Comportamento

Não dá, gente! 7 coisas para se evitar na cama

Claudia Dias

Colaboração para o UOL

06/10/2017 04h00

Ninguém precisa saber o que se passa entre quatro paredes, a não ser você e seu par (ou pares - vai saber, né?). Mas ali dentro, com quem realmente interessa, algumas situações não são nada, nada bem-vindas! Simplesmente porque quebram qualquer clima de tesão. Para que o happy end seja em comum, melhor evitar alguns detalhes na cama...

* Os sobrenomes foram suprimidos a pedido dos entrevistados.

  • Exagerar no tapinha

    Tem quem goste de estimular a transa com algumas palmadinhas. Dica da consultora Débora: se ouvir pedido do gênero, dê um tapinha nas nádegas para (só) depois avançar, seguindo o comando do par. "Num encontro, levei um tapa na cara e odeio isso. Queria brincar, mas acabou o clima", revela. A fotógrafa Cintia aponta situação mais grave: "Dar soco na cara. Já vi isso em filme e achei um terror".

  • Errar o nome do par

    Quer começar uma guerra no quarto? Invente chamar @ parceir@ pelo nome de outra pessoa. Se for referência a ex-relações, então, melhor sair correndo dali. "Errar meu nome seria o fim", considera o gestor Roberto.

  • Dormir e não fazer nada

    Imagine a cena: aquela expectativa para um momento a sós e, de repente, o par vira para o lado e cai no sono. "Não fazer nada, nem antes, nem depois, é a pior coisa que poderia acontecer", avalia o vendedor Ricardo. Existe cenário mais tenso ainda? Experimente dormir DURANTE o ato. Acontece, pessoal?

  • Esquecer do antes

    A pior coisa que alguém poderia fazer na hora H, para a assistente financeira Renata, é se apressar demais, ignorando totalmente as preliminares. A consultora Débora concorda: "A coisa se torna bem chata sem o aquecimento; o interesse vai pelo ralo".

  • Usar meias

    Se você quer explorar seu lado sexy, nunca, jamais, em hipótese alguma considere dormir com alguém cobrindo apenas as partes íntimas e os pés. "Dormir de cueca e meias é péssimo. Se rola um clima, é fim de carreira", argumenta a redatora Eliane.

  • Acordar para uma DR

    Discutir a relação (apesar de necessário) já costuma ser ruim enquanto estamos alertas, no decorrer do dia. Fazer isso à noite, durante o sono, é pedir para acabar com o clima de uma vez por todas, como aponta o empresário Guilherme.

  • Dispensar o banho

    "Dormir ao lado de alguém 'sujinho', 'fedidinho', é o caos", classifica a professora de dança Renata*. Não é para menos: imagine abraçar alguém com cheiro desagradável ou, pior ainda, investir num oral sem um banho prévio. É para sair correndo mesmo!

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Redação
Redação
"Fui marmita de traficante"
BBC
Redação
Redação
Redação
do UOL
Redação
Redação
Redação
Blog do Fred Mattos
Blog da Morango
Redação
Redação
Redação
Redação
do UOL
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Astrologia S/A
do UOL
Redação
Redação
Redação
BBC
Blog da Morango
Redação
Redação
Redação
BBC
Redação
Redação
BBC
Redação
Redação
Redação
do UOL
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
do UOL
BBC
Topo