a água entre em contato com a fiação, a altura mínima indicada para elas é de cerca de 30 cm do chão ou de superfícies como pias, tanques e bancadas. Já nos jardins e quintais, onde pode haver iluminação, os equipamentos devem ser blindados para que a água não entre em contato com as correntes elétricas

10. Diferencie fios e cabos

Compreender cada um é fundamental para não levar choques. Em geral, fio é um condutor de cobre único, com até 6 mm², que deve estar sempre dentro de conduítes ou caixinhas. Já um cabo é formado por vários fios trançados que deve estar sempre dentro de conduítes ou caixinhas. Já um cabo é formado por vários fios trançados que garantem a maleabilidade e, se estiver bem encapado e num local sem tráfego de pessoas e animais, pode ficar solto, mas nunca embolado. Em média, a duração de ambos é de 20 anos de uso.

Fontes: Kouzo Nishiguti, técnico de instalações elétricas, e Fabiano Agnelli, engenheiro elétrico.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Folha de S.Paulo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Topo