Estilo de vida

5 dicas de como transformar uma casa de solteiro em um lar para 2

Juliana Nakamura

Colaboração para o UOL, de São Paulo

Falta de grana, apego a um determinado endereço e praticidade são alguns motivos que levam as pessoas a aproveitarem a residência “de solteiro” quando decidem se casar ou juntar os trapos. Mas converter uma casa pré-existente no lar de um casal feliz requer muito mais do que comprar uma cama maior. Algumas intervenções são essenciais para assegurar que o gosto, a personalidade e as necessidades de ambos os moradores sejam contemplados no espaço.

Juntando as escovas

  • Imagem: Getty Images
    Getty Images

    Décor a dois

    Seja grande ou pequena, simples ou luxuosa, cada casa (pelo menos idealmente) deve refletir as mudanças do estilo de vida de seus moradores. Por isso, quando a decisão de dividir o mesmo teto é tomada, compor uma nova ambientação torna-se importante. O primeiro passo é, para quem recebe o companheiro, abrir espaço e para quem chega, conseguir se adaptar a uma nova morada. Nesta fase, escolher novos móveis, cores e acessórios ajuda a evitar desconfortos entre o casal e a evidenciar o início de uma nova vida. Para o novo morador, uma nova decoração pode significar acolhimento e eliminar a sensação de que aquele espaço não lhe pertence. "A minha sugestão é que o casal saia junto para garimpar objetos que agradem a ambos", recomenda a arquiteta Evelyn Sayar.

  • Imagem: Getty Images
    Getty Images

    Pequenas mudanças, grandes resultados

    Transformar a casa de um solteiro em um lar para o casal nem sempre requer uma reforma completa. Às vezes, alterações pontuais, como a incorporação de algumas peças e a mudança de cor nas paredes são suficientes para atender às novas necessidades e anseios. "Por exemplo, se o armário não é grande o bastante, que tal aumentar o espaço com a aquisição de uma arara? Esse elemento, além de funcional, pode dar um ar mais descolado ao ambiente", sugere a personal organizer Simone Serrano.

  • Imagem: Getty Images
    Getty Images

    Dividindo a mesa

    Um dos cômodos que merece avaliação sob a ótica do casal é a cozinha. Dependendo do hábito dos moradores, pode ser necessário trocar a geladeira por um modelo maior ou adquirir novos equipamentos culinários, além de utensílios básicos como mais copos, panelas, talheres e pratos. O antigo living "de solteiro" pode ser incrementado com pufes, bancos e uma mesa de jantar maior para receber a família e amigos.

  • Imagem: Getty Images
    Getty Images

    Organize para evitar conflitos

    A organização dos espaços é fundamental para a manutenção de um convívio harmonioso. Por isso, antes de iniciar a mudança, o casal deve se questionar se há espaço suficiente para guardar tudo o que os dois precisam. "Se a resposta for negativa, vale investir em uma reorganização profunda, que inclua a revisão de todos os objetos acumulados na solteirice. Diante da falta de espaço, a solução é desapegar", recomenda a arquiteta Evelin Sayar. Outra prática salutar é conversar com o parceiro(a) sobre o uso do armário/ guarda-roupa/ closet. A melhor divisão, não é, necessariamente, a meio a meio. Há casos em que um dos membros do casal precisa de mais espaço do que o outro. "O ideal é chegar a um consenso e criar novos hábitos de organização sempre tendo em vista o respeito mútuo", afirma a organizadora Simone Serrano.

  • Imagem: Getty Images
    Getty Images

    Vamos falar sobre o banheiro?

    O sucesso de uma relação depende muito do respeito ao espaço e à individualidade do outro. Por isso, ter banheiros e armários separados ajuda a evitar conflitos. Para quem não tem tanto espaço, a saída é conversar e procurar entender a rotina do parceiro. Se o problema é a toalha molhada que fica no chão ou na cama, que tal colocar um cabideiro no quarto? Se o creme dental deixado aberto é o motivo da briga, talvez valha à pena manter sobre a pia um organizador de escovas e pastas para cada um. "É importante que o casal tenha clareza sobre o que quer para sua vida em comum e sobre a relevância de abandonar pequenas implicações em prol de algo maior", diz a coaching pessoal Cibele Nardi. Segundo ela, para que haja harmonia deve-se estabelecer um contrato verbal claro. Afinal, "tudo o que é combinado não sai caro".

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
Redação
do UOL
BBC
BBC Brasil
Redação
Redação
Redação
Projetos
Redação
UOL Estilo
Estilo
Moda
do UOL
Redação
Redação
UOL Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Redação
do UOL
do UOL
do UOL
Redação
do UOL
do UOL
do UOL
Redação
Redação
BBC
BBC
Redação
Projetos
do UOL
BBC
Glamurama
Redação
do UOL
do UOL
do UOL
Redação
do UOL
UOL Estilo
Redação
do UOL
Topo