Casa e decoração

Toy arts criam ambientes descolados e podem democratizar a arte

Divulgação
Toy art da série "dunny" customizado pelo britânico Chris Booker, da Squink! Imagem: Divulgação

DAIANA DALFITO

Da Redação

21/08/2011 10h00

Toy arts são brinquedos para não brincar. São plataformas contemporâneas para a expressão artística ou mesmo obras de arte em si. Toy arts são pequenos ou grandes, fofinhos ou agressivos, nerds ou lúdicos. São boas opções para a composição de um ambiente “descolado” em sua casa.

O brasileiro Fernando Quines foi morar em Barcelona lá pelos idos de 2006. Ele conta que, na época, reparou que as pessoas haviam começado a costumizar seus próprios objetos e brinquedos  para utilizá-los como peças de decoração. Aí, teve a ideia de criar o “Coco”.

“Um pouco antes de voltar ao Brasil, desenhei o Coco. Pouca gente conhecia a toy art aqui [no Brasil] e não havia artesãos para fazer o trabalho manual [de moldagem]. Depois de muita luta cheguei ao formato ideal, mantendo equilibrio e deixando a peça customizável. O Coco é um toy original em branco, o que permite que ele tenha várias identidades”, conta Quines.

Fora do país

Uma das mais conhecidas empresas do ramo dos brinquedos para não brincar é a Kidrobot. Entre a série de produtos oferecidos, a Kidrobot  vende toy arts em branco a serem customizados por artistas como o britânico Chris Booker e a japonesa Aya Kakeda.

Chris apresenta suas criações no site Squink!, nele estão algumas peças lúgubres e outras vivamente coloridas entre alguns toy arts “convencionais”. O diretor de arte que começou a colecionar os brinquedinhos em 2006, logo, acabou por se dar conta de que gostaria de criar suas próprias peças. O caminho foi a pintura acrílica sobre vinil.

“A toy art faz a arte mais acessível, há colecionadores que não podem dar ao luxo de gastar muito dinheiro com obras de arte originais e a cena do ‘vinil urbano’  fez a expressão artística e, portanto, as peças exclusivas mais acessíveis de várias maneiras. Eu queria ser uma parte disso”, diz Booker.

Velhos amigos

Criados para pessoas com perfis distintos e diferentes poderes aquisitivos, os toy arts podem se apresentar em preços tão diversos quanto suas muitas “faces”. Mas uma coisa é certa, quando você leva um toy para casa, vai também uma parte do mundo criado pelo artista que o concebeu.

A ilustradora japonesa radicada em Nova York, Aya Kakeda, diz que a possibilidade de se conectar às pessoas através dos toy arts é fascinante. Ela começou a criar os brinquedinhos em 2003,  para a Honey B, uma empresa de Hong Kong, e em 2004 já firmava a parceria com a norte-americana Kidrobot.

Trabalhando com desenhos em 2D, a ilustradora diz que a criação de toy arts em três dimensões é apaixonante: “todos os personagens que eu desenho vivem em meu mundo imaginário e concretizá-los em figuras 3D é muito interessante. É como se eu encontrasse velhos amigos pela primeira vez”. Então, já experimentou levar uma dessas belezinhas para casa?

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

do UOL
do UOL
Blog Casa de Viver
do UOL
UOL Estilo
do UOL
Blog Casa de Viver
do UOL
do UOL
Blog Casa de Viver
do UOL
UOL Estilo
do UOL
Blog Casa de Viver
BBC
UOL Estilo
UOL Estilo
do UOL
Blog Casa de Viver
do UOL
Blog Casa de Viver
do UOL
do UOL
Blog Casa de Viver
do UOL
do UOL
Blog Casa de Viver
do UOL
BBC
do UOL
Casa e Decoração
Blog Casa de Viver
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
Casa e Decoração
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Folha de S.Paulo
Folha de S.Paulo
Topo