Comportamento

Cada mulher deve encontrar o seu jeito de ter prazer, afirma terapeuta

Getty Images
Apesar das conquistas femininas, muitas mulheres não se sentem felizes com a vida sexual imagem: Getty Images

ROSANA FERREIRA
Editora-assistente de UOL Estilo Comportamento

O prazer sexual feminino não é tão simples. Apesar da liberdade sexual conquistada a partir dos anos 1960, com o uso dos anticoncepcionais, além da forte presença no mercado de trabalho e da independência financeira, muitas mulheres não se sentem satisfeitas com a vida sexual que levam. No setor de Ginecologia do Hospital das Clínicas, de São Paulo, por exemplo, 70% das mulheres atendidas no ambulatório afirmam que perderam a libido. Talvez por isso o orgasmo feminino esteja tão em pauta atualmente. E livros não faltam sobre o assunto, como o recém-lançado “Orgasmos: Como Chegar Lá” (Editora BestSeller, R$ 24,90), de Jenny Hare.

Consultora e terapeuta sexual, Jenny Hare atuou durante 15 anos como colunista na revista inglesa “Woman’s Weekly” e se propôs a responder a pergunta: “Por que, num mundo onde as informações sobre sexo são tão acessíveis, as mulheres continuam insatisfeitas?”. Segundo ela, as respostas são diferentes para cada mulher. E, cada uma, deve encontrar o seu jeito de ter prazer.

Para evidenciar essa afirmação, Jenny, reuniu no livro histórias e exemplos dessas mulheres, além dos fatores físicos e psicológicos que podem impedir a plenitude sexual. E, é claro, ela também dá conselhos, dicas, exercícios, posições e técnicas para ajudar a chegar lá.

Resgate

Segundo a autora, tanto as mulheres que atingiam o orgasmo e perderam essa capacidade como as que raramente ou nunca conseguem atingir o clímax nas relações sexuais podem encontrar uma solução. “Crie coragem. Sim, você pode voltar a ter o encanto do prazer sexual e, sim, você pode se tornar orgástica ou, se já foi, reencontrar o jeito”, afirma.

Para ela, a solução é reconhecer que, para muitas mulheres e muitos homens, a espontaneidade frequentemente desaparece quando a fase de excitação da novidade e da atração inicial passa. Por essa razão, a terapeuta aconselha: assuma o compromisso de fazer sexo sozinha ou com um parceiro pelo menos uma vez por semana. “O objetivo é praticar muito até que os orgasmos comecem a aparecer e, finalmente, você consiga atingi-los sempre que quiser”, diz. Para isso, ela enumera alguns pontos importantes para começar:
- Sem tempo? Crie tempo.
- Muito estressada? Diga a si mesma que o sexo relaxará.
- Muito cansada? Lembre-se de que, quando o prazer começar, desfrutará dele, por mais cansada que esteja. Saiba que dormirá extraordinariamente bem.
- Abra espaço em sua agenda, por mais ocupada que esteja. Isso é profundamente importante para você. Você não estaria esta matéria não fosse.
- Crie tempo e dedique tempo para se curtir, o seu eu sexual, e uma vez que saiba como fazê-lo, dê-se a felicidade de um orgasmo.

Histórias

Cada capítulo do livro é recheado de histórias que contam as dificuldades e as superações de mulheres e homens em relação ao orgasmo feminino. Leia trechos do livro.
 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
UOL Estilo
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
do UOL
Redação
Redação
UOL Estilo
Redação
Redação
Comportamento
do UOL
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Topo