Equilíbrio

A fundação em memória de Amy Winehouse que ajuda dependentes químicas

BBC
Grace, uma alcoólatra em recuperação, é uma das 16 mulheres morando em Amy's Place Imagem: BBC

23/02/2017 09h13

Criado em memória à cantora Amy Winehouse, o Amy's Place é a única casa de recuperação do Reino Unido dedicada a ajudar jovens mulheres alcoólatras e com outros tipos de dependência química.

"Não estou abstinente há tanto tempo assim, mas já é alguma coisa", relata Grace Gunn. "Você não pode esquecer que, antes, o que eu fazia era ficar sentada em um abrigo para sem-teto pensando em formas de me matar."

A jovem de 19 anos é uma das primeiras ocupantes do Amy's Place - uma casa de recuperação criada pela Fundação Amy Winehouse. Ela é uma alcoólatra em recuperação e está sem beber há pouco mais de um ano. É um marco da reviravolta em sua vida, comandada por ela mesma.

"(O vício) Começou quando eu experimentei bebida pela primeira vez, aos 8 anos de idade. Aos 12, eu já estava andando por aí fazendo coisas que não deveria ter feito", diz ela. "Entre os 13 e 14 anos, passei a viver sob cuidados do Estado e foi aí que [o alcoolismo] decolou. Eu poderia ter sido mais esperta em relação a isso, mas não tinha meus pais ao redor."

Grace diz que passou a beber como um mecanismo de enfrentamento, mas a bebida logo se tornou um hábito.

Getty Images
Amy Winehouse teve uma longa batalha contra a dependência e morreu aos 27 anos de intoxicação alcoólica Imagem: Getty Images

O problema "disparou" assim que começou a viver em um abrigo para pessoas sem-teto. Até que um incidente a sacudiu e ela teve a dimensão total dos danos causados a si mesma.

"Foi em novembro de 2015, quando tomei 57 antidepressivos com um litro de vodca e um litro de licor. Quase morri. Eu acordei com a boca espumando, aterrorizada. Eles estavam me desintoxicando na área de ressuscitação do hospital e eles me disseram: 'É um jogo de espera agora para saber se seus órgãos estão falhando ou não. Fiquei quatro dias sentada esperando e rezando para não estar morrendo."

Grace decidiu tomar algumas medidas para superar sua dependência, mas viver como moradora de rua em um albergue significava que isso não seria tarefa fácil.

"Quando seu quarto é ao lado do de alguém vendendo drogas, você não consegue ficar bem", diz ela. "Você está sempre preso no enigma de: 'Eu volto aos meus velhos hábitos ou vou a uma reunião (de apoio)? Eu estava vivendo uma vida de recuperação em um mundo de usuários de drogas e alcoólatras."

BBC
Jane Winehouse, madrasta de Amy, montou a casa, que acredita ter potencial de mudar vidas Imagem: BBC

São histórias como a de Grace que motivaram a madrasta de Amy Winehouse, Jane Winehouse, a montar a casa - projetada para ajudar mulheres jovens a se desintoxicar e dar seus primeiros passos após a reabilitação.

"Nós conhecemos pessoas em tratamento que estavam assustadas pensando no que aconteceria quando terminassem o tratamento (de reabilitação)", diz ela. "Muitas apenas pensavam: 'Se tiver que voltar para onde estava antes, não vou ter chance'".

Criado em parceria com a provedora de hospedagem Centra, o Amy's Place é a única casa de recuperação no Reino Unido projetada especificamente para ajudar mulheres com menos de 30 anos.

Winehouse morreu aos 27 anos em julho de 2011 de intoxicação por álcool. Ela tinha lutado anteriormente contra sua dependência de drogas por muitos anos e tinha passado um tempo na reabilitação.

Na casa em Londres, cada um dos 16 ocupantes recebe seu próprio apartamento, pago pelo benefício de moradia concedido pelo Estado. Elas podem ficar no local por até dois anos.

Existe uma estrita política antidrogas e álcool no local. Além de ser vetada a visita de convidados durante a noite, os moradores devem concordar em se submeter a testes aleatórios para detectar o uso de entorpecentes - Grace passou por um recentemente.

Uma outra residente, Judith Heryka, de 26 anos, também está trabalhando para um futuro mais estável, sem drogas.

Sua principal motivação são seus filhos, de 5 e 7 anos. Ela tomou a decisão de buscar ajuda quando se viu ameaçada de perder a guarda dos filhos para o Estado. Ela diz que isso salvou sua vida. Judith tinha se tornado viciada em crack e estava "muito deprimida ... amargurada, amargurada, amargurada, como uma suicida, deprimida".

Como parte do programa do Amy's Place, as mulheres também devem participar de atividades fora da casa, que podem ajudá-las a ficar limpas e prepará-las para viver sozinhas.

Pode ser uma reinserção na sua educação, fazendo trabalho voluntário ou encontrar uma atividade que lhe dê prazer e satisfação - no caso de Judith, o kickboxing. "Eu posso realmente sair, fazer algo que eu amo", explica ela enquanto participava de uma das aulas.

BBC
Principal motivação de Judith foi ameaça de perder guarda dos filhos de 5 e 7 anos; kickboxing é a atividade que a esta levando, aos poucos, de volta à vida fora de Amy's Place Imagem: BBC

Judith diz que a casa é "100%" a razão pela qual ela está conseguindo se limpar e é a primeira vez que morou em um lugar onde se sentiu segura.

A diretora da casa, Hannah Crystal, disse que vê com grande satisfação o progresso das mulheres. "Acho que as meninas aqui vão chegar a um ponto em que estarão prontas para seguir em frente", acrescenta. "E teremos novas recepções e acho que vamos continuar crescendo com muita força".

O caminho para a recuperação, no entanto, não é fácil. Algumas das mulheres da casa tiveram recaídas e Grace admite que recentemente chegou bem perto de beber.

A casa está trabalhando com Grace para ajudá-la a alcançar seus objetivos. Ela espera se tornar uma psicóloga forense no futuro e está cursando aulas de artesanato com ajuda de uma organização filantrópica. "Antes, [o futuro parecia] muito obscuro, sem algo que me deixasse ansiosa. Agora, eu percebo que tenho uma vida muito longa pela frente", diz ela.

Para Jane Winehouse, dar às mulheres ferramentas para mudar suas próprias vidas "é a coisa mais maravilhosa". Especialmente, como ela diz, porque a casa é "em memória a Amy".

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Redação
Folha de S.Paulo
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Comportamento
Redação
BBC
Redação
Redação
UOL Estilo
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
NE10
Redação
BBC
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
BBC
Redação
UOL Estilo
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Topo