Relacionamento

10 crises que todos passam em um relacionamento e como superá-las

Getty Images
Uma boa ideia para superar a monotonia é realizar um projeto de aprendizado comum, como um curso Imagem: Getty Images

Andrezza Czech

Colaboração para o UOL

08/09/2016 12h42

Qualquer relacionamento, por mais saudável que seja, passa por momentos de crise. Seja a monotonia depois de muito tempo de relação ou a descoberta de que os planos para o futuro não batem, há sempre algo a ser resolvido. Veja como superar as principais crises a dois.

 

  • Quando a relação cai na rotina

    Para a psicóloga e terapeuta sexual Ana Canosa, autora de "A Metade da Laranja - Discutindo Amor, Sexo e Relacionamento" (editora Master Books), uma boa ideia para superar a monotonia é realizar um projeto de aprendizado comum, como um curso. "Além de conhecerem outro assunto, treinarem novas habilidades e entrarem em contato com pessoas diferentes, poderá surgir um lado da parceria que você não conhecia", diz.

  • Quando a paixão esfria

    Para a psicóloga Marina Vasconcellos, terapeuta familiar e de casal pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), é importante propor atividades para sair da rotina. "Vá ao motel, veja um filme excitante, viaje. Se tiver filhos, veja se alguém pode cuidar deles e tenha uma noite a dois." Para Ana, essa é uma boa hora para colocar algumas fantasias sexuais em prática.

  • Planos que não batem

    Nesse caso, é preciso muita negociação e conversa. Para Ana, é necessário entender que nem sempre os projetos de ambos irão coincidir e tentar ajustar as expectativas, não deixando de lado as necessidades do casal.

  • Problemas financeiros

    Para resolver o problema, Ana sugere rever o orçamento e estabelecer metas claras e ajustes. Segundo Marina, o ideal é que ambos se conscientizem do que está acontecendo e unam forças para superar a situação. "É preciso abrir o jogo quando começa o problema. É comum que um passe uma dificuldade, não conte e, de repente, apareçam dívidas homéricas", diz.

  • Dificuldade de adaptação ao morar junto

    "É preciso negociar os limites de cada um e estabelecer tarefas para os dois", diz Ana. Marina aconselha não deixar acumular pequenos incômodos e falar com calma, sem acusar o parceiro, mostrando a ele como você se sente quando ele faz (ou deixa de fazer) algo.

  • Crises de ciúme frequentes

    Ana aconselha avaliar se há motivo ou se tudo não passa de uma fase de insegurança ou carência. "Conversem sobre o assunto, na tentativa de identificar as motivações e interromper o comportamento. Fazer coisas juntos, estreitando os laços, também pode ajudar", diz. De acordo com Marina, se o ciúme for excessivo, é preciso contar com a ajuda de um terapeuta para tentar entender o real motivo da insegurança.

  • Mudanças profissionais

    É preciso ter paciência para avaliar as mudanças que um novo trabalho ou cargo provocam na vida a dois. E tudo deve ser deixado às claras. "É muito importante não mentir sobre as reais atividades que se desenvolverá, o tempo que será dedicado ao novo trabalho e o que o parceiro deve desenvolver ou abrir mão para viver esse momento", diz Ana.

  • Traição

    Para a psicóloga e terapeuta sexual Margareth dos Reis, doutora em ciências pela FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo), a traição não decreta necessariamente o fim de um relacionamento. Ela é uma crise (intensa) que pode ser superada, caso ambos tenham paciência e vontade. "Pode ser um momento para rever a relação como um todo e descobrir o que aconteceu para chegar a esse ponto", diz.

  • Chegada de um filho

    A chegada de um filho provoca grandes mudanças na dinâmica do casal. E é comum que muitos deixem a relação de lado. "O casal precisa sentir que forma um bom time no que diz respeito aos cuidados com o filho, mas, aos poucos, precisa voltar para os programas a dois, como jantares, atividades culturais, envolvimento com amigos e intimidade sexual", diz Ana.

  • Síndrome do ninho vazio

    A saída do filho de casa também pode ser traumática para alguns. Segundo Margareth, isso acontece quando a relação foi deixada de lado e o casal já não encontra mais outros interesses em comum além da vida dos filhos. Para Ana, esse é o momento de retomar desejos que ainda não puderam serem realizados. "Cursos, faculdade, viagens, esportes, atividades voluntárias ... Tudo isso trará alegria e novidade", diz ela. Para Marina, fazer terapia de casal pode ajudar muito nessa reaproximação.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Fred Mattos
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Blog do Fred Mattos
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Blog do Fred Mattos
Redação
Redação
Redação
Redação
BBC
BBC
"Fui marmita de traficante"
Blog do Fred Mattos
Redação
Redação
Redação
Redação
do UOL
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Blog do Fred Mattos
Opiniões Estilo
do UOL
Redação
Redação
Redação
Redação
Comportamento
Redação
Blog do Fred Mattos
Redação
Redação
Topo