Casa e decoração

No RJ, "casa do futuro" de R$ 5 mi terá chão que produz energia

Divulgação
Resultado de um financiamento coletivo, projeto da "casa do futuro" custa R$ 5 mi Imagem: Divulgação

Guilherme Aquino

De Milão para a BBC Brasil

14/09/2015 11h44

É a chamada casa do futuro: terá chão cinético, capaz de transformar os passos em luz. Será autossuficiente em energia elétrica e no abastecimento de água, com uso de chuva recolhida e filtrada. Os ambientes serão climatizados naturalmente, sem ar-condicionado. E ela será construída com pré-moldados e não terá materiais químicos.

A proposta deve ser construída em Niterói, no Rio de Janeiro, às margens da Baía de Guanabara, em uma praça pública. O projeto completo custará R$ 5 milhões e é resultado de um "crowdsourcing", financiamento coletivo pela internet, implantado pela empresa Enel Brasil, filial da gigante energética italiana.
Divulgação
Projeto foi lançado há seis meses e 4 mil ideias feitas pela web foram selecionadas Imagem: Divulgação
O objetivo do experimento é colher informações sobre como as pessoas imaginam a vida doméstica no futuro. A residência faz parte do projeto N.O.V.A (Nós Vivemos o Amanhã) e foi a primeira a receber um dos mais importantes certificados ambientais na América do Sul, o Living Building Challenge.
 
"Se trata de uma experiência inédita, tecnológica, sim, mas, principalmente, sociológica, no campo do comportamento e dos desejos. Algumas soluções, como a fonte de energia solar, forneceremos nós mesmos, outras iremos buscar nas 'start-ups' envolvidas", disse à BBC Brasil o presidente da Enel Brasil, Marcelo Liévenes, durante a apresentação do projeto em Milão.
 
A construção integra o programa de Pesquisa e Desenvolvimento da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). As obras começarão em novembro e a conclusão está prevista para antes dos Jogos Olímpicos, em agosto de 2016.
 
Divulgação
Pesquisadores querem saber as mudanças de hábitos de consumo dos moradores Imagem: Divulgação
"Usaremos antigas técnicas de arquitetura brasileira com mais de 500 anos, como a ventilação cruzada e a fonte geotérmica, pois escavando cerca de 20 metros conseguimos climatizar os ambientes naturalmente, substituindo o ar-condicionado. Temos ainda ensinamentos modernistas, com a paisagem entrando na residência", afirma o arquiteto responsável pelo projeto, Arthur Casas.
 
Como será?
 
A construção medirá 375 m² e será feita num terreno com 1.000 m². As águas 'cinzas' (esgoto) serão recicladas, assim como os dejetos e o lixo orgânico. Vidraças inteligentes dispensarão a limpeza e irão alterar transparência em função da luminosidade externa. O pavimento da casa, previsto em concreto modulado, é facilmente retirado e substituído e conterá as tubulações e fiações, já a quadra de esportes terá piso cinético, capaz de produzir energia para iluminar o campo.
 
Divulgação
Monitores informarão consumo de luz, água e gás e dados de saúde dos moradores Imagem: Divulgação
O projeto prevê a dispensa de eletricidade durante o dia e monitores ligados à internet informarão o consumo de luz, água e gás em tempo real, além de dados sobre a saúde dos moradores que serão escolhidos em um concurso via internet. A família testará as novas tecnologias e pesquisadores avaliarão as mudanças de ritmo e hábitos no consumo e em quanto tempo essas alterações ocorrerão.
 
O comportamento dos habitantes será acompanhado por fluxo de informações: "Queremos saber como as pessoas irão morar ali, como irão se adaptar às novidades. Isso é o que importa porque o futuro tecnológico é já obsoleto", resume Liévenes. A casa terá, ainda, um espaço para hóspedes, que pagarão pela estadia, como em um "bed & breakfast" ou "airbnb".

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog Casa de Viver
do UOL
do UOL
Blog Casa de Viver
do UOL
UOL Estilo
do UOL
Blog Casa de Viver
do UOL
do UOL
Blog Casa de Viver
do UOL
UOL Estilo
do UOL
Blog Casa de Viver
BBC
UOL Estilo
UOL Estilo
do UOL
Blog Casa de Viver
do UOL
Blog Casa de Viver
do UOL
do UOL
Blog Casa de Viver
do UOL
do UOL
Blog Casa de Viver
do UOL
BBC
do UOL
Casa e Decoração
Blog Casa de Viver
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
Casa e Decoração
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Folha de S.Paulo
Folha de S.Paulo
Topo