Casamento

10 dicas para quem quer colocar o cachorro na festa de casamento

Getty Images
Imagem: Getty Images

Gabriela Guimarães e Veridiana Mercatelli

Colaboração para o UOL

13/12/2017 04h00

Seu coração bate mais forte só de pensar no seu cãozinho levando as alianças até o altar? Mas antes de sair colocando gravata ou vestido branco no dog, saiba que não é só porque ele é um fofo dentro de casa, que ficará de boa na cerimônia. Especialistas dão dicas para que esta participação especial do pet no casamento dê certo.

Veja também

1. Leve o temperamento dele em consideração

Ele não pode ter comportamentos perigosos e agressivos com ninguém. Também não deve ser medroso, porque um local com muita gente será desgastante para ele. É bom que seja sociável, dócil, educado e tranquilo. Se for do tipo bagunceiro e agitado, precisa de uma supervisão maior. Procure um bom profissional, que vai primeiro cuidar do comportamento e, depois, treiná-lo de forma específica para participar do casamento.

2. Algumas raças são mais fáceis que outras

Alguns cães aprendem um pouco mais rápido, como o Golden Retriver, o Pastor Alemão e o Border Collie. Repense a decisão se tiver um cão de guarda, que pode amedrontar os convidados – não é preconceito com porte, mas constatação, dizem os especialistas. Por outro lado, se o porte for muito pequeno, ele pode se machucar no meio da multidão.

3. Observe como ele se comporta em multidões

Para saber se o seu cãozinho dá conta do recado, simule uma situação parecida, com um lugar cheio de gente, onde ele conheça algumas pessoas e outras, não. Veja como você também consegue ter o controle neste cenário. Muitas vezes, o cachorro sai correndo e se houver portas abertas ele pode se perder ou se machucar.

4. O tempo de treinamento

Depende de o quanto o cachorrinho já é adestrado, do envolvimento da família e dedicação dos tutores. Se ele já tiver o hábito de carregar objetos e responder a comandos, além de ficar bem em ambientes com barulho e muitas pessoas, o treino pode durar semanas. Se não, o adestramento pode persistir por até um ano. 

Getty Images
Imagem: Getty Images

5. Treinar comandos no dia a dia ajuda

Uma boa ideia é utilizar o comando de andar junto, com a guia bem frouxa e devagar, em multidões. Um bom lugar para treiná-lo é na feira, porque tem comida, pessoas, confusão e barulho. Outro treino é carregar objetos: começa com bolinha e vai mudando para a cestinha. Por fim, andar devagar, na direção de um alvo também é importante.

6. Usar ou não roupinha?

Se ele estiver acostumado com essa roupa e não for algo que o incomode, que atrapalhe o movimento, vá fundo. Você pode ir acostumando-o com o traje com dois meses de antecedência. Também dá para tirar logo que acabar a cerimônia ou só usar para tirar fotos. E leve em consideração a temperatura do dia. Cachorro, normalmente, sente muito calor. Roupa quente pode ser bem desconfortável.

7. Cuidados antes do evento

Evite mudar demais a rotina dele. Não mude o alimento (nem dê alimentos pesados). Se quer que ele esteja cheiroso e bonito, vale um bom banho da maneira que já está acostumado. Se normalmente toma banho em casa, não o leve ao pet shop, para não estressá-lo num dia em que ele, mais do que nunca, precisa estar calmo.

8. Considere levá-lo embora depois da cerimônia.

Se a música não estiver muito alta e tiver alguém cuidando dele o tempo todo, não é um grande problema deixá-lo na festa. Do contrário, use o bom senso. Muita gente pode querer abraçar, tirar fotos, e se ele não gostar disso, será ruim para o bichinho. Também pode ser um problema se alguém der algo que ele não deveria comer. É importante priorizar o bem-estar do cão.

Getty Images
Imagem: Getty Images

9. Peça para alguém cuidar do cachorro o tempo todo.

Alguém responsável por ele vai poder avaliar se o animal está gostando, se está cansado, estressado, se está alimentado com a comida certa e hidratado. Os noivos ficam mais tranquilos e o cachorro mais confortável.

10. Esteja preparado para imprevistos

Antes de colocar seu cãozinho dentro da igreja ou em um buffet, é bom se certificar de que ele possa entrar nesses locais. Saiba também que nem todo mundo é tranquilo com cachorros, pode ter convidado que sente medo, por exemplo. Não são todos que enxergam os pets como membros da família. Outras situações também podem acontecer, como ele atrair toda a atenção do casamento, latir e fazer cocô onde não deveria. Se isso acontecer, bom humor é a melhor saída!


FONTES: Alexandre Rossi, fundador da Cão Cidadão. Piero Giuntoli, adestrador da Fit Dog. Teca Marinho, adestradora e avaliadora de cães do Projeto Pelo Próximo
 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
ANSA
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Da Redação
do UOL
EFE
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Redação
Redação
do UOL
do UOL
Da Redação
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Mulher - Casamento
TV e Famosos
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Topo